Páginas

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Bola da vez, bela jogada

Este mês, mês de Julho de 2011, com seu final já próximo, trará para o País, uma vez mais, mês outro desperdiçado em falcatruas, corrupção, assalto aos cofres públicos, pré-anúncio de intento criminal aos mesmos cofres, ainda não capitulado na legislação penal, por conta da imbecil e pretensiosa sofisticação criminosa, mês outro em que o governo não governa, pela simples razão de não ter o que governar, por ausência mesma de mínimo projeto de governo, a não ser o governar dos próprios interesses escusos.

E nem chego aos outros níveis inferiores de governo, posto que andam no mesmo caminho do poder central; a imprensa deles já se ocupa em diários e profícuos episódios de profligação do caráter, da vergonha, entre outros princípios éticos e morais.

Aliás, quando, realmente, se começará a governar, se é que isso passa pela cabeça dessa “organização criminosa”?!


(Blog do Robson Pires)

A bola da vez são os putrefatos que fazem das suas criminais no partido já alcunhado de prófugos realinhados ou reagrupados ou refúgio de prófugos, proeminentes atuais na roubalheira, enquanto o energúmeno macutena, procaz e profligado flana nas asas de prócere daquele grupo já adjetivado.

E nem o pobre do asno agüentaria o peso de tamanha podridão.


(Blog do Amarildo)

Mas que é uma bela jogada, isso não tem como discutir.

Submeter seus aliados à exposição, como a demonstrar sinais de profundas mudanças, em relação ao governo anterior, que levou o País ao auge da corrupção desenfreada, e do qual é mera continuidade, ocupando a imprensa com novos capítulos de atual episódio – sai não sai, volta não volta, demite-se ou não – é uma bela jogada para mandar para as calendas do esquecimento das páginas de diários e periódicos, e dos “governados”, extensa lista de escândalos que, se não são novos, são mera repetição dos já praticados, além, obviamente, de querer fazer a “nosotros” de idiotas e passar imagem de decência e honestidade ao universo de eleitores abestados e manipulados.

Destaque-se desse novelo, o novo tipo penal, ainda não previsto na legislação, do pré-anúncio de intento criminal contra os cofres públicos, já aprovado no Senado: sigilo dos gastos com a Copa.


(Blog do Amarildo)

Cabe recordar alguns dos prósperos eventos:

a) desvio de R$ 500 milhões na Funasa (Fundação Nacional de Saúde);

b) escândalo envolvendo Furnas na compra de ações de empresa com ligação ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ);

c) corte de R$ 50 bilhões no Orçamento, por conta de gastos criminosos no ano anterior;

d) nomeação de Jeter de Souza (envolvido no escândalo da quebra de sigilo do caseiro Francenildo) para assessoria da Presidência;

e) compra do Banco Panamericano pela Caixa Econômica Federal e o Banco Pactual;

f) Interferência na mudança da presidência da Vale e os interesses na hidrelétrica de Belo Monte;

g) trem-bala;

h) rombo de R$ 13,7 milhões em fraudes contra o Ministério da Educação;

i) festas das centrais sindicais bancadas com dinheiro público – BR, BB, Caixa e Eletrobrás;

j) Ana Holanda recebe diárias de fim de semana no Rio e Ideli em Brasília;

k) aumento do desmatamento da Amazônia;

l) R$ 141 milhões jogados fora com empresas proibidas de contratar com o governo;

m) Pac continua empacado;

n) R$ 14 milhões jogados fora pelo MEC, por conta de erros grosseiros em livros de matemática;

o) inadimplência e juros em alta (já os tinha previsto no ano passado);

p) retorno dos aloprados (Mercadante e Ideli); 

q) BNDES utiliza recurso do FAT (Fundo do Amparo ao Trabalhador) para as negociatas entre Pão de Açúcar e Carrefour;

r) mágica do aumento patrimonial do Palocci;

s) o agora "mensalão" do PR no MT;  e

t) chega, por aqui!


(Iotti, Os Diaristas)

Realmente é uma bela jogada mandar para as calendas o enredo criminoso, centrando munição nos aliados e, não se duvide, Erenice Fênix deverá ressurgir das cinzas e, ao final, a culpa de tudo será do gramado.


(Frank, Os Diaristas)

Desconheço alguma profilaxia que a isto ponha fim, mas deverá haver alguma que acabe de vez com toda esta proctorréia.

Enquanto isso, chamarei o "melhor amigo" para minutos de prosa entre uma gelada e outra.



(Blog do Beto)

JabaNews

Um comentário:

  1. Jaba...

    Ao ler tua postagem, lembrei do caso de escutas telefônicas na Inglaterra. Nosso glorioso jornalismo se presta a colocar na pauta de telejornal (Jornal Nacional) o depoimento do proprietário das empresas envolvidas nas escutas telefônicas, sr. Rupert Murdoch. A imagem é interessante pois mostra o empresário de telecomunicações sentado a frente dos inquisidores, humildemente respondendo e se desculpando por crimes que, talvez, não tenha cometido mas que, por ser proprietário do jornal envolvido, responde solidariamente junto ao filho, administrador do mesmo. O telejornal cita que o chefe de policia metropolitana e o primeiro ministro terão de depor sobre o caso.
    Em contrapartida, bandidos brasileiros de colarinho branco (encardido) e cuecas sujas sequer são mostrados no mesmo telejornal que é incapaz de citar, comparar a ação dos legisladores ingleses com a inércia intencional dos organismos brasileiros com relação a ladroagem escancarada no Brasil.
    Aqui se rouba, se "assume", se some e fica por isto mesmo. Justiça!? Aonde?!...ninguém sabe, ninguém viu! Nossos jornaleiros sequer sabem a diferença entre prisão e detenção. Sempre que noticiam ações circenses da PF, dão enfase à prisões não explicando que são apenas detenções e que se realmente houvesse prisões o Brasil estaria construindo mensalmente dezenas de prisões federais em todo o país para abrigar toda sorte de canalha que vive ParasiTamente da vida pública.
    Os macacos de imitação da latrina do mundo são incapazes de copiar as coisas boas que outras sociedades tem e cito como exemplo o suicídio japonês. Falta hombridade aos nossos corruptos que tem coragem de roubar mas não são homens de assumir.
    Preconceituosamente sempre acreditei que nosso grande problema é ter sido descoberto "por engano" e ter sido, inicialmente, povoado por degredados de Portugal; depois, com o tempo, aprendi que a Austrália foi colonizada da mesma forma! Restou a dúvida: Será que ladrões ingleses são mais honestos que os portugueses?
    Cheguei a conclusão que bandido é bandido em qualquer lugar e que a diferença está justamente na certeza da punição.
    HOje tenho certeza de que o Partido dos Trabalhadores e seus satélites já existiam na Portugal do século 16...e é bem provável que para se ver livre da praga El Rei os tenha enviado para colonizar o Brasil!!!!

    abs.

    sicário

    ResponderExcluir