Páginas

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Não dá para não acertar


A reportagem acima nos mostra que não dá para não acertar quando interpretamos os atos da bandidagem no poder, tendentes a afastar a imagem da corrupção que já corroeu até a própria alma, se é que os aúlicos as têm.

A reportagem nos mostra o quanto estávamos certos ao escrevermos as linhas "Bola da vez, Bela jogada", ou seja, separando o joio do trigo, desmistificando a "honesta" imagem desonesta.

JabaNews

terça-feira, 26 de julho de 2011

Comentários do Sicário em "Bode expiatório"

Jaba...

Li, hoje, que começarão a caça às bruxas da dieta militar. Em depoimento do sinistro da inJustiça, cujo nome desconheço mas tem uma cabeça que parece alegoria do carnaval de Pernambuco ou melhor, um boneco de Olinda, onde ele repete a ladainha que as "vítimas" foram perseguidos politicos.
Como não há uma única voz que diga que os "perseguidos" eram ladrões de bancos, sequestradores, assassinos, mutiladores que se esconderam a até hoje se escondem atrás de uma ideologia, hoje no poder, os criminosos partem para a vingança.
Sinceramente, um ativista do nível do norueguês se daria bem no Brasil afinal é um criminoso político ou será que crimes ditos políticos somente tem validade para esquerdopatas?

abs.

Sicário

Olá Sicário,

Alegoria de carnaval ou boneco de Olinda é muito bom, talvez, por isso, que de lá nada venha que preste, só as ladainhas que dizes em seus comentários.
Para defender os "acusados" contra essa turma de criminosos que comanda o País, poder-se-ía criar a Comissão da Verdade Terrorista, Guerrilheira, ou qualquer outro nome, e levar os caras para os Tribunais; foram anistiados? os militares também, assim disse o Supremo.
Mas se promovem ações contra os militares, pode-se, também, promover ações contra a bandidagem que ainda está viva, e seria até interessante para observar o comportamento dos juízes.
Permanece na idéia, medidas extremas temporárias.

Abs.,

Comentários do Sicário em "E vamos de STF, mais uma vez"

Jaba...

A legislação determina que o juiz se declare impedido mas.....Toffoli é detentor de notório saber "jurídico" e também é notório que seu padrinho O Acéfalo desdedado não gostaria que ele deixasse que uma atitude ética maculasse seu trabalho.
Toffoli deve ser um exemplo da classe emergente, tão alardeada pela quadrilha no poder, que está em condições de viajar em avião à Europa. Mais do que saber quem custeouo a viagem eu gostaria que os jornalistas perguntassem ao indicado à suma inteligência ministro pelego, como é que alguém que não é ÍNTIMO, é convidado para um casamento em outro continente!????

abs
Sicário

Olá Sicário,

Boa pergunta, mas a inteligência petista na imprensa "parece não chegar a tanto"; afinal, enquadrar o "cumpanheiro", não é o desejo final.

Abs.,

Comentários de O Mascate em "E vamos de STF, mais uma vez"

Meu caro, essa é a linha tênue entre o ético e o imoral que os PTralhas conseguiram apagar na vida das pessoas.
Para o Sinistro é normal fazer isso. Agora quer ver se essa mesma situação acontecesse com um Sinistro indicado pelo FHC no governo dele. O que a PTralhada e a imprensa amestrada estariam fazendo de barulho.
Esse senhor deveria pegar a toga e dar no pé, pois chegou lá apenas por ser amigo "del rey" e não por merecimento.


Olá O Mascate,
Seja na esquerda "light" ou em outra ideologia, a turba de criminosos já teria feito das suas, com a devida cobertura e apoio da imprensa, como dizes, amestrada.
O cara da reportagem não deveria nem ter assumido; já que assumiu, e com essa agora, deveria pedir as contas e ir embora para outras paragens.
Abs.,

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Diga não às drogas

“Diga não às Drogas” bem que poderia ser um bom “slogan” contra os poderes constituídos e contra a turma que neles orbita, que praticam toda sorte de crimes, sem a devida punição, tocando o povo, aqui dos pastos brasis, como se gado fosse, e digo isso sem faltar respeito ao gado.

O vídeo a seguir, encaminhado por JB01, cuida de 10 drogas e seus efeitos, não contemplando, porém, aquela outra, contudo, merece ser assistido:

video




Repassando: Educação

 A professora tem toda razão:
(JB01, por e-mail)

A Evolução da Educação:
Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia...
Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas...

Leiam o relato de uma Professora de Matemática:
Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la.
Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.
Por que estou contando isso?
Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:

1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda.
Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
(  ) R$ 20,00  (  ) R$ 40,00  (  ) R$ 60,00  (  ) R$ 80,00  (  ) R$ 100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
(  ) SIM  (  ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
(  ) R$ 20,00  (  ) R$ 40,00  (  ) R$ 60,00  (  ) R$ 80,00  (  ) R$ 100,00

7. Em 2010...:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
(Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder, pois é proibido reprová-los).
(  ) R$ 20,00  (  ) R$ 40,00  (  ) R$ 60,00  (  ) R$ 80,00  (  ) R$ 100,00

E se um moleque resolver pichar a sala de aula e a professora fizer com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos, pois a professora provocou traumas na criança.
Também jamais levante a voz com um aluno, pois isso representa voltar ao passado repressor (Ou pior: O aprendiz de meliante pode estar armado).

Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável:

Todo mundo está 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que se 'pensará' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Precisamos começar JÁ! Ou corremos o sério risco de largarmos o mundo para um bando de analfabetos, egocêntricos, alienados e sem a menor noção de vida em sociedade e respeito a qualquer regra que seja!!!


Perda da auto estima e do poder de indignar-se

PERDA DA AUTO ESTIMA E DO PODER DE INDIGNAR-SE
 
O caos econômico, financeiro e social ameaçam as Nações, nos quatro cantos do mundo, a começar pelos EEUU e União Européia.
O governo do Brasil, através da mídia subsidiada e da propaganda oficial, procura transparecer que o País está num mar de rosas, capaz de auto sustentar-se , mesmo que o caos assole nossos principais parceiros internacionais..
O governo mente, falseia a verdade, frauda as estatísticas , permite a corrupção e continua enganando o povo, como fez no último pleito eleitoral, quando com falsos discursos, elegeu a Presidente da República e a maioria absoluta do Congresso.
Estamos com uma inflação crescente e acima da meta estabelecida pelo próprio governo, praticamos a maior taxa de juros do mundo, não cumprimos o estabelecido no orçamento aprovado pelo Congresso, contingenciando a maioria dos orçamentos setoriais, comprometendo os principais programas do próprio governo, como os recursos destinados ao PAC I , à Saúde, à Educação, à Segurança Pública e até o destinado á Defesa Nacional, para citar apenas alguns setores contingenciados.
A economia nacional vem sendo sustentada pela exportação de “comodities”, especialmente minérios e cereais destinadas para as Nações que estão ameaçadas de entrarem em colapso e se tal ocorrer seremos arrastados para o buraco negro, sem termos mercados para escoar a nossa produção.
A indústria nacional está sem poder competitivo, em face da invasão da produção chinesa e mesmo a americana, agravada com a política cambial que supervalorizou o real, a precariedade da infra-estrutura básica como estradas, ferrovias, portos, armazéns, até que encarecem a produção nacional e comprometem a sua competitividade internacional.
O nosso agro-negócio e pecuária, na última década, foram os principais setores responsáveis de não termos entrado em caos, embora que o crescimento do Brasil tenha estado abaixo da média do crescimento mundial neste período , fato esse escondido habilmente pelo governo que se utilizou das chamadas políticas sociais como os “bolsas” ( família, presídio , etc.) , luz para todos ( por dois meses , pois sem pagamento a empresa concessionária “corta” e a energia fica no poste de frente casa), minha casa minha vida , com 15% do prometido realizado e a abertura de crédito sem critérios técnicos. Na verdade a produção em si é competitiva, mas com os gravames da falta de infra-estrutura, das altas taxas de juros, da falta de apoio à produção e a comercialização, a pulverização dos minifúndios patrocinados através dos assentamento oficiais, a ação criminosa do MST que não respeita a propriedade privada, etc. estão dia-a-dia desestimulando o tradicional produtor e criador rurais.
Estamos perdendo a competitividade, na área tecnológica, em face da péssima qualidade do ensino, os baixos investimentos no setor, a baixa remuneração de professores, cientistas e pesquisadores esquecidos dos ensinamentos decorrentes de termos perdido a era do carvão e depois a do petróleo.
A “Instituição” Brasil atravessa sérias dificuldades, em face das aberrações no desempenho dos três poderes da República, que não funcionam em harmonia, e interdependência. O Executivo atolado em corrupção, em fraudes administrativas, desvios de recursos públicos, em desrespeitos às leis e até mesmo da Constituição, e dos Poderes Legislativo e Judiciário. O Legislativo cooptado pelo Executivo não produz as leis essenciais para administração do País, legislando em atenção aos interesses corporativos e inconfessáveis do próprio Legislativo e principalmente, para atender o Executivo na sua política de perpetuação no poder. O Poder Judiciário vem legislando em substituição ao Legislativo a quem acusa de omisso. Por outro lado, a demora nos seus processos, protelando decisões de combate ao crime por mais de dez anos para quem pode pagar bons advogados, gerando a descrença popular na justiça que assiste, sem a devida atuação, a impunidade desbragada dos infratores da lei.
A falência dos três Poderes gera distorções, aberrações em todas as atividades econômica, política e social do País, tais como:
- Diariamente, são noticiados desvios de recursos públicos, locupletação das verbas federais do Estado, em todos os níveis da administração pública, federal, estadual, municipal e instituições;
- Diuturnamente, o crime organizado desafia o aparato de segurança, deixando o povo atônico com a incapacidade do Estado e falta de garantia à segurança dos cidadãos e das instituições;
- O custo de um parlamentar é mais de 120 vezes o custo de operário, mesmo o da indústria ou do comércio que são os mais bem pagos;
- Um motorista do Senado ganha mais por mês do que um oficial da marinha comandante de uma fragata ou de um porta – aviões;
- um deputado, ou senador ou juiz ganha os 13º, 14º e 15 º salários e cerca de três meses de férias por ano;
- Um ascensorista da Câmara Federal ganha mais do que um piloto de avião a jato , como piloto de um Mirage;
- Um “diretor” responsável pela administração da garagem do Senado ganha mais do que um Oficial General do Exército habilitado para comandar o Comando Militar da Amazônia ou do Nordeste , ou um Exército de Campanha, com 100 mil homens,;
- Um “diretor” do Senado, instalado numa pequena sala, tendo dois auxiliares burocratas, a sua disposição, ganha o dobro de um professor universitário, com mestrado, doutorado e com prestígio internacional;
- O SUS paga a um médico, por uma cirurgia cardíaca R$70,00, igual a diária de um faxineira;
- O MST prossegue impune como entidade sem registro, mas aquinhoado com recursos governamentais, mais adestrado, mais agressivo, face a de criminosos presos, mas nada paga para as famílias das vítimas destes criminosos;
- As chamadas políticas sociais acirram as dicotomias sociais: dos negros, dos índios, dos quilombolas, dos pervertidos sexuais, dos estudantes, dos beneficiados com “bolsas”, dos maconheiros, dos bandidos presos ... e afirmam que tudo está sendo feito pelo social;
- O governo procura por todos os meios desarmar os homens de bem .... os criminoso , os políticos corrompidos, a comunidade do crime organizado agradecem;
- O Executivo incentiva a poupança, quando sabe que ela rende menos que a inflação ... tudo no governo é mentira e não merece crédito;
Estamos concluindo, suplicando a indignação do povo diante do quadro acima descrito enfatizando mais - o governo permite a venda e revenda de cargos, de mandatos de autoridade, inversões salários, subversão de valores, manipulação do orçamento para cooptar parlamentar, superfaturar as obras públicas para locupletar-se e/ou locupletar Governadores, Senadores, Deputados, Prefeitos, Secretários de Estado, Gestores das estatais, Empreiteiras do serviço público“ etc..

ESTE ARTIGO FOI ESCRITO PELO CEL ÉLIO BRAGA.


GRUPO GUARARAPES








domingo, 24 de julho de 2011

Comentários do Sicário em "Punição: realidade ou sonho"

Jaba...

Os significados de justiça e punição no Brasil petista, ganhou outra dimensão, tem outro significado. Basta verificar o recente caso de Cesare Battisti, defendido e protegido no país de Lula e Tarso Genro, no Brasil do PT. Os crimes cometidos pelo assassino Battisti foram relegados a segundo plano a ponto de ser desqualificado como crime político e como se a morte de pessoas por criminosos políticos fosse aceitável, compreensível, justificável.
Com este exemplo temos a noção da justiça e punição do socialismo moreno. Na verdade o caso Battisti e a arbitragem de fiança, por delegados, em crimes de menor potencial ofensivo, demonstra uma forma da politicalha no poder defender-se no futuro e também de defender seus pares, os criminosos ditos comuns.
No Brasil vermelho, no Brasil dos Bastos, Greenhalgs, Amorins e Genros, as instâncias superiores na teoria, são inferiores na submissão aos interesses de quem os apadrinhou.
Infelizmente, nós não somos um país, uma nação. Somos grupos de pessoas que falam o mesmo idioma e que veem o Brasil podre, como sendo dos outros. Quando tivermos noção de que nós fizemos e mantemos o que hoje se apresenta, teremos condições de matar a doença que nos corroe. Se corruptos suicidam-se em outros países pq. os nossos tem de permanecer vivos?

abs.

sicário

Olá Sicário,

O sentimento de punição, realmente, inexiste no País, dado ao rol de crimes já conhecidos que, na sua esmagadora maioria, não se sujeitaram às sanções correspodentes, salvo a da absolvição ou do arquivamento que, na verdade, transformaram-se nas "sanções correspondentes".
Isso é triste, muito triste, talvez para o ano, como disse na matéria, se edite um nova página no diário criminal brasileiro; sem ser cético, tenho cá minhas dúvidas.
Por isso que medidas extremas poderiam ser bem vindas, para matar a doença que corroe o País.
abs.,

Comentários do Sicário em "Myrian Rios"

Jaba...


Ontem foi publicada,23/07, em um jornal de Porto Alegre, a notícia de que as direções da rede globo e o sbt (dois dos grandes imbecilizadores da sociedade) deram ordens para autores e assistentes controlarem a questão homo em suas "obras". Acredito que seja um começo.
A bem da verdade e ela deve ser dita, escrita, nem no racismo, a meu ver ato infinitamente mais degradante do que preconceito contra homos, as campanhas dos meios de comunicação foram tão insistentes e cansativamente mostradas quanto a exposição de personagens gays em novelas nas quais só falta afirmar que é anormal ser hétero.
Com relação ao pronunciamento da sra. Miriam Rios, só posso parabenizá-la pq. mesmo existindo preconceito contra homossexuais, o fato de alguns serem "perseguidos" não os SANTIFICA e tampouco os deixa acima das leis. A democracia morre aos poucos, enquanto a ditadura do politicamente correto continuará agindo para expor qualquer um que se oponha a idiotização do Brasil.
Quer aceitem ou não..ainda tem pessoas inteligentes no país e que conseguem pensar por si próprias, não sendo coordenadas por partidos políticos interessados em causas próprias.


abs


Sicário


Olá Sicário,

A questão aqui no Rio, independentemente do que disse a Deputada, está mais para interesses futuros de urnas do que propriamente a defesa de excessos.
O defecante que governa o Estado não está nem aí para o que acontece com a turma da viadagem, só interessa os frutos que pode obter com a hipocrisia.
E como hipocrisia, quem deveria ir em cana é o próprio, com aquela turma, que procura obter direitos acima dos que pode ter, acima dos da sociedade.
Abs.,

Jogos Militares

Enquanto a corrupção e a roubalheira correm soltas no País, acabei de asssitir na TV que, nos Jogos Militares, o Brasil lidera o quadro de medalhas.
Parabéns aos esportistas das Forças!



JabaNews

sábado, 23 de julho de 2011

Enxugando


(Blog do Amarildo)

E vamos de STF, mais uma vez

Matéria do Blog do Noblat:

 

"Tóffoli diz que pagou viagem para ir a casamento na Itália


O ministro do STF, José Antônio Dias Tóffoli - Foto: / André Coelho
O Globo
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) José Antônio Dias Tóffoli deixou de comparecer a quatro sessões da Corte para ir ao casamento do advogado criminalista Roberto Podval, na Ilha de Capri, sul da Itália.
Atuante no STF, Podval é advogado de processos relatados por Tóffoli. O ministro informou ontem, por intermédio de sua assessoria, que não vai abrir mão de relatar esses casos nos quais Podval é advogado. Tóffoli também informou que pagou a sua passagem, mas não esclareceu quem custeou a hospedagem.
De acordo com o jornal "Folha de S. Paulo", Roberto Podval pagou dois dias de hospedagem para cerca de 200 convidados no Capri Palace Hotel, um cinco estrelas cujas diárias variam de R$ 1.400 a R$ 13,3 mil. O casamento foi em 21 de junho.
Tóffoli, que chegou do período de férias na Europa na terça-feira, informou, por intermédio de sua assessoria, que não é "íntimo" de Podval e já participou de julgamentos nos quais votou, inclusive, em desacordo com os interesses do advogado.
A legislação determina que o juíz deve se declarar impedido quando é "amigo íntimo" do defensor de alguma das partes"

O que fazer?!

JabaNews

Vizinhos: Genialidade


Vizinhos

Um cidadão de Utah, Mark Easton, reclamou na prefeitura local que a casa que o seu vizinho havia construído diante da dele era 50 cm mais alta do que a norma permitia e que, por isso, destruía a visão das belas montanhas.


A prefeitura então ordenou ao vizinho que corrigisse a construção, 50 cm mais baixa.


Meses depois a prefeitura recebeu novamente uma outra queixa de Mark Easton reclamando que, ao reconstruir, o vizinho havia colocado novas janelas que ele realmente não apreciava.


O pessoal da prefeitura resolveu ir ao local para averiguar, e fez as fotos que você vê abaixo...






Bode Expiatório

No momento em que a nefasta Comissão da Verdade volta à cena, na conta da "pena" do "sujeito" que ocupa a pasta da Justiça, vale recordar:


O "BODE EXPIATÓRIO"
// Essa luta não é minha//
Por Carlos Alberto Brilhante Ustra

Aí está um exemplo bem característico da “verdade” que interessa à “Comissão da Verdade” e a muitos que desfrutam das benesses do poder! O que deveria interessar a todos é a verdade sufocada, mas não lhe fazem coro ou eco! Gen Ex José Carlos Leite Filho.
=============================================================

08/07 - O "BODE EXPIATÓRIO”.
Essa luta não é minha
Por Carlos Alberto Brilhante Ustra
Matéria editada pelo site www.averdadesufocada.com
"O Tribunal de Justiça de São Paulo marcou a audiência da ação movida pela família do jornalista Luiz Eduardo Merlino no dia 27 de julho, às 14h30, no Fórum João Mendes, no centro da capital paulista. O Tribunal ouvirá as testemunhas da tortura e morte do jornalista Luiz Eduardo Merlino em audiência da ação movida por sua família contra o coronel reformado do Exército Brasileiro, Carlos Alberto Brilhante Ustra. Entre as testemunhas arroladas por Ustra está o presidente do Senado José Sarney. Merlino foi morto em São Paulo, em julho de 1971, nas dependências DOI-CODI, centro de tortura comandado por Ustra entre outubro de 1969 e dezembro de 1973.
Texto completo
A audiência acontece no mês em que se completam 40 anos do assassinato do jornalista.(...)
Merlino era jornalista. Trabalhou nas publicações Jornal da Tarde e Folha da Tarde. Era militante do Partido Operário Comunista (POC).”
Processo 5830020101755079"
http://www.conjur.com.br/2011-jul-01/coronel-ustra-julgado-tortura-morte-jornalista

MINHA LUTA.
Tenho rebatido todas as acusações feitas sobre minha conduta no comando do DOI - CODI do II Exército no período de 29/09/1970 a 23/01/1974. Não uso apenas palavras, nem apresento testemunhas que estejam ligadas aos órgãos de informações envolvidas pessoalmente ou emocionalmente nos mesmos casos. Apresento fatos, dados, datas, números de Inquéritos Policiais e IPM - números de processos arquivados no STM e versões dos próprios ex-militantes da luta armada, muitas das quais, a cada hora, voltam a ser apresentadas de formas diferentes.

Desmenti a farsa da então deputada Bete Mendes, no livro Rompendo o Silêncio. Com atuação medíocre no Congresso Nacional, expulsa do Partido dos Trabalhadores e sem partido, Bete Mendes, meteoricamente, tornou-se uma celebridade nacional. Nem a imprensa, nem o Congresso fizeram à denunciante as perguntas necessárias para tornar mais objetivas as acusações que fazia. Ninguém exigiu provas. Da parte dela, do Congresso, das Instituições, o assunto morreu depois do livro. A sua mudez, desde então, embora excepcionalmente reveladora, nunca foi convenientemente explicada. Para a imprensa, continuo como torturador de Bete Mendes
A revista Época, dessa semana, 04/07, publicou que, quando Bete Mendes me acusou de tê-la torturado, fui destituído do cargo de Adido do Exército junto à embaixada do Brasil no Uruguai, o que não é verdade. Tive todo o apoio do ministro Leônidas Pires Gonçalves e do senador José Sarney. Se têm memória, podem comprovar isso.

Desmontei a farsa da "vala dos 'desaparecidos' do Cemitério de Perus", mas continuam a dizer que a vala de Perus era clandestina.
Mostrei que os "desaparecidos de Perus" eram enterrados com os nomes falsos que usavam, mas, na irrestrita exigência das leis vigentes no momento, eles tinham seus registros nos livros do cemitério.

Provei com documento (radiograma do II Exército, publicado em minhas Folhas de Alterações), que no dia em que Ivan Seixas, filho de Joaquim de Alencar Seixas, me acusa de invadir e saquear sua casa, torturar e de matar seu pai a pancadas eu estava em repouso, em minha casa, por determinação médica, por ter feito na véspera uma cirurgia de amígdalas. Mesmo assim, cópias do documento que foram entregues a alguns jornalistas foram simplesmente ignoradas .

O juiz da 23ª Vara Cível de São Paulo julgou improcedente a acusação da família Telles de que eu sequestrara e torturara os filhos de Maria Amélia Telles, Janaína e Edson. Entretanto, mediante a palavra dos cinco membros da família e das declarações de testemunhas, ex-militantes de organizações terroristas, me julgou responsável, em 1ª Instância, por ter submetido Maria Amélia, seu marido e sua irmã Criméia a torturas. Meus advogados recorreram à instância superior. Continuo sendo chamado de torturador e sequestrador, não só dos pais e de Criméia, mas, também, das crianças.

Desmontei, em artigo publicado na Folha de São Paulo, com datas, nomes, número de Inquérito Policial -IP - e número de processo arquivado no STM a farsa de Pérsio Arida , dizendo-se enviado para a Polícia do Exército do Rio, para lá ser torturado. Continuo afirmando : durante o meu comando isto não aconteceu. A última palavra na Folha foi de Pérsio Arida, desacreditando o IP e o processo arquivado no STM. Agora recorrem ao Judiciário a bel prazer. A Justiça para eles é de mão única.

Para aqueles que não agem por revanche, mas que querem conhecer a verdade, escrevi dois livros: “Rompendo o Silêncio”, em 1987, que chegou à 3ª edição e ficou por três semanas entre os mais vendidos, e “A Verdade Sufocada - A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça” , em 2007, que também esteve entre os mais vendidos. Felizmente, apesar de todo o boicote dessa mesma mídia que me mantém na berlinda e me rotula de "torturador", meu segundo livro está na 6ª edição

Recentemente, em 06/07/2011, o Correio Braziliense publicou uma matéria intitulada “Tortura sem nenhum vestígio", em que consta a declaração de Hilda, mulher de Virgílio Gomes da Silva, "Jonas", um dos autores do sequestro do embaixador americano Charles Elbrick, em 1969, no Rio de Janeiro. Diz ela que "viu sua filha de quatro meses ser submetida a choques elétricos", no DOI de São Paulo.
É o não-senso de derrotados a quem só cabe acusar para explicar a derrota, culpando. Quem lê os relatos dos revanchistas, forma a ideia de que organizáramos uma mílicia que agia por conta própria , sem prestar contas a nenhum chefe imediato.
Na realidade os DOI eram unidades militares, com comandantes e agentes escolhidos e nomeados pelo general comandante da área onde estavam situados. Tínhamos normas militares, prestávamos contas de nossos atos aos nossos superiores, que, por sua vez, também prestavam contas aos seus superiores hierárquicos.
Por que eu, já que fomos tantos a comandar DOI pelo Brasil a fora?
Nessa guerra entrei de cabeça e nela arrisquei tudo o que mais eu prezava.

ESSA GUERRA NÃO É MINHA
Tenho pensado muito e cheguei a uma conclusão: essa guerra não foi minha. Ganhei, mas perdi. Agora é a vitória de graúdos. Graúdos derrotados e ressentidos por uma guerra que combati com risco da minha vida e da minha família. Eles estão no poder e eu sem poder nenhum, à mercê de acusadores sem prova e de inescrupulosos.
Por que eu tenho que ser julgado por ter sido nomeado para determinada função e a ter cumprido de acordo com as determinações da lei vigente na época - acabar a luta armada, juntamente com meus outros companheiros que ocuparam funções semelhantes ?
Fui mantido no cargo por três anos, 3 meses e 25 dias e, quando fui transferido, fui nomeado Instrutor Chefe do Curso de Operações, da Escola de Informação - atual Escola de Inteligência.
Fui condecorado com a Medalha do Pacificador com Palma e com a Medalha do Mérito Militar; recebi um comando muito bom e, finalmente, fui nomeado Adido Militar no Uruguai. Portanto sempre fui prestigiado.
Pensei muito e cheguei à conclusão que não sou eu que tenho que me defender. Essa guerra não é minha! Fui apenas o instrumento, o "bode expiatório" usado por eles para atingir a Instituição que lutou contra os que estão no poder. Além do mais, não tenho procuração para defendê-la.

Se as Instituições, aparentemente, não querem entrar na batalha da comunicação, se não se preocupam com o descrédito de seus Inquéritos Policiais, com a credibilidade de sua justiça , de seus Processos arquivados no Superior Tribunal Militar, por que vou eu continuar me desgastando, procurando dados, pesquisando em fontes, às quais nem sempre tenho acesso fácil, sobre casos que, lamento profundamente, foram inevitáveis ?
Apenas em consideração àqueles que sempre me deram apoio, pela última vez , vou falar sobre um processo. Não vou procurar dados, nem me desgastar atrás de IPs que não eram feitos por mim, e processos arquivados no STM, já que eles são desacreditados e ignorados sistematicamente pelos ex-militantes.
Vou transcrever o que lembro, 40 anos depois e que deve constar no processo de Luiz Eduardo Merlino.
Merlino era militante do Partido Operário Comunista (POC), trabalhava no Jornal da Tarde e militava clandestinamente. Esteve por alguns meses na França para fazer contatos com membros da IV Internacional, de orientação trotskista e participou do 2º Congresso da Liga Comunista .
Ao voltar, foi preso e, depois de interrogatórios, foi transportado em um automóvel para o Rio Grande do Sul, a fim de ali proceder ao reconhecimento de alguns contatos que mantinha com militantes, Na Rodovia BR- 116, na altura da cidade de Jacupiranga, a equipe de agentes que o transportava parou para um lanche ou um café. Aproveitando uma distração da equipe, Merlino, na tentativa de fuga, lançou-se na frente de um veículo que trafegava pela rodovia. Se bem me lembro, não foi possível a identificação do veículo que o atropelou. Faleceu no dia 19/07/1971, às 19h30min horas , na Rodovia BR-116, vítima de atropelamento.

Como acontecia, em todos os casos em que um preso falecia, era aberto um Inquérito Policial no DOPS/SP e o corpo era submetido a autópsia no Instituto Médico Legal - IML - de São Paulo. Posteriormente, o inquérito era encaminhado à Justiça.
Hoje, quarenta anos depois, se houve ou não tortura é impossível comprovar.
Assim, os acusadores tentam "provar" as supostas torturas, desacreditando as provas materiais, o inquérito policial e os laudos do IML , e, baseando-se unicamente no testemunho de ex-presos, todos antigos militantes e companheiros de ideologia da luta armada, no caso, da mesma organização POC.
Não foi o primeiro, nem o último que teve essa atitude trágica, pelos seus ideais de luta contra a lei e a ordem:
"o depoimento de Etienne faz falta, principalmente levando-se em consideração o seu currículo: linha de frente no sequestro do embaixador suíço Giovanni Bucher; presa e torturada, inventou um ponto em Cascadura (RJ) e, para não entregar nomes jogou-se sob um ônibus" (Flávia Gusmão - Luta Armada é coisa de mulher" - Jornal do Commércio, de Recife, 22/07/1998).
.
Ela se refere a Etienne Romeu, da direção nacional da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). Felizmente não morreu.
A ALN em um documento sobre comportamento na prisão diz textualmente:
"O suicídio é uma mera antecipação de uma morte certa. Morrer é passividade, mas matar-se é ato".
Segundo Taís Morais e Eumano Silva, em seu livro Operação Araguaia - Geração Editorial, página 95:
"O partido preparava militantes para morrer na luta. Apanhados, jamais deveriam colaborar com a repressão. Nada poderiam revelar que ajudasse na captura dos guerrilheiros, mesmo torturados. Muitos guardavam a última munição para cometer suicídio, em caso de prisão".

Tenho a consciência tranquila do dever cumprido. Fui designado para uma missão, como poderia ter sido para qualquer outra e procurei cumpri-la da melhor maneira possível. Arrisquei minha vida e a de minha família lutando por aquilo que acreditava - a liberdade, a democracia . Sabia que aquele período de exceção era passageiro e que durou mais tempo do que deveria, exatamente por causa da luta armada.
Lamento a morte de brasileiros, que, fanatizados por ideologias há tempos abandonadas pelo mundo civilizado, se lançaram em uma violência que teve que ser reprimida com armas. É bom ressaltar que não lutamos contra estudantes desarmados. Lutamos contra pessoas dispostas a matar ou a doutrinar as massas para conseguirem mais adeptos para a luta armada. Lutamos contra pessoas como as que se orgulham de terem praticado atos como estes narrados nos vídeos abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=rWZUhnGsavc&feature=player_embedded - Depoimento de Carlos Eugênio Sarmento Coelho da Paz - Clemente - ALN
http://youtu.be/ATte_AsJSL8 - Depoimento de " Clemente" no Fantastico sobre "justiçamentos" de companheiros. ALN
http://youtu.be/aCLfMNVHqOY - A verdade sobre a morte do Coronel Alfeu está no livro A verdade sufocada 6ª edição - página 500 - MRT
http://youtu.be/BppDahVwtpo - Dep de Ivan Seixas modificado depois de vários anos afirmando que eu havia pessoalmente torturado e matado seu pai a pancadas - MRT
http://www.sbt.com.br/amorerevolucao/depoimentos/?c=162 - Dep de José W. Melo que presenciou o atentado ao Quartel do II Exército - VPR
http://www.sbt.com.br/amorerevolucao/depoimentos/?c=201 - Depoimento de Jaime Dolce que perdeu o pai Cardênio Jaime Dolce - ALN
http://www.sbt.com.br/amorerevolucao/depoimentos/?c=205 - Depoimento de Orlando Lovecchio , vítima de um atentado a bomba - ALN
http://youtu.be/lXcP8bTAK04 - Depoimento de Franklin Martins e outros companheiros sobre o sequestro do embaixador americano.- MR-8

O GRUPO GUARARAPES CONHECE QUEM É O CORONEL CARLOS ALBERTO BRILHAMTE USTRA. NÃO MENTE. NÃO ROUBA. CONSCIÊNCIA CRISTALINA. CARÁTER FIRME, ILIBADO, PURO E SEM MANCHA.
OS QUE ATACAM O CORONEL ESTÃO ENVOLVIDOS EM CENTENAS DE INQUERITOS.
AGORA, FICA MAIS DO QUE PROVADO QUE SE O GOVERNO ANTERIOR HAVIA ROUBO DE TODO TIPO, NO ATUAL A PRESIDENTE NÃO PODE TRABALHAR POR PUBLICAÇÃO NOS PRINCIPAIS E REVISTAS DO PAÍS DE ASSALTOS AOS COFRES PÚBLICO DA NAÇÃO BRASILEIRA.
SÓ DOIS EXEMPLOS VERGONHOSOS: PALOCCI E NASCIMENTO.
1964 FOI A SALVAÇÃO DA DEMOCRACIA BRASILEIRA E O CORONEL USTRA UM DOS ESTEIOS DA VITÓRIA.
AGORA, TEMOS QUE SALVÁ-LA DO ASSALTO AOS COFRES PÚBLICOS ANTES QUE A NAÇÃO VÁ A FALÊNCIA.


GRUPO GUARARAPES

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Myrian Rios

Myrian Rios presidente do Brasil: “Na minha casa mando eu!”


Mulher pró-vida, mãe, religiosa e mineira. Qual o crime de Myrian Rios? Destaque nos Trend Topics Brasil, lista de assuntos mais comentados do Twitter, a atriz, apresentadora da TV Canção Nova e deputada estadual pelo Rio de Janeiro ousou dizer, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, o que todo cidadão brasileiro pensa: o Estado não tem o direito de invadir o espaço privado da família para criminalizar a opinião. Foi isso o que a deputada estadual manifestou no dia 22 de junho próximo passado(http://diasimdiatambem.com/2011/06/26/myrian-rios-contra-pl122-carioca/) ao dizer, em linguagem popular, que não deixaria os filhos dela aos cuidados de um homossexual que pusesse em risco a educação que ela dá aos meninos dela.
Myrian tem esse direito! E por isso votou contra a PEC 23/07, um projeto de emenda constitucional do Estado do Rio de Janeiro que, a exemplo do PL122, criminaliza qualquer empregador que dispense empregados por motivo de sexo, orientação sexual e identidade de gênero, bastando para isso que o empregado alegue tratamento “homofóbico” da parte do empregador. A deputada expressou sua reprovação quanto isso e demonstrou que o texto do projeto permite que pessoas mal intencionadas tenham o direito de permanecer onde não são desejadas. Myrian exemplicou com casos hipotéticos envolvendo uma babá lésbica e um motorista gay, ambos libertinos. O projeto de lei quer cadeia para quem se atrever a demitir um libertino caso ele seja homossexual.
A atitude foi mal recebida por alguns veículos de comunicação com agenda gayzista e repercitiu no Twitter, quando pessoas indignadas começaram o linchamento moral de Myrian baseados na falsa argumentação de que ela acredita ser imoral dar emprego a homossexuais. O absurdo foi planejado para desqualifurcar a deputada e ganhou corpo devido à gravação do discurso de Myrian na Assembleia.
No discuso, Myrian fala de pedofilia para exemplificar o ridículo do projeto de lei que privilegia cidadãos por fazerem sexo com pessoas do mesmo sexo. Ela sugere uma situação extrema na qual poderia descobrir que tem um funcionário pedófilo. Se ele for hétero, poderá ser demitido sem muitos problemas. Mas se for gay e alegar que a demissão dele tem a ver com o fato de ser gay, ainda que isso seja mentira, a palavra do empregado gay, neste caso, manda o empregador para a cadeia.
Sugiro repassar a imagem Myrian Presidente para o maior número de blogs que puderem. Esta é uma forma de apoiar a deputada que está sendo ridicularizada por vários adeptos da ideologia gay.
Wagner Moura
 http://vindodospampas.blogspot.com/

A crise brasileira

A CRISE BRASILEIRA!
“QUEM SE DESCULPA SE ACUSA”
AUGUSTUS, Imperador Romano, (63 a.C – 14 d.C)
Já lá se vão anos e o tempo correndo e vozeia-se, fala-se e grita-se que estamos em crise. Os cegos políticos vão alardeando que é uma CRISE política. Os economistas baralham os números e afirmam que ELA é econômica e os sociólogos, jornalistas e outras especialidades enxergam o viés social, levando até para a luta de classe, pregando democracia e igualdade, quando já foi democracia e liberdade.
Estas crises (política, econômica ou social, militar não mais) podem sofrer tratamentos diversos. No primeiro caso, há pelo mundo afora e aplica-se o fechamento do Congresso, substituição de presidente, reformas constitucionais etc. No segundo caso fecha-se o câmbio, aumenta-se impostos ou emissão de moeda, aumenta-se a dívida etc. Já no campo social vai se aumentando as promessas como plano de construção de casa, bolsas de ajuda de diversos tipos, distribuição de leite. Aplica-se o grande remédio usado pelos romanos: PÃO E CIRCO.
Todos os remédios empregados acima já foram ou estão sendo aplicados no Brasil. O importante é que a CRISE continua e cada dia mais grave. Os doutos esquecem que há em curso uma CRISE muito mais grave. Há no Brasil uma CRISE GRAVÍSSIMA, que a CRISE ÉTICA E MORAL. Tudo é válido por um apartamento de seis milhões, por um BMW e por uma mulher, nova bonita e cheirosa como canta a canção popular: “que é o que faz um homem chorar”.
A história está aí para ser lembrada. ROMA dominava o mundo e a Crise Moral a destruiu. A mulher romana, as mães dos filhos que constituíam as Legiões, deixou de ser a coluna que sustentava a sociedade romana, para se deleitar nos banhos públicos e a Águia Romana sendo conduzidas pelos soldados pagos de outras culturas. Continuemos na história. Vem a Revolução Francesa. A sociedade apodrecendo e o brilho das madames Pompadour ou das Du Barry satisfaziam aos corruptos e pervertidos da época (casa da luz vermelha). Disse o Barão de Turgot, seu ministro da fazenda, ao rei LUIS XVI: “temos que evitar inadimplência, evitar aumento de impostos, evitar empréstimos”. A corte foi contra Turgot e o Rei perdeu a cabeça na guilhotina. O sangue correu nas sarjetas das ruas de Paris. Sangue de inocentes e culpados, inclusive a cabeça da Du Barry rolou. Passemos à Revolução Russa. Quem conhece a história da Rússia sabe que o sistema implantado a ferro e fogo por Ivan o Terrível, foi se deteriorando. A sociedade cheia de vaidades e pompas pisava no povo. Ainda algumas medidas foram tentadas. Explodiu face as derrotas em 1910 e 1917 e a franqueza e a podridão que moravam nos PALÁCIOS, onde RASPUTIN era o símbolo da degradação moral.. PAZ, TERRA E PÃO eram as novas promessas. Quem conhece o livro, STALIN – A corte do TZAR Vermelho” - pode compreender o sofrimento de um povo. Os Gulags, os milhões mortos pela fome, pela guerra e pela estatização da terra pode entender a desgraça da CRISE MORAL E ÉTICA numa sociedade. Um outro exemplo é Hitler com a promessa da purificação da raça e a Alemanha dona do mundo. Stalin e Hitler são os maiores assassinos do século XX e tudo prometeram. Chega de história, pois temos aí CUBA e outras promessas de liberdade, vida fácil e os pelotões de fuzilamento matando em nome da liberdade.
Voltemos ao Brasil. Vamos para a “ilha da Fantasia” – Brasília – onde as casas suntuosas, os desfiles de mulheres bonitas, as festas disputadas pelos que procuram o brilho do dinheiro fácil. Risos vulgares, amizades conquistadas pela hipocrisia do fausto. É o mundo deslumbrante dos Palácios, onde os decotes mostram os seios que não amamentam os filhos da Pátria (Legiões) e sim, o brilho dos olhos decrépitos carcomidos pela ganância do PODER.
As CRISES PALOCCI, MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, CAMPINAS, E OUTRA E OUTRAS são apenas a continuação da degenerescência da SOCIEDADE BRASILEIRA. Vão ao SENADO e falam mentiras, lorotas, gabolice, tentando enganar, fraudar, falsear a VERDADE e há senadores que batem palmas falsas
A última crise ou a próxima confirmam o que disse AUGUSTUS: “QUEM SE DESCULPA SE ACUSA”. Até o ex-presidente correu à capital para se desculpar e colocar em forma os corruptos e defender o indefensável. A autoridade da Presidente foi pisada e ELA, também, obrigada, como LUIS XVI, ficou com a corte e pode perder a cabeça amanhã.
Diz um ditado chinês: “podemos escolher o que queremos plantar, mas colhemos o que plantamos”. Estão plantando MENTIRAS e não irão colher VERDADES.
GENERAL DE DIVISÃO REFORMADO
FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO


GRUPO GUARARAPES

Corrupção Nacional

Bordeaux, França, 19 de julho de 2011: anunciada construção de um novo estádio para a Eurocopa 2016. Custo: 168 milhões de euros = R$ 380 milhões.
São Paulo, Brasil, 19 de julho de 2011: anunciada construção do estádio do Corinthians, pela Odebrecht, para 2014. Custo: R$ 820 milhões.
JabaNews

Desgraça pública

DESGRAÇA PÚBLICA
Quando vejo aumentar o número de DAS só me lembro do aumento da burocracia. Mais papeis e muitos carimbos. Todo brasileiro precisa ir até o gabinete de uma prefeitura do Brasil, de norte a sul ou de leste a oeste. Teremos um guarda na porta conversando e na primeira sala, no mínimo três mesas, com computadores e uma conversa sem fim. Nas câmaras das mais de 5.000 prefeituras, há mais funcionário do que cadeira e mesa. È só fazer a experiência. Todos mamando nas tetas do governo.
“A coisa mais importante e mais decisiva, nessa mudança, é que, na mata todos tinham se engajado por uma causa, dispostos a sacrificar a vida. Hoje, vivendo confortavelmente em palácios, cercados por exércitos de empregados e guarda-costas, vocês perderam a grandeza de alma dos homens honestos. A riqueza e a glória transformaram o homem em animal doméstico”. Esta grande verdade é escrita por Duong Thu Huong, grande escritora vietnamita, que foi presa por defender os direitos humanos, na sua terra Natal.
“Desprezo as pessoas sem educação e os ignorantes. Desprezo as pessoas pomposas e falsas. Desprezo os invejosos e os insignificantes. Desprezo as criaturas pequenas, que não têm vergonhas de ser tão pequenas e inúteis”. (John Fowler no seu livro o COLECIONADOR)
“Amo a liberdade, a honestidade e generosidade. Amo criar, amo fazer, amo viver uma vida cheia. Amo tudo o que não está imóvel, que não está morto. Amo todo aquele que não copia, e sim, aquele que cria para a grandeza do espírito”. (gen Torres de Melo ao deixar o cargo de vereador de Fortaleza).
Esta introdução faz-se necessária, pois o Brasil vive um momento sem grandeza. Roubam-se e batem-se palmas. Avança-se no dinheiro público e elege-se senador. As catástrofes são aproveitadas pelos demagogos e a verba enviada para amenizar o sofrimento dos atingidos pela força da natureza é raptada pela canalha.
Pregavam honestidade e tornaram-se gatunos da coisa pública. Os escândalos - MENSALÃO – MINISTÉRIO DO TRANSPORTE E CASA CIVIL confirmam os raptos. Gritavam por liberdade e tinham-na, e, no PODER, defendem assassinos, como o italiano BATTISTI, os assaltantes do MST ou o bandido ZÉ RAINHA.
“Tudo o que se faz grande no mundo foi feito sob o sentimento do dever. Tudo que se fez de miserável foi feito em nome do interesse”. (Lacordaire). O Brasil cresceu de 1964 até 1985, pois os governos pensavam no dever (Tucuruí, Portos, estradas, comunicações, pontes, hidroelétricas, exploração do petróleo em águas profundas etc). De 1985, até o dia de hoje, predomina o interesse PARTICULAR e temos os escândalos semanais. Escândalos envolvendo a corrupção, o roubo, o sexo, o poder e defesa da inversão de valores. Trocaram os dez mandamentos da Lei de Deus: 1°) amar a Deus sobre todas as coisas, mas, lutam por acabar com ELE; 2°) não tomar Seu santo nome em vão, mas apelam para ELE, na hora da morte com medo do inferno; 3°) guardar domingos e festas de guarda, mas, não trabalham também, às segunda e sexta-feiras; 4°) honrar pai e mãe, mas estão destruindo a família 5°) não matar, mas, a violência mata todos os dias da semana, aumentando a “produção” aos sábados e domingos; 6°) não pecar contra a castidade, mas pregam o amor livre para as filhas dos outros; 7°) não roubar, mas roubam do Estado, do vizinho e especializam-se em aumentar o preço das obras públicas; 8°) NÃO LEVANTAR FALSO TESTEMUNHO, mas criam a nova filosofia: A MENTIRA É A VERDADE ; 9°) NÃO DESEJAR A MULHER DO PRÓXIMO, mas agora é moda trocar de mulher por mulher nova, cheirosa e cintura fina e 10°) NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS mas, por isso, oficializou-se o roubo do dinheiro público.

GRUPO GUARARAPES

Corrupção Serrana

SEIS MESES DE ESPERANÇAS LEVADAS PELAS ÁGUAS DA CORRUPÇÃO
Por Lígia Bittencourt*

No último dia 12 de julho, completou-se seis meses do maior desastre natural ocorrido no país: as chuvas da região serrana, no estado do Rio de Janeiro.
Após seis meses, deparamo-nos com os sinais da tragédia por todos os lados. Bairros completamente destruídos, onde ainda repousam muitos corpos, continuam sem sinal algum de reconstrução. Pessoas solidárias, mas indignadas com as autoridades municipais, manifestam-se nas ruas exigindo que algo seja feito. Não se fala em outra coisa em ambas as cidades mais afetadas, Nova Friburgo e Teresópolis, e a pergunta que não quer calar ecoa pelos belos vales e montanhas: onde foi parar o dinheiro que deveria estar sendo utilizado na reconstrução de ambas?
Em seis meses, muito pouco foi realizado, e os recursos disponibilizados não foram utilizados corretamente. Políticos, sem cerimônia alguma, contrataram obras sem licitação, inclusive de empresas de fachada, aproveitando-se do estado de calamidade pública decretado na ocasião.
Quando da tragédia, a população se uniu e foi à luta, ajudando na limpeza, no amparo aos vizinhos que tiveram suas famílias destroçadas pelas águas, que perderam entes queridos, que perderam tudo, mas não a esperança por dias melhores. A esperança, essa os políticos estão tratando de enterrar.
Ao chegar a Nova Friburgo, já nos deparamos com as fendas de terra vermelha nos morros que circundam o centro da cidade, um dos lugares mais afetados. Na praça do Suspiro, a igreja de Santo Antônio está sendo lentamente restaurada. Localizada bem ao lado do que um dia foi um dos pontos turísticos mais procurados, o teleférico, a igreja ficou parcialmente destruída! Nada comparado ao estrago daquele ponto da cidade, onde a água chegou a cinco metros de altura, e a lama desceu, levando e destruindo o que havia pela frente. Meia dúzia de profissionais podem ser visto na encosta, cavando canaletas, e uma malha de aço será colocada para a contenção da mesma. Se chovesse forte hoje, toda a obra seria perdida, visto que, certamente, tudo viria abaixo.
Converso com um garçom de uma choperia, que não quis se identificar, localizada em frente ao que um dia foi o teleférico. Ele tem as imagens muito vivas em sua memória. A tragédia ocorreu às 1h. e 30 min. e ele estava lá. Seus colegas e ele tiveram que literalmente escalar o prédio localizado em cima do estabelecimento para escaparem da água vinda do rio que corta a cidade e da lama que desceu do morro. Perderam, todos, cinco veículos estacionados nas proximidades. Conta, com muita tristeza, a história de um médico da cidade, que perdeu a família toda na tragédia, e virou um mendigo que perambula pelas ruas. Sobre as autoridades, se revolta: “não estão fazendo nada. Tudo o que você vê são pequenas obras, mas no centro. E os bairros, e as pessoas que continuam em abrigos? O que esperar se o dinheiro sumiu?”, pergunta, desolado.
No mesmo dia 12 de julho, o Ministério Público Federal, pediu o afastamento do prefeito Demerval Barbosa Moreira Neto (PMDB-RJ) e do procurador geral do município, Hamilton Sampaio da Silva, mas a justiça negou. O MPF com a ajuda da Polícia Federal, vasculhou as secretarias municipais, todas localizadas no prédio da prefeitura e retiraram pilhas de documentos e ao todo, foram expedidos 40 mandados de busca e apreensão. Onde estava o prefeito nesse dia? Viajando, diz uma nota da Secretaria de Comunicação do município e retornaria naquele mesmo dia. Se retornou, ninguém sabe, ninguém viu. Onde foram parar os R$10 milhões de reais doados para as vítimas? O prefeito, seus secretários e o procurador devem muitas explicações à população desrespeitada em hora de tanta dor. O prefeito Moreira Neto, é neto de um dos maiores médicos de Nova Friburgo, Demerva l Barbosa Moreira, cujo o nome está gravado na principal praça da cidade. Que bela retribuição está sendo dada a um dos mais conceituados cidadão da cidade. A população, cansada, está se manisfestando nas ruas, e promete exigir que recursos supostamente desviados sejam retornados aos cofres públicos e aplicados na reconstrução da cidade! Enquanto nada é feito, trabalham e a vida vai voltando à rotina, mas o trauma está ali, estampado em cada cantinho da cidade.
Quem chega à Teresópolis, vindo de Nova Friburgo, ao mesmo tempo que fica encantado com as belas paisagens, observa estupefato, a força das águas e a lama que invadiram o cinturão verde localizado naquela área, que hoje se encontra verde novamente, graças aos agricultores que o restauraram. Percebe-se que o curso de um rio foi desviado por pedras que rolaram do alto de morros, mas ao entrar na cidade, parece que nada aconteceu! Deparamo-nos com uma grande avenida, dividida por um canteiro, e que tem como cenário ao fundo o “Dedo de Deus”, um dos picos mais alto da serra. A única obra em andamento que se nota é a reforma do canteiro central, na reta da avenida. Munícipes contam que o que fazem é desconstruir o que já estava construído, trocando tijolos da cor cinza e marrom, por outros de cor marrom e cinza, enquanto milhares de pessoas da própria cida de choram seus mortos, desgraças e a irresponsabilidades de suas autoridades. Nos bairros mais devastados, nada!
Converso com Leda, moradora de bairro próximo ao centro turístico da cidade. Ela me diz que só foi saber da tragédia por volta das 11 hs. da manhã: “aqui, no centro, não aconteceu nada. Só quando comecei a ouvir as sirenes e entrei na internet, soube. A cidade estava estranha, vazia. Eu jamais imaginei que isso pudesse acontecer”.
Por sua vez, os munícipes não se esquecem da onda de solidariedade que se viu na cidade, quando empresários, e moradores se uniram e ainda puderam contar com entidades de classe e os motociclistas - trilheiros, que chegaram primeiro aos locais arrasados e distantes, onde as pessoas padeciam de todas as necessidades: água, por exemplo.
Converso com Rafael, morador do bairro do Feu, e uma vítima da tragédia: “cheguei do trabalho à meia noite e 50 min. Fui dormir. À 1:30, fui acordado com a voz de minha sogra, aos gritos, pedindo que saíssemos pois estava tudo cheio d'água. Minha esposa e eu corremos para cima, pois morávamos no andar de baixo da casa de meus sogros, e vi que meu sogro estava tentando tirar a água que vinha de todos os lados. De repente, as casas, ao lado da nossa, começaram a cair. Casas, lama, tudo misturado de um lado e do outro. Corremos para a rua, onde outros moradores se encontravam, com suas roupas de dormir, todos assustados e sem saber o que fazer. Nossa casa foi a única que não caiu. As promessas foram muitas, inclusive o auxílio aluguel, afinal, não podíamos continuar em área de risco. No dia marcado para o cadastramento, encontrei uma fila muito grande. Meu sogro estava nela já fazia tempo e olha que cheguei às 8 hs da manhã. Fizemos o cadastramento mas nunca recebemos nada. Meus sogros retornaram para a casa deles, e estão em área de risco e eu e minha esposa estamos pagando aluguel. O que fizeram pelo bairro? Simplesmente nada”, conclui desanimado.
O bairro de Campos, um dos mais atingidos, é uma tumba a céu aberto. Pedras enormes soterram os moradores. Quantos? Ninguém sabe dizer ao certo. O cheiro da decomposição dos corpos pode ser sentido à quilômetros, e o “cemitério” natural lá está, intacto.
O prefeito Jorge Mário (PT-RJ), acusado de receber propina, nega as acusações. No dia 17 de julho, a CGU – Controladoria Geral da União – apontou desvios em obras de reconstrução da cidade. Os recursos destinados ao município pelo Ministério da Integração Nacional, no valor de R$ 7 milhões teriam sido usados por empresas de fachada ou fantasmas. Uma das empresas, a RW Construtora, que antes era uma vídeo-locadora, é uma delas. Ao tentarem entrevistar os responsáveis pela empresa, os repórteres encontram a porta fechada.
A partir dos indícios, as contas do município foram bloqueadas pelo Ministério Público. Praticamente todos os repasses federais não foram comprovados pela Prefeitura de Teresópolis.
A pergunta continua ecoando: onde foi parar o dinheiro?
Esperanças enterradas nas denúncias de corrupção. Presente nos olhares, o desalento, ao ver que seis meses depois, continuam sem nada, precisando de abrigos e da solidariedade da população. Que não são respeitados pelos representantes que eles mesmo elegeram: os larápios, que não respeitam a dor de centenas de pessoas e que se aproveitam da situação para enriquecer.
Mas o povo é guerreiro, e não vai desistir. A única coisa que precisam, e aliás, o Brasil precisa, é aprender a votar!

*Lígia Bittencourt é jornalista e tradutora técnica

SOLUÇÃO: TODA A POPULAÇÃO NÃO VOTAR EM NENHUM CANDIDATO INIDICADO PELOS POLÍTICOS LIGADOS À REGIÃO. COLOCAR PARA FORA PELO VOTO OS PREFEITOS, GOVERNADOR OU OUTRO POLÍTICO ENVOLVIDO. É UMA LUTA DO POVO CONTRA OS PÉSSIMOS BRASILEIROS.


GRUPO GUARARAPES

Sociedades Secretas


































JB01
por e-mail








quinta-feira, 21 de julho de 2011

Punição: realidade ou sonho?!

Punição, palavrinha tão antiga quanto a terra sob os nossos pés, que sempre guiou o sentimento do homem quando diante de situações que colocam em risco sua vida ou seus bens.

Dos tempos remotos, dos tempos em que o homem não conhecia o homem em “aglomerados sociais”, “tribais”, este sentimento, por razões óbvias, não existia, não só por desconhecimento do homem, mas porque mais um entre animais de espécie outra, a defender sua sobrevivência.

Na medida em que aglomerações foram se formando, já detendo o homem o conhecimento do fogo e de algumas armas, e já evoluindo de sinais e sons guturais para formas mais avançadas de comunicação, a punição ou o ato de punir passou a ter lugar nestas “sociedades”, como meio de proteção contra gaiatos externos e como meio de proteção interna contra os metidos a esperto, que se apoderavam dos pertences (caça e pele) dos outros “nacionais” ou, até mesmo, os matavam; a punição, única, era a morte.

No mundo atual, em que os Estados se transformaram em “potências”, e dividiram o poder na forma clássica, a punição tem sido aplicada em grande escala, nas suas diversas variantes, conforme sejam a cultura e a história de determinado povo.

Com os olhos voltados para o que se convencionou apelidar de “Ocidente”, e para o numeroso rol de crimes em que o homem, ao longo do seu “desenvolvimento intelectual”, se especializou, e que vieram a reclamar normatização ou codificação, as punições são praticamente as mesmas, ou “semelhantes”, salvo “Estados” outros que incluem em seu acervo a pena de morte.

As punições ou sanções têm por objetivo principal, primordial, a defesa da sociedade contra os transgressores dos direitos a ela assegurados e protegidos, consoante o grau cultural, histórico, civilizatório que tenha alcançado. E, neste escopo, qualquer ato que atente contra esses direitos ou que venha a violá-los deve, obrigatoriamente, com a submissão ao Poder competente, ser apenado segundo a gradação prevista na legislação específica editada para esse fim, obedecendo-se ao que se chama de devido processo legal.

Mas, a quantas anda o sentimento punitivo aqui na terrinha?

Talvez uma nova página se edite, com o julgamento do processo do “Mensalão”, no primeiro semestre de 2012, tal como anunciado pela corte das togas superiores, porquanto, até agora, o senso em questão só tem beneficiado àqueles que praticam toda sorte de crimes, notadamente os que orbitam no poder e os que dele fazem parte, com toda ordem de justificativas e construções jurídicas que fazem rir até quem não tem conhecimento dos meandros da legislação punitiva; quem as têm, resta o sentimento da vergonha diante de tanta hipocrisia, descaracterização dos fatos e da própria lei que devem ou deveriam defender e aplicar. Quem não se recorda do caso Daniel Dantas (2008) em que determinado Ministro, no recesso de meio de ano, anunciara, aos microfones televisivos, em outras palavras, claro – venha o “habeas” que será concedido?! E isso sem ler o processo, como afirmara?!

O sentimento, pois, punitivo, transformado em sentimento absolutório ao longo de anos sem fim, leva, evidentemente, para a sociedade a imagem de que, sob os mais díspares e reprováveis argumentos, ou até, vezes várias, confluentes, não há crime do qual o acusado não possa ser absolvido ou de ter o processo contra ele arquivado, mensagem tal que, em espíritos mais fracos e acomodados, proporciona a formação de uma nova geração de criminosos, porque a lei “os defende”, e não a sociedade que dela espera ou imagina proteção.

Exemplos do que falamos, em extraordinária inversão de valores, encontram-se concentrados nestes últimos 8 anos e quase 7 meses, os anos dourados do auge da folha corrida governamental e legislativa, nos quais, contando com a inércia do outro poder, chegou-se ao absurdo do rompimento da ordem constituída, visto com graça por este último e por muitos da sociedade já corrompida com o diário criminal.

Quando se atinge este ponto, o da anarquia criminosa, e se acena com a libertação de milhares da estirpe, somente medidas extremas sugerem sejam postas em prática, mesmo que, momentaneamente, sejam vistas como quebra dos princípios democráticos, de modo a que se ponha fim a esta degradação.

JabaNews

Comentários do Sicário em "Bola da vez, bela jogada!"

Jaba...

Ao ler tua postagem, lembrei do caso de escutas telefônicas na Inglaterra. Nosso glorioso jornalismo se presta a colocar na pauta de telejornal (Jornal Nacional) o depoimento do proprietário das empresas envolvidas nas escutas telefônicas, sr. Rupert Murdoch. A imagem é interessante, pois mostra o empresário de telecomunicações sentado a frente dos inquisidores, humildemente respondendo e se desculpando por crimes que, talvez, não tenha cometido, mas que, por ser proprietário do jornal envolvido, responde solidariamente junto ao filho, administrador do mesmo. O telejornal cita que o chefe de policia metropolitana e o primeiro ministro terão de depor sobre o caso.
Em contrapartida, bandidos brasileiros de colarinho branco (encardido) e cuecas sujas sequer são mostrados no mesmo telejornal que é incapaz de citar, comparar a ação dos legisladores ingleses com a inércia intencional dos organismos brasileiros com relação a ladroagem escancarada no Brasil.
Aqui se rouba, se "assume", se some e fica por isto mesmo. Justiça!? Aonde?!...ninguém sabe, ninguém viu! Nossos jornaleiros sequer sabem a diferença entre prisão e detenção. Sempre que noticiam ações circenses da PF, dão ênfase às prisões não explicando que são apenas detenções e que se realmente houvesse prisões o Brasil estaria construindo mensalmente dezenas de prisões federais em todo o país para abrigar toda sorte de canalha que vive ParasiTamente da vida pública.
Os macacos de imitação da latrina do mundo são incapazes de copiar as coisas boas que outras sociedades tem e cito como exemplo o suicídio japonês. Falta hombridade aos nossos corruptos que tem coragem de roubar, mas não são homens de assumir.
Preconceituosamente sempre acreditei que nosso grande problema é ter sido descoberto "por engano" e ter sido, inicialmente, povoado por degredados de Portugal; depois, com o tempo, aprendi que a Austrália foi colonizada da mesma forma! Restou a dúvida: Será que ladrões ingleses são mais honestos que os portugueses?
Cheguei a conclusão que bandido é bandido em qualquer lugar e que a diferença está justamente na certeza da punição.
Hoje tenho certeza de que o Partido dos Trabalhadores e seus satélites já existiam na Portugal do século 16...e é bem provável que para se ver livre da praga El Rei os tenha enviado para colonizar o Brasil!!!!

abs.

sicário

Olá Sicário,
A comparação com o que hoje ocorre lá pelas bandas britânicas é oportuna, apropriada para demonstrar a diferença de cultura e o modo de agir diante de fatos que reclamam determinada atuação, mesmo que , como se diz, seja “para inglês ver”, e caia, amanhã, no esquecimento, o que imagino não irá ocorrer.
A simpatia pelo crime, aqui na terrinha, assumiu proporções surpreendentes contaminando, de forma escancarada, os poderes que alardeiam independentes e harmônicos, e que deveriam cuidar dos interesses da sociedade; esta, por sinal, outra, em boa proporcionalidade, que se deixou e se deixa seduzir e conduzir pelo exemplo criminal.
Daí que, desenvolver “profilaxia” para por fim a tudo isto, é tarefa que exige forte e constante apoio. E concordo com você: a praga petista já deveria existir lá pelas terras de “além-mar”, quando “El Rei” a mandou para cá, para salvar aos "seus".
Abs.,

Repaçando

REPAÇANDO

Carlos Eduardo Novaes, Jornal do Brasil

Confeço qui to morrendo de enveja da fessora Heloisa Ramos que escrevinhou um livro cheio de erros de Português e vendeu 485 mil ezemplares para o Minestério da Educassão. Eu dou um duro danado para não tropesssar na Gramática e nunca tive nenhum dos meus 42 livros comprados pelo Pograma Naçional do Livro Didáctico. Vai ver que é por isso: escrevo para quem sabe Portugues!
A fessora se ex-plica dizendo que previlegiou a linguagem horal sobre a escrevida. Só qui no meu modexto entender a linguajem horal é para sair pela boca e não para ser botada no papel. A palavra impreça deve obedecer o que manda a Gramática. Ou então a nossa língua vai virar um vale-tudo sem normas nem regras e agente nem precisamos ir a escola para aprender Português.
A fessora dice também que escreveu desse jeito para subestituir a nossão de “certo e errado” pela de “adequado e inadequado”. Vai ver que quis livrar a cara do Lula que agora vive dando palestas e fala muita coisa inadequada. Só que a Gramatica eziste para encinar agente como falar e escrever corretamente no idioma portugues. A Gramática é uma espéce de Constituissão do edioma pátrio e para ela não existe essa coisa de adequado e inadequado. Ou você segue direitinho a Constituição ou você está for a da lei - como se diz? - magna.
Diante do pobrema um acessor do Minestério declarou que “o ministro Fernando Adade não faz análise dos livros didáticos”. E quem pediu a ele pra fazer? Ele é um homem muito ocupado, mas deve ter alguém que fassa por ele e esse alguém com certesa só conhece a linguajem horal. O asceçor afirmou ainda que o Minestério não é dono da Verdade e o ministro seria um tirano se disseçe o que está certo e o que está errado. Que arjumento absurdo! Ele não tem que dizer nada. Tem é que ficar caladinho por causa que quem dis o que está certo é a Gramática.
Até segunda ordem a Gramática é que é a dona DA verdade e o Minestério que é DA Educassão deve ser o primeiro a respeitar.


JB01
por e-mail