Páginas

terça-feira, 31 de maio de 2011

Parido de raiva

Estou parida de raiva”, foi o que ouvimos quando esperávamos, com nossa mulher, a hora adequada de atravessarmos a rua, “som” que veio de um de uma turma de quatro “felizes”, cujas “camisas” só faltavam estampar sigla de conhecida corte.
Desconhecemos as razões da "figura", porquanto, por questão de segurança, nos afastamos para outro canto da calçada, antevendo possíveis momentos de fúria do “espécime” – algo que, visto de longe, se concretizou em espalhafatoso movimento de “asas” e sons “guturais” – e sermos acusados, por oportunistas, de agirmos conforme o "crime atual".
Mas a expressão ficou em nossos neurônios, levando-nos a dizer à nossa mulher - quem está parido de raiva sou eu, com toda essa hipocrisia, idiossincrasia, bandidagem, roubalheira e tais, já disseminadas, espraiadas em todos os cantões do País, nos níveis que não mais comportam qualificação, e que já atingiram os limites extremos do “inaceitável”.
Seguimos para o nosso destino: saborear extraordinária “tinta” do Alentejo, com os acompanhamentos de praxe.
JabaNews

Nossa Câmara

Como já se não bastassem dois dias na semana para os estafantes trabalhos "dedicados" aos “interesses” do país, restou aprovado - dia 26 - novo Código de Ética para a turma, estabelecendo-se penas alternativas para "os infratores"; ou, como diz o Deputado José Carlos Araújo (PDT-BA), "não tem cabimento ficarmos sempre entre a cassação e a absolvição", "com a mudança no código, vamos sair, pelo menos em parte, da camisa de força em que nos encontramos" (Agência Câmara de Notícias).
É ..., já atingimos os limites do "surrealismo" inaceitável ...  ou não?

JabaNews

Nicotina tabacum ou Cannabis satisfativa?!


(Zé Dassilva, Os Diaristas)

O Sombra


(Iotti, Os Diaristas)

Por enquanto


(Frank, Os Diaristas)

O Desejo


(Frank, Os Diaristas)

Preocupação


(Blog do Amarildo)

Circo Brasil


(Blog do Amarildo)

A Dois


(Frank, Os Diaristas)

?????? IIIIII ......

Comentários do Sicário em "mediocridade globalizada"

Jaba...

Da forma como se comporta nossos jornaleiros, não me surpreenderia se a correspondente tiver "copiado e colado" a matéria publicada.

Se com a ética, conhecimento e cultura existentes na Europa o plágio anda solto, o que pensar das universidades brasileiras onde o mérito reside na cor da pele, no contra-cheque da família e não na capacidade intelectual do aluno; isto tudo sem falar na extrema "capacidade" dos professores com mestrados, doutorados e especialidades adquiridos em cursos de fundo de quintal e com anuência do ministério da educação ou em universidades que, de acordo com avaliação governamental, sequer estariam capacitadas para alfabetizar alguém; as mesmas universidades que o governo insiste em divulgar as notas baixas de avaliação mas não mostra nenhuma atitude na correção dos mesmos.

Vejo com assombro as propagandas feitas pelo governo e pelas entidades de ensino onde mostram alunos planejando o futuro e jovens recém formados, com um canudo na mão e nenhuma perspectiva de trabalho pq. verdade seja dita, de que adianta a formação sem mercado de trabalho?

Com a estupidez se mantendo à frente da pasta da educação, com a ética de quadrilheiros mostrada diariamente por nossos políticos e outros seres, talvez a mediocridade seja a melhor forma de se alcançar a presidência da república, um ministério ou um cargo político.

sicário



É lamentável - lastimável - que a "sociedade" tenha encontrado na involução e no caminho fácil da corrupção - em certo grau, já sofisticada (conforme sejam os interesses) – o esteio para a mediocridade e para a imbecilidade, já em níveis de excelência.

Não vai muito tempo aqui, na terrinha, noticiou-se a aquisição de monografias pela “internet”, ficando o dito pelo não dito, laureados quem as adquiriu.

A reportagem dá conta do que ocorreu com os detentores dos diplomas, após a descoberta do plágio; já no Brasil “culto”, onde proliferam entidades de ensino superior, em poucas horas o protótipo de Einstein é laureado com o “título perseguido” ocupando, ao depois, o respectivo Ministério.

Lá no blog do Serra, em 19/20 passado, encaminhamos modesta opinião (uma de nossas críticas aos “livo” do MEC) para uma matéria intitulada “Direito à norma culta”, que veio a constar da lista de comentários, por alguns minutos e, "ahora, ahorita, no más”. Eis o que comentamos:

“O direito à norma culta é um direito que se mostra nacional, e até transnacional, internacional, universal, frente à cultura de outros povos, demonstrador da cultura e tradições de determinado povo, na evolução do seu conhecimento. A língua, a norma culta, com suas “regionalidades”, é o que diferencia as nações, permitindo que ocupem os seus espaços na universalidade da convivência, o convívio das diferenças inerentes.

Buscar um linguajar comum, no “populesco” do errôneo, além do lado “criminal”, é alimentar a ignorância e a falta de respeito aos antecedentes da evolução; vivemos um momento único de induzimento à imbecilidade extrema, por conta da manutenção de artificial poder.

Após a ocupação do poder pelos “civis”, inicialmente, via colégio eleitoral, por um vice, lá das bandas do Maranhão e, ao depois, por um caçador de “marajás”, seguindo-se uma esquerda “light”, com seus “problemas”, podemos assim dizer e, ao depois, com algo inqualificável que perdura até hoje, passando, antes, por um “fechamento de mandato” por um cara lá de Minas – não vamos falar de política, propriamente dita, pois isso nos envergonha – a educação é uma espiral que ascende ao fundo do inaceitável; críticas quanto aos programas atuais residem naquilo que chamamos de “vazio”: onde anda aquele político, Cristovam Buarque, cuja bandeira era, ou imagina-se que ainda seja, da educação, a se colocar ou se posicionar contra essa ignomínia? Onde ou aonde, durante todos esses anos, a educação mereceu alguma atenção do governo federal, de modo a não se considerar o país como o país da bandidagem e dos imbecis?

Que nos desculpe as palavras, mas o país caminha para o caminho da ignorância extrema, com as suas conseqüências, e nem “vosmicê”, com a apregoada cultura que demonstra a “nosostros”, conseguiria modificar esse quadro.

Bem disse Clarice Lispector: ‘não estou gostando desse pacto com a mediocridade de viver’.”

É isso distinto leitor: um País que não se preocupa com a educação do seu povo, que demonstra cultura, apenas, na arte criminal, em enfadonhos discursos e pronunciamentos recheados, alguns, de falsa erudição “transcritiva citatória”, outros, de pura imbecilidade, e que anda, agora, de braços dados com a mediocridade globalizada, já disseminada por cantões outros além dos citados na matéria.

Quanto aos jornalistas/jornaleiros, exemplo recente bem demonstra o que nos persegue, fato que aconteceu em pseudo furo de reportagem, envolvendo a primeira noite de Pimenta Neves, atrás das grades, algo parecido com (se realmente não foi tal como perguntado): - O que o Senhor achou da sua primeira noite na cadeia? – seguindo-se descrição da cela, onde o cara dormiu, como dormiu, o que comeu etc.; só faltou esclarecer o canto do cubículo onde o cara desmanchou-se “intestinalmente” falando. Fantástico! Realmente, fantástico!

Abs.,

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Mediocridade globalizada



A matéria acima – tirada neste fim de semana do Jornal dos Marinho – dá conta de que a mediocridade já se encontra globalizada, ou em vias de .... .

Enquanto discutimos o processo de “imbecilização” em curso no País, a mediocridade alcança berços mais cultos, de respeitáveis intelectos, denotando a infeliz opção da sociedade pela involução e pela corrupção.

JabaNews

Excelente passatempo

Encaminhado, por e-mail, por JB01.


Para quem não quer conhecer o Alzheimer... e já se cansou de jogar paciência...
Bom divertimento !
 
BASTA CLICAR NA IMAGEM,  AGUARDAR E MONTAR . MOVIMENTE AS PEÇAS DO QUEBRA CABEÇA COM O MOUSE. 

   http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton480.jpg
http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton491.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton485.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton482.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton486.jpghttp://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton484.jpg
 http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton492.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton483.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton487.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton488.jpghttp://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton490.jpg
http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton479.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton477.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton475.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton478.jpg http://www.histoire-en-ligne.com/IMG/arton481.jpg

Globo.com em 2030 - II

Descrição: Globo-com-2030-1.jpg

JB01
por e-mail

Globo.com em 2030


Descrição: Globo-com-2030-2b.jpg


JB01
por e-mail

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Para salvar Palocci ......


(Blog do Amarildo)

25 de Maio

Ontem, dia 25 de maio, foi comemorado, lá pelas bandas do STJ, em Brasília, o Dia Nacional da Adoção, em seminário realizado para este fim.

Na balada comemorativa, estamos propondo novo plano de adoção para os interessados: adote um político e seja infeliz pelo resto da vida.

JabaNews

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Frase da semana

Não adianta discutir o aborto agora.
Os políticos já nasceram!...


http://vindodospampas.blogspot.com/

Blog do Noblat: Alguns clientes do Palocci

Noblat, em seu blog, apresentou rol parcial de empresas que teriam se beneficiado de "trabalho consultivo" do usurpador de contas bancárias de humilde, ei-la:

"Lista das empresas que contrataram a empresa de Palocci:

Do blog do Vicente
O blog teve acesso à lista com parte das empresas que contrataram a Projeto, consultoria do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, que multiplicou por 20 o seu patrimônio em apenas quatro anos.
Itaú Unibanco
Pão de Açúcar
Íbis
LG
Samsung
Claro-Embratel
TIM
Oi
Sadia Holding
Embraer Holding
Dafra
Hyundai Naval
Halliburton
Volkswagen
Gol
Toyota
Azul
Vinícola Aurora
Siemens
Royal Transatlântico"

A questão, porém, não é essa. Já se sabe que o cara levou 10 milhas em 2 meses do pleito eleitoral presidencial e, agora, divulga-se uma lista parcial de prováveis empresas "agraciadas com consultoria de alto nível".

Mas, porém, todavia, contudo, qual o benefício por elas alcançado? Quanto abriram dos seus cofres, e quanto receberam em promessas ou em grana ou em qualquer outro agrado fiscal? Quanto ou "quantum" será apurado pela PF e pela PGR? Quantas são? Quanto ou "quantum" a comissão das minhas razões a ela Pertence se ocupará de apreciar? O que espera a sociedade não corrupta diante de tantas ignomínias? O que as togas superiores irão dizer, quando se afastarem dos holofotes que tanto a encantam? O que a sociedade espera das autoridades constituídas ou não constituídas? Qual o destino da democracia e da honradez, já perdidas no tempo? Qual o sentido do "Estado de Direito", diante de tanta criminalidade? O que devemos esperar de quem se julga e se se acha defensor dos principios democráticos? Qual, realmente, é a nossa? Somos imbecis ou zumbis, levados pelo dinheiro fácil? Quem, realmente, somos? Está na hora de mandarmos os áulicos para "aquele lugar"? Haverá força, na sociedade não corrupta, em assim proceder? Onde ou aonde ficaremos diante de tanta corrupção, em todas esferas de poder,?Adeus Brasil, de grandes histórias e de grandes momentos; é o que devemos dizer?!

Senhores: Somos Homens, Pensadores e dotados de inteligência tal que nos leva ao pensamento e ao discernimento de não querermos que a criminalidade e a ignomínia tomem conta de nossa alma, nossa vida e nosso comportamento; se a "maioria", assim o deseja - criminalidade e ignomínia - o que deveremos fazer? Rezar para o Todo-Poderoso? Não, decididamente não!

Nosso intento é mandar essa Turba "prus infernos" e trazer a harmonia e a honestidade para o nosso dia a dia. Utopia? Sonho? Quem sabe?! Amanhã saberemos.

JabaNews



Facilitou bastante agora!!!!

Exemplo de como anda a política nacional de educação:


Fantástico!


"Como dizia um comediante antigo (Zé Trindade); - "o que a nautureza...!' " (JB01, por e-mail)

Da Série "Espírito de Porco"

Sandálias:

video


A Joke:


video


Piloto Filho da ....... :


 video


JB01
por e-mail

Notícias do STF: Cesare Battisti I

O site do STF dá conta da atualização da data do julgamento da controvérsia envolvendo o italiano, para o próximo dia 08 de junho, e não mais no dia primeiro, como divulgáramos anteriormente.


JabaNews

Bar também é cultura

Indignado com os "livo" que o MEC insiste em distribuir, o dono do buteco, aqui das redondezas, decidiu colaborar com o aprendizado da rapaziada, afixando o seguinte cartaz:

BAR TAMBÉM É CULTURA:


PIROGA CAPRICHADA NA CHAPA


PROMOÇÃO


R$ 2,OO


À GERÊNCIA

Brazil .......

Caixa Automático


(Zé Dassilva, Os Diaristas)

Presídios na época do regime militar...

Falem o que quiser, mas os presídios da época do regime militar eram muito bons.

Existem comprovações irrefutáveis que, eles sim, recuperavam presos e deveriam servir de exemplo para o mundo.

Nenhum país e nenhum modelo prisional conseguiu reabilitação igual. Orgulho brasileiro!
 
ENTRARAM: - GUERRILHEIROS, TORTURADORES, FRAUDADORES, LADRÕES, ASSASSINOS E SEQÜESTRADORES.

E SAÍRAM:- GOVERNADORES, MINISTROS, PREFEITOS, DEPUTADOS, SENADORES, VEREADORES e DOIS PRESIDENTES da REPUBLICA..
 

Enquanto isso, no Irã ...


(Iotti, Os Diaristas)

Pimenta na cadeia


(Frank, Os Diaristas)

Notícias do STF: Pimenta Neves a caminho da cadeia

Notícia retirada do site do STF.


Terça-feira, 24 de maio de 2011

2ª Turma determina imediata execução da sentença contra jornalista Pimenta Neves
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou, na sessão desta terça-feira (24), a decisão do ministro Celso de Mello que negou provimento ao Agravo de Instrumento (AI 795677) com o qual a defesa do jornalista Pimenta Neves pretendia contestar no Supremo a condenação pelo assassinato da jornalista Sandra Gomide, em 2000. Por unanimidade de votos, a Turma rejeitou o recurso (agravo regimental) contra a decisão do ministro relator, que reiterou na sessão de hoje os fundamentos que o levaram a rejeitar o AI. Por sugestão da ministra Ellen Gracie, o ministro Celso de Mello determinará ao juiz da Comarca de Ibiúna (SP) a imediata execução da sentença condenatória de 15 anos de reclusão em regime inicialmente fechado. “É chegado o momento de cumprir a pena”, enfatizou o ministro Celso de Mello, já que se esgotaram todos os recursos possíveis por parte da defesa, qualificada pelo relator como “ampla, extensa e intensa”.
“É um fato que se arrasta desde 2000 e é chegado o momento de se pôr termo a este longo itinerário já percorrido. Realmente esgotaram-se todos os meios recursais, num primeiro momento, perante o Tribunal de Justiça de São Paulo; posteriormente, em diversos instantes, perante o Superior Tribunal de Justiça, e também perante esta Corte. Esta não é a primeira vez que eu julgo recursos interpostos pela parte ora agravante, e isto tem sido uma constante, desde o ano 2000. Eu entendo que realmente se impõe a imediata execução da pena, uma vez que não se pode falar em comprometimento da plenitude do direito de defesa, que se exerceu de maneira ampla, extensa e intensa. O jornalista valeu-se de todos os meios recursais postos à disposição dele. Enfim, é chegado o momento de cumprir a pena. Acolho a proposta da eminente ministra Ellen Gracie, no sentido de que comunique ao juiz competente da Comarca de Ibiúna para que se promova, desde logo, a imediata execução da pena privativa de liberdade imposta à parte ora agravante”, afirmou o ministro relator. A comunicação oficial da decisão será feita também ao STJ e ao Tribunal de Justiça de São Paulo.
Segundo a ministra Ellen Gracie, o caso Pimenta Neves é um dos delitos mais difíceis de se explicar no exterior. “Como justificar que, num delito cometido em 2000, até hoje não cumpre pena o acusado?” A ministra qualificou como um exagero a quantidade de recursos apresentados pela defesa do jornalista, embora todos estejam previstos na legislação brasileira. Para o ministro Ayres Britto, o número de recursos apresentados pela defesa beira o “absurdo” e foi responsável por um “alongamento injustificável do perfil temporal do processo”. Na opinião do presidente da Segunda Turma, ministro Gilmar Mendes, “este é um daqueles casos emblemáticos que causam constrangimentos de toda ordem”, assim como o caso do assassinato dos fiscais do Trabalho de Unaí (MG) e da deputada alagoana Ceci Cunha, e que provocam uma série de discussões sobre a jurisprudência em matéria de trânsito em julgado. “Não raras vezes, os acusados se valem dos recursos existentes e também do excesso de processos existentes nos tribunais”, disse.
Esclarecimento
Os ministros ressaltaram que o Supremo nunca concedeu habeas corpus para impedir a prisão de Pimenta Neves até o trânsito em julgado da condenação. “Ao contrário: quando a Segunda Turma do STF – confirmando liminar por mim anteriormente concedida, deferiu o pedido de habeas corpus, e o fez acolhendo parecer da Procuradoria-Geral da República, em unânime julgamento –, cingiu-se a invalidar decisão proferida pela então magistrada da Comarca de Ibiúna, cujos fundamentos justificadores do pedido da prisão preventiva não se coadunavam à jurisprudência do Supremo Tribunal Federal. Nós unicamente invalidamos a decisão que havia decretado a prisão preventiva, tão somente. De modo algum nós determinamos e garantimos ao então paciente o direito de permanecer em liberdade até o trânsito em julgado de eventual condenação penal. Tanto que o magistrado que presidiu o Tribunal do Júri, ao proferir a sentença condenatória, cometeu um grande equívoco, ao dizer que deixava de decretar a prisão porque cumpria uma ordem do STF. Não é verdade. Isso não ocorreu”, esclareceu o ministro Celso de Mello.

Antonio Pimenta Neves, ex-jornalista, se não estamos enganados, de O Estado de São Paulo, é aquele réu confesso do assassinato de sua então namorada, também jornalista, Sandra Gomide, em 20 de agosto de 2000, no haras do pai da vítima; razões do assassinato: infrutífera reconciliação, após 4 anos de namoro encerrado pela vítima, por conta de agressões do jornalista, levando-o  a desferir dois tiros na ex: um pelas costas e outro no ouvido.

Segundo as linhas do noticiário, a institucionalização da impunidade decorreu do pleno exercício, pelo advogado de Pimenta Neves, dos remédios processuais oferecidos ao acusado, pela legislação vigente. Destaca-se: A ministra qualificou como um exagero a quantidade de recursos apresentados pela defesa do jornalista, embora todos estejam previstos na legislação brasileira. Para o ministro Ayres Britto, o número de recursos apresentados pela defesa beira o “absurdo” e foi responsável por um “alongamento injustificável do perfil temporal do processo”.

Interessante: a responsabilidade da institucionalização da impunidade, ou seja, do "alongamento injustificável do perfil temporal do processo", recai, única e exclusivamente, no execício regular da profissão, mas não sobre quem tem o poder de conhecer e julgar os fatos, em celeridade não observada, portanto, demora injustificável, que sempre reclama das instâncias inferiores; ou, como diz outro, não raras vezes, os acusados se valem dos recursos existentes e também do excesso de processos existentes nos tribunais.

Deixando-se de lado as justificativas da então concessão de habeas corpus, que concedeu ao réu confesso a possibilidade de aguardar, em liberdade, o julgamento do processo, chamou a atenção a indignação da Turma, representada no seguinte sentimento de "perplexidade": “Como justificar que, num delito cometido em 2000, até hoje não cumpre pena o acusado?”

É de se esperar que a mesma perplexidade unânime seja levada ao processo do "Mensalão" (seu relator integra a Turma julgadora do caso Pimenta Neves), a fim de se evitar o beneficiamento da "quadrilha" então denunciada (nas palavras da PGR), por conta do injustificável "perfil temporal do processo" (já anda na casa dos 6 anos da instauração), ou seja, excesso de prazo que conduza à absolvição. Como se disse na notícia acima, é chegado o momento de cumprir a pena, o que imaginamos, por razões óbvias, ser o mesmo sentimento da sociedade não corrupta; a  repercussão deste processo, no exterior, é tanto ou maior quanto o caso do ex-jornalista, salvo já tenha virado motivo de chacota, nos foros internacionais.

Hoje, o réu confesso, ao que parece, beira a casa dos 74 anos, sendo provável que não passe muito tempo atrás das grades, descontando-se os 7 meses já visitados às celas, após o assassinato.

JabaNews





terça-feira, 24 de maio de 2011

Código Florestal II


(Marcos Roberto, Tribuna do Planalto)

Notícias do STF: Cesare Battisti

Notícias tiradas do site do Supremo.

Segunda-feira, 23 de maio de 2011

Caso Cesare Battisti volta a Plenário no dia 1º de junho.

Foi marcada para o próximo dia 1º de junho, quarta-feira da próxima semana, a análise da controvérsia judicial gerada pelo pedido de Extradição (Ext 1085) do ex-ativista italiano Cesare Battisti. Depois de ter sua extradição para a Itália autorizada pelo Pleno do STF em 18 novembro de 2009, Battisti acabou sendo beneficiado por uma decisão do ex-presidente Lula que, em um de seus últimos atos à frente do Executivo, negou-se a entregar o ativista ao governo italiano.

O ato desencadeou reações do governo da Itália (como a Reclamação 11243), para que a prisão fosse mantida; da defesa do ex-ativista, que apresentou pedidos urgentes de expedição de alvará de soltura (em duas Petições avulsas); do Partido Democratas - DEM (ADI 4538), que questionou a constitucionalidade do parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) que serviu de base à decisão de Lula; e do deputado federal Fernando Destito Francischini, do PSBD do Paraná, que ajuizou Ação Popular (ACO 1722) para anular o ato do ex-presidente da República que estaria causando “grave crise diplomática” com o governo italiano.

Na Reclamação (RCL 11243), o governo da Itália sustenta que o ato de Lula não pode prevalecer por ser “grave ilícito interno e internacional”, que afronta a soberania italiana, ofende as suas instituições e usurpa a competência do STF. O parecer da Procuradoria-Geral da República nesta Reclamação, no qual o procurador Roberto Gurgel opina que “não parece ser possível ao STF” decidir se o presidente da República descumpriu tratado específico firmado entre o Brasil e a Itália ou se praticou algum ilícito internacional ao não extraditar Battisti, motivou a apresentação do último pedido de soltura de Battisti, no último dia 13.

O ministro Gilmar Mendes negou o pedido, enfatizando que não havia nenhum "elemento novo" no parecer da PGR que justificasse a soltura de Battisti antes da decisão final do Pleno do STF. O relator afirmou que não havia, no caso Battisti, "qualquer excesso de prazo imputável ao STF e que o processo e os incidentes a ele relacionados têm tramitado de forma regular na Corte". Na decisão do último dia 16, o ministro relator antecipou que o exame da controvérsia estava próximo. Logo depois foi pedida a inclusão do caso em pauta e designado o dia 1º de junho para seu exame.

Como o relator afirma que o processo do italiano seguiu trâmite regular na Corte, sem "qualquer excesso de prazo imputável ao STF", o mesmo esperamos com relação ao processo do "Mensalão", para que a turba denunciada não se beneficie de eventual "excesso de prazo", como, por aí, já alardeado.

JabaNews

Cofre do Palocci


(Marcos Roberto, Tribuna do Planalto)

A infância de Paloccinho


(Blog do Amarildo)

Blindagem ....... ???!!!


(Iotti, Os Diaristas)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Estado de Zona

O “Estado de Direito”, segundo estudiosos, doutrinadores, juristas etc., expressão que muito encanta a turma das togas superiores, no espocar de suas eruditas e cultas manifestações, significa o Estado juridicamente organizado e obediente às suas próprias leis, interessante conceito a ser alocado nos “livo” que o MEC insiste em distribuir.

Não se faz necessário, diante do que vem acontecendo de alguns anos para cá, dedicarmos linhas e mais linhas para demonstrar que aquele Estado, obediente às suas próprias leis e juridicamente organizado, não sobrevive ou ultrapassa aos meios acadêmicos, já que, fora deles, tornou-se nada mais que uma piada, o “Estado de Zona”, de uma bela zona, de uma bela bagunça, para dizer o mínimo; basta ver a turma que flana saltitante e “saltimbanco” por aí.

JabaNews

Olivetto





JB01
por e-mail