Páginas

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Estudar, porquê?

O "e" de porque, tem acento ou não? Estamos em (?) (ou na?) dúvida, já se perdeu no tempo o tempo que estudamos a bela língua pátria e as suas armadilhas de plantão, língua, igualmente, de bela sonoridade, nos seus variados sotaques, violentada em sua escrita, por conta de um acordo ortográfico que recentemente nos foi imposto, e sobre o qual nos recusamos a aderir e até comentar; já esgotamos, tempos atrás, todas adjetivações que conhecemos e aquelas obtidas em outras culturas.

Muitos escrevem e falam o nome daquele acento (muitos até o destacando com a grafia "assento", ao qual deveriam ser encaminhados os habitantes de pindorama) como circunfléxo, com acento agudo mesmo, para acentuar, com realce, o "e" aberto, o "e" do belo sotaque nordestino, da região de belas praias e de belas formosuras degustadas já no olhar.

O que já se foi costumava, nas basófias diárias, alardear que era analfabeto, fenômeno presidencial da imbecilidade, imagem pura do culto ao "populismo", de conhecida "mágica" nos analfabetos funcionais, móvel de extraordinário processo de aculturação dos desafortunados de conhecimentos, mas que nada tinha de imbecil ou de ignorante. 

Foi, porém, somar aos demais pobres de cultura que flanam em pindorama, enriquecida com novas figuras nas últimas eleições. Assim - estudá pra que, ué? - há de perguntar o filho, futuro e digno representante do "abestalhamento" nacional; com certeza, mais um abestalhado a produzir os seus derrames de cultura, talvez como político, profissão do momento.

Quando se propõe não mais reprovar alunos nos três primeiros anos do ensino fundamental, e se processam pais que decidiram educar os seus em casa, acena-se com a continuidade da "imbecilização" de muito já em curso, que deverá deixar o país sob domínios outros.

Boa massa dos desafortunanados é regida pelos princípios da decência e da honestidade, além de inocentes no "processo mágico" antes mencionado; o filho, mais um a engordar as fileiras dos "sem cultura", pelo menos terá "curtido" o ato de brincar.



(Blog do Amarildo)


JabaNews


Nenhum comentário:

Postar um comentário