Páginas

quinta-feira, 16 de junho de 2011

País de escrotos e párias ou escrotos e párias do País?!

Na série iniciada com “Brasil não é Holanda”, já se vão quase 8 anos e 6 meses de governo nos quais, se alguma coisa de útil pode ser destacada, são os escândalos envolvendo todos da turma do poder e daquele que ainda insistem chamar de legislativo, enriquecidos com posicionamentos questionáveis de quem se diz defensor irrefutável da Constituição.

Durante este período, em que se levou o País ao fundo do poço da vergonha - para alguns nacionais - e para chacotas internacionais - para muitos - presenciou-se namoro explícito com republiquetas autoritárias, a destruição do patrimônio público, a roubalheira e corrupção desenfreadas, crimes de toda ordem, proibição de se algemar bandidos, por conta da dignidade humana, entre outras hipocrisias, rasgou-se a Constituição, desrespeitou-se às leis, testemunhou-se o compadrio criminoso com a ignorância, como, também, toda sorte de imoralidades, e nem falo dos níveis estadual e municipal, fomentou-se a instituição “frágil” do PUN – Partido Único Nacional -, já, agora, por demais fortalecido no “absolutismo” retrógado, rasgaram-se Tratados, para se negar extradição a um bandido comum, em hilários rompantes eruditos, ausentes de conteúdo, salvo ascendência explícita do PUN ou pura submissão, e ainda se falou na manutenção eterna de sigilo, para assuntos de Estado, por uma dupla de picaretas, com o apoio da guria das relações institucionais - algo sem definição - que ressalvou os “arquivos da ditadura”, sem falar nas duas vezes em que se foi o médico financista, blindado para salvar o que todos imaginam ou já sabem.

Do título da matéria, prefiro o segundo, porquanto, no primeiro - generalizado - encontrar-se-íam incluídos os decentes e honestos que ainda teimam, por aqui, levar a vida; portanto, o título é: "Escrotos e Párias do País", aqui presente o reino da “Bufunfa”, que é o que realmente manda.

Por isso retorno ao "soneto" da matéria anterior.

JabaNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário