Páginas

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Mais um a buscar minutos de exposição


A reportagem acima (O Globo de ontem) demonstra que a "imbecilidade" é definitivamente eterna.

Se os honrados militares não se unirem para impedir o avanço da retrógada unilateralidade, que procura, por toda sorte, descaracterizar os fatos, criando caminhos para deturpá-los, ou a sociedade que impediu que poucos pingados que assassinaram, roubaram, seqüestraram, torturaram etc., transformassem o nosso País em uma extensão dos regimes comunistas chinês e russo, os resultados que nos inspiram são absolutamente desanimadores, do fim mesmo do respeito à Nação e do seu enterro final na vergonha.

Como freio, só vemos um caminho: ações e representações, de toda ordem, para que se o "processo" deva seguir o seu curso, independentemente da inqualificável manifestação da OEA, que seja para os dois lados, com reflexos imediatos sobre aqueles que flanam livremente por Pindorama, estejam ou não no poder, próximos ou não tão próximos do mesmo.


JabaNews

2 comentários:

  1. Jaba...

    Sobre o MPúblico Militar algumas palavras até pq. quando usaste o termo "imbecilidade" disseste praticamente tudo.
    Mas como sou palpiteiro escrevo..
    Mais alguns querendo seus minutos de fama e, além de tudo, usando os nomes e famílias de desaparecidos mas, este é um problema deles, pois o homem colhe o que planta. Sinceramente não me preocupa repreensões por meu pensamento mas, estou me lixando para desaparecidos e suas famílias. Se pais e mães educassem seus filhos estes não estariam a mercê da manipulação política ou numa situação atual, a mercê das drogas. O MPMilitar deveria perguntar aos Dirceus, Franklins, Dilmas, Genoínos enfim a todos os sobreviventes onde estão os desaparecidos pois eles devem saber já que, milagrosamente, conseguiram sair vivos e glorificados de um regime extremamente "repressor".
    O que me comove mesmo é a morte dos HOMENS ( não dos ratos ), que caíram ou foram assassinados em ações criminosas, defendendo o Brasil e a liberdade que estúpidos, através do voto, entregaram de mão beijada nas mãos deste mesmos criminosos
    O MPM se comporta como os ratos pois circula em meio ao lixo da história e neste monte de lixo tenta pegar carona na falta de memória e discernimento do brasileiro.
    Mais um antro politiqueiro, tendencioso, subjugado à mente doentia partidária e a canalhice que se instalou no Brasil desde 2002.
    Quanto a OEA, só posso dar rizada, debochar de uma entidade que representa o ideal bolivariano unificado e que serve somente a este ideal, logo, não tem legitimidade alguma.
    Quando a honrada nação hondurenha defendeu sua constituição, esta mesma OEA manifestou-se de todas as formas tentando pressionar os países do mundo para que não reconhecessem o governo de fato e direito de Honduras que havia, por tentar violar a carta magna, apeado do poder Zelaya, mais um escroto aprendiz de ditador da latrina do mundo.
    Esta é a entidade que defende os direitos da nações desde que alinhados ao pensamento e diretrizes dela até pq. na Colombia há campos de prisioneiros das FARC, pessoas sequestradas a décadas que os membros da OEA sequer citam ou recriminam em seus relatórios assim como não criticam Cuba, Venezuela, El Salvador, Nicarágua, etc...
    A falta de conhecimento leva à estupidez que está tomando conta do Brasil e a população, sem perceber, está se entregando ao sacrifício em silêncio. A conta que teremos de pagar será altíssima mas enquanto um de nós tiver voz ela será paga!

    ResponderExcluir
  2. olá sicário,
    compartilhamos da mesma opinião, o que já tínhamos percebido de seus comentários quando nos dedicamos ao tema em matérias anteriores.
    o processo está assumindo proporções mais do que desmoralizadores, porquanto voltado para unilateralidade, desprezado o conteúdo histórico antecedente aos fatos; a turba que fugiu, se escondeu e que voltou ao país clandestinamente, está toda aí, como mártir da nação (por conta da anistia, idéia dos militares); antes rejeitada e agora adorada, até por quem imagina-se tenha certo grau de conhecimento, ou pelo menos se imaginava que o tivesse.
    o que nos entristece, é que as forças armadas, já achincalhadas no país e até pela OEA, não dispõem, até hoje, de uma mão que as defenda contra essas barbaridades unilaterais e não apontem o dedo para a ferida que se buscou abrir no país por aqueles que hoje flanam abertamente pela nação, estejam ou não no poder, posando de mártires para uma turma desprovida de conhecimentos históricos, ou que deles, por oportunismo, faz questão de esquecer e desprezar.
    em qualquer país do mundo, tentativas de se derrubar um governo pelas armas, encontram imediata resistência das forças deste país para sufocar o intento; exemplos contam-se aos montes, passados e atuais, principalmente naqueles que tanto encantam aos que hoje detém o poder na nossa terrinha, e a respeito dos quais não se pronunciam, mesmo que conhecedores das mesmas práticas que hoje, travestidos em falsa aura moralista, condenam.
    em nenhum momento se viu o mesmo afinco, a mesma preocupação, a mesma dedicação etc., quanto aos militares que sucumbiram por atos covardes dos aprendizes de guerrilheiros, que foram buscar inspiração e formação tanto na china comunista como na rússia, e praticaram a mesma sorte de crimes que o MPM agora pretende investigar, e nem com relação aos civis que igualmente foram mortos por conta daqueles intentos golpistas; aos militares desaparecidos, homenagens devem ser prestadas, até no mesmo nível das que imortalizadas no Monumento aos Pracinhas.
    o regime e sistema de governo do nosso país é o da democracia presidencialista e, mesmo que sirva apenas para foro acadêmico, enquanto perdurar, e não se transformar, oficialmente, em um regime autoritário, os fatos que se pretende sejam apurados, devem, também, obrigatoriamente, envolver o desparecimento dos militares que, honrosamente, na defesa do país, sucumbiram frente aos guerrilheiros, cidadãos atuais de boa índole.
    enquanto isso não ocorrer, ou que não se tomem medidas para que isso ocorra, não haverá como se reconhecer legalidade, juridicidade, legitimidade ou o que seja, quanto ao processo de defesa de interesses inqualificáveis, indo o país, na nossa desanimadora percepção, para final enterro na vergonha.

    “se é verdade que cada povo resolve os seus problemas históricos de acordo com a sua cultura, com os seus sentimentos, com a sua índole e também com a sua história, o Brasil fez uma opção pelo caminho da concórdia”.
    “uma sociedade que queira lutar contra os seus inimigos com as mesmas armas, com os mesmos instrumentos, com os mesmos sentimentos está condenada a um fracasso histórico”.
    (Ministro Cezar Peluso, Presidente do Supremo, contrário, como a maioria de seus pares, à revisão da lei da anistia, pretendida anular pela OAB, em relação aos agentes do Estado)

    abs.,
    jabanews

    ResponderExcluir