Páginas

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Tropa de Elite

Tropa de Elite é a chamada que deflui da notícia ao lado pela qual se informa que, por iniciativa da nova Secretária de Direitos Humanos, será criado “um grupo formado por 11 peritos de várias áreas com autonomia para entrar em prisões, cadeias e penitenciárias do país, sem necessidade de autorização prévia dos diretores dos estabelecimentos ou de outras autoridades”, cujo objetivo será o de “apurar denúncias de prática de torturas contra presos”.

Sem querer divagar, “a autoridade plena” de que se revestirá o mencionado grupo, nos lembra prática de viés autoritário presente em passado ainda recente na memória da história, em voga, na época, nos continentes europeu e asiático, ainda tolerada e em evidencia em alguns cantos do planeta.

Situando a geografia mais para perto da terrinha, basta lembrar que Cuba, que tanto encanta aos corações da turma da continuidade (pós era Fulgêncio Batista, ditador corrupto de boas negociatas, à semelhança dos Fidel que o sucederam, e que também se eternizaram no poder, utilizando-se dos mesmos métodos para eliminar os inimigos - el paredón), até hoje mantém presos políticos e não políticos em seus porões e que estão, muito provavelmente, em piores e mais degradantes condições que a bandidagem não política que habita nosso sistema penitenciário.

Mas o que lá e em outros lugares de ideologia similar acontece não interessa à turma, exemplo claro se deu com a caça aos esportistas cubanos que se desgarraram da respectiva comitiva, em jogos passados aqui no País, achados e devolvidos, em rapidez nunca antes vista nas operações policiais tupiniquins, ao regime dos Fidel e no episódio do preso político, nas mesmas terras cubanas, em greve de fome, não recebido pelo que se foi e ainda por ele comparado aos presos não políticos em São Paulo, e que acabou passando para outra.

Deixando isso de lado, para não perder o foco, esta é a segunda medida anunciada pela nova Secretária de Direitos Humanos; a primeira foi com relação à apuração de torturas no regime militar, tema já tratado nas matérias “Doutrinação de Esquerda” e “Maria do Rosário”. Isto parece idéia fixa, lembrando Rui Barbosa ao responder a um aparte de um Deputado, que o chamara de contraditório por conta de um de seus pronunciamentos, com a seguinte pérola: “contraditório só não os loucos como vossa excelência porque têm idéia fixa.”

Mas a “nobreza” das intenções se perde quando o norte que se aspira mais parece afago e apego com a bandidagem do que, propriamente, a apuração de denúncias de torturas contra presos, ladainha de muito conhecida que levou até o Supremo e o CNJ, em balanço de atividades anuais (as últimas), anunciarem que muito se avançou no campo dos direitos dos presos.

Desconhecemos a existência de um País, independentemente do regime e sistema de governos, em que o sistema penitenciário se constitua exemplo de excelência a ser seguido, talvez a turma em questão conheça, devendo decliná-lo para “nosotros”.

Não somos favoráveis a torturas e mau tratos, sabemos que existem casos, mas todos nós também sabemos que a bandidagem, solta ou atrás das grades, nunca diz a verdade, mente a rodo, no sistema penal brasileiro não há previsão de crime de perjúrio, a verdade do processo é a verdade que o juiz enxergar, como já escreveram.

Assim, muitas das denúncias apresentadas pela população carcerária, que levaram até a instalação de uma CPI, como se fala na reportagem, não passam de meras mentiras: seqüestrador, assaltante, homicida, estuprador, e outros do mesmo nível, que representam boa massa dos encarcerados, não dizem a verdade, convenhamos, servindo, apenas, o “modus operandi” anunciado para o oportunista modo de vida da esperteza. E podem, até, entre si, provocarem os que os incautos acreditariam como conseqüências de tortura.

O elemento surpresa, da entrada policialesca e espetaculosa, perde-se na falta de credibilidade da origem das denúncias, credibilidade esta que só passaremos a enxergar e respeitar quando o mesmo interesse for dedicado às vítimas (considerados, também, os seus familiares) de seqüestradores, assaltantes, homicidas, estupradores e outros do mesmo nível. Parece discurso surrado e é, até hoje não se viu ou se vê política de direitos humanos para as vítimas, apenas o afago e o apego com a bandidagem.    

Mas a iniciativa sugere outra de natureza popular, pela qual a sociedade seria legalmente autorizada a adentrar de surpresa, policiesca e espetaculosamente falando, nos gabinetes de pindorama, a qualquer hora do dia (já faz tempo que a hora do jabá, do jabaculê, da bufunfa, se dava após o chá das cinco; hoje se faz a qualquer hora), para, no flagrante, despejar a bandidagem política para o seu devido lugar, força da tortura diária a ela, sociedade, aplicada. Talvez daí arrume-se trabalho para o grupo da reportagem, já que o político bandido deverá oferecer denúncias de problemas psicológicos originários da depressão que se seguirá, face ao seu encarceramento; isso, evidentemente, se o judiciário o permitir.

Afastando-se da ironia, certo é que o projeto só merecerá nosso respeito, acreditamos de outros também, se forem observados os princípios democráticos e oferecidas às vítimas e seus familiares, o mesmo tratamento, a mesma atenção, engajamento, afagos e apegos que demonstram e dedicam à bandidagem não política. Do contrário, não passa de pura demagogia, oportunismo.
 
JabaNews

6 comentários:

  1. Essa sinistra que já não era lá muito certa das idéias, depois que levou unssafanões do Bolsonaro, parece que ficou ainda mais ressentida.
    O que falta para ela sobra para as moças do baixo meretrício..

    ResponderExcluir
  2. boa meu caro,
    a jovem secretária, que nem era nascida ao tempo que pretende orgulhar-se, ainda demonstra desconhecer do que está falando.
    abs,
    jabanews

    ResponderExcluir
  3. OLÁ JABA.
    QUEM PROTEGE BATTISTI TEM MORAL PARA APURAR ALGUMA DENÙNCIA DE TORTURA?

    ABS DO BETOCRITICA.

    ResponderExcluir
  4. nenhuma beto, nenhuma.
    abs,
    jabanews

    ResponderExcluir
  5. Jaba...

    Perito de elite é piada!
    Perícia em presídios, cadeias, etc...é piada.
    Maria sinistra do Rosario e uma piada de péssimo gosto.
    Acompanho a sinistra desde quando era candidata a qualquer coisa no RS. Maria do Rosário é daquelas que, conforme assisti ao vivo, vai de encontro ao assaltante para protegê-lo em detrimento da vítima, como aconteceu num assalto a uma imobiliária em Porto Alegre, há anos atrás. Maria do Rosário é daquelas que "flagram" o cunhado com menores de idade, fato divulgado pelo jornal Zero Hora, faz um pequeno escândalo de defensora das menores mas tudo cai no esquecimento. Maria do Rosário é daquelas que se dirige à mesa diretora da câmara indignada pq. Clodovil disse que sua colega de partido era tão feia que não serviria nem para p...mas nada faz quanto ao trote na Universiadade de Brasília, onde estudantes do sexo feminino tem de simular sexo oral numa linguiça coberta com leite condensado.
    Maria do Rosário é daquelas que se jogam na frente de alguém, com uma camera por perto, para dizer que foi agredida..conforme tentou com Jair Bolssonaro.
    Maria do Rosário é daquelas pessoas que formam quadrilhas, chamadas de tropa de elite com a finalidade de legitimar dentro de casas prisionais a real formação de quadrilha no sentido governamental.
    O PT é o partido que tem solução para tudo: Maria da Conceição Tavares era a economista de renome, como boa petista tinha solução para a inflação no Brasil e na hora do vamos ver, um médico(palocci) foi chamado para o cargo. Hoje no governo de Tarso Genro, o secretário de segurança é um especialista em presídios; onde esta maravilha estava nos 8 anos do governo Lula, ninguém sabe!
    Agora tem os peritos especialistas.Qualquer um destes especialistas que o PT diz possuir poderá entrar num presídio sem ser revistado e entregar "encomendas" para os amigos. Essa é a deixa para um Battisti "fugir" e depois receber o aviso de extradição.
    Qualquer marginal, ensinado pela doutrina vermelha, poderá agredir outro e após afirmar que foi a polícia, carcereiros, etc...Mas eles são especialistas!
    Quem conviveu com um governo estadual petista, no estado de origem dela, onde a polícia foi desautorizada em toda ação sabe que com uma política destas os marginais terão mais liberdade ainda.
    Maria do Rosário reúne todos os quesitos para pertencer ao PT: além de mental e fisicamente asquerosa é manipuladora e dissimulada.
    É uma piada as pessoas insistirem em falar que o povo gaúcho é politizado!

    sicário

    ResponderExcluir
  6. olá sicário,
    obrigado pelos comentários, o apego e o afago com a bandidagem está mais do que claro.
    já conhecíamos algumas da peça em questão, não todas, como consta dos seus comentários.
    respeitamos o gaúcho, vez ou outra passamos um tempo na serra com a família, e aqui no rio temos o inominável reeleito, que merece atenção redobrada.
    abs.,
    jabanews

    ResponderExcluir