Páginas

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

OAB-RJ

A matéria ao lado dá conta que OAB-RJ irá submeter o advogado ali citado ao seu Tribunal de Ética e Disciplina, por conta de conduta incompatível com a advocacia; o advogado, então Sargento do Exército, figura em lista de torturadores produzida por entidades ditas de direitos humanas.

Se a Ordem vai investigar o fato, mesmo que anterior ao ingresso daquele Sargento no quadro de advogados da Seccional, sob a alegação de que "jamais se aceitaria admitir em nossos quadros torturadores e exterminadores de pessoas" (palavras do presidente da seccional), o mesmo deveria fazê-lo quanto aos advogados que lá estão inscritos, e que participaram da frustrada tentativa de impor, pelas armas, um regime comunista no País, cujos atos também levam a qualificá-los como torturadores e exterminadores de pessoas.

Se não estão  nos quadros, deve a OAB-RJ informar publicamente; se estão, deve levá-los ao mesmo Tribunal, divulgar os seus nomes e julgá-los pelos mesmos princípios dos minutos de exposição; do contrário, a sua credibilidade, confiabilidade, é nenhuma.

JabaNews



2 comentários:

  1. Jaba...

    Andy Warhol, artista plástico norte-americano, disse nos anos 60-70 que: no futuro, todos terão direito a 15 minutos de fama. Pois bem, o futuro e consequentemente a fama chegaram a OAB/RJ.
    Penso que alguém que tenha sido acusado, julgado, condenado e cumprido a pena não pode ser taxado eternamente como criminoso mas, parece que para a OAB/RJ, uma vez criminoso para sempre criminoso.
    Perguntas:
    O membro da OAB afirma que se soubessem que o sargento era um criminoso este não obteria o registro na ordem. Tá e como é que fica a constituição federal? A OAB está acima da constituição pois afirma ter o direito de cercear o direito ao trabalho de um cidadão?
    Pode a OAB querer julgar alguém sem sequer esta pessoa ter sido acusada pelo crime na época? E a tal da lei da anistia, não perdoou ele e os vagabundos vermelhos? Pode a OAB julgar alguém que sequer era advogado na época do pseudo-crime?
    Este orgão corporativista, deveria julgar també, como bem escreveste, aqueles criminosos advogados que mataram, mutilaram civis nos "anos de chumbo"...eu diria mais, quem sabe os defensores da lei aproveitam este movimento pela justiça do qual estão imbuídos e aproveitam para processar também aqueles advogados deputados e senadores que indiretamente pela sua falta de caráter e excesso de canalhice, roubam, desviam verbas e acabam por matar milhares de brasileiros diariamente?

    Não é revanchismo, é querer saber a verdade, afirma a estúpida e tendenciosa rábula...
    Eu digo: toga também é traje de palhaço!
    Porque pelo que foi dito e escrito na matéria a verdade já existe pois a OAB, direitos humanos, tortura nunca mais já acusaram, julgaram e condenaram o sargento.
    Agora sabemos pq. Sérgio Cabral foi eleito e reeleito no RJ.

    ResponderExcluir
  2. olá sicário,
    agradecemos a visita, sempre bem vinda, seus comentários vão lá para a página central do blog.
    a oab do rio, tal como a oea, meses atrás, perdeu ótima oportunidade de ficar calada, não falar besteira e heresia, de não vestir as suas cores do vermelho da falta de vergonha, vermelho que animou o cara dos minutos de exposição a tentar, nas últimas eleições, a "carreira" de deputado pelo partido comunista, sem êxito na empreitada.
    minutos de exposição que bem demonstram a canalhice que tomou conta da terrinha, já de imensurável dimensão por conta do partido das trapaças, o qual, em raro lampejo de inteligência descobriu, pelos "meios democráticos", como fazer do país extensão dos seus obscuros interesses.
    o advogado, já com 74 anos, e já pré-julgado publicamente, tem a seu favor as próprias palavras do frustrado candidato à deputado, que lhe podem render, amanhã, reparações de outra ordem, seja qual for o posicionamento do tribunal de ética e disciplina.
    nos "caminhos democráticos", o que assistimos, hoje, é a própria quebra dos princípios que o equilibram e que norteiam o comportamento da sociedade, simples princípios que podem ser traduzidos no respeito ao próximo, tal como destacado em "brumas do passado"; respeito ao próximo, singela expressão, mas de extraordinário significado.
    a república foi transformada numa enorme quadrilha, armada e não armada, de corrputos de boas negociatas, tal como em vários cantos do planeta, independentemente do regime e sistema de governo.
    na nossa terrinha, para se tentar acabar com isso, sem arroubos "golpistas", somente com a total transformação da acomodação dos interesses pessoais - não falamos mais nos interesses criminosos dos que habitam Pindorama - agrupando-se bom número de propósitos decentes e honestos, de modo a fazer frente aos "áulicos" do crime que já se eternizaram em Brasília e outros cantões, promovendo-se profunda mudança nas leis; dizem os "estudiosos" que o direito evolui na medida das necessidades da sociedade, parece piada, mas é assim que se "toca" a sociedade desde os primeiros esboços de convivência, envolvendo diversos interesses, em um mesmo "estado", em uma mesma "porção de terra".
    Muitos ridicularizam, mas o "exemplo" sempre foi um bom freio para intentos outros.
    abs.,
    jabanews

    ResponderExcluir