Páginas

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Comentários do Sicário em "Caso médico"

Jaba...

Quando um apostador de loteria com cartão premiado afirma que ganhou é porque alguém perdeu pois ninguém ganha sem que alguém perca.
Ninguém enriquece trabalhando honestamente, para tanto basta observar o Detrito Federal onde os políticos enriquecem com a politicagem. Aqueles que optaram pela profissão "político" e alguns se perpetuam na parasitagem, são o exemplo de como se enriquece às custas do sangue, suor e lágrimas de quem realmente trabalha.
A declaração deste senhor comprova que assim como a educação, também a saúde tornou-se um negócio lucrativo no Brasil e somente virou um negócio de somas milionárias pela incompetência do estado em cumprir seu dever constitucional de garantir saúde à população.
Se lembrarmos que apenas os médicos tem direito legal de exercer a medicina e, se estes não se submeterem a exploração, o explorador não estaria lucrando com o suor alheio e a doença do próximo.
A resposta à pergunta contém a chave da canalhice
" a mão de obra extremamente qualificada e barata ": a mão de obra é barata porque antes dele ficar milionário outros apequenaram a profissão para que poucos usufruam dos lucros. O explorador na sua canalhice reconhecida, omite que, com anuência governamental, o trabalhador colabora com a riqueza dele ao pagar valores exorbitantes para serviços medíocres.

Até quando ser "feliz" à custa do próximo prevalecerá?
Me atrevo a responder tua pergunta:
no dia em que o homem deixar de ser homem e passar a ser HUMANO!

abs

Sicário
Olá sicário,

Belíssima resposta!
A questão de saúde é crítica; a ineficiência e incompetência dos governos, mais os desvios das verbas próprias, proporcionaram "delegação" de suas obrigações constitucionais ao setor privado, a quem só interessa a bufunfa: uns de forma mais escancarada ou escandalosa, outros menos, crescendo de forma formidável ao longo da corrupção generalizada dos poderes, em suas conhecidas esferas e, mesmo assim, os planos de saúde são alvo de inúmeras ações, boas delas de resultado pífio.
E o pior ocorre quando a classe médica entra em "greve" por conta de melhorias nos "honorários" pagos pelos planos, por razões até aceitáveis.
Por sua vez, o sistema oficial federal - e o estadual, aqui no rio, pelo menos - objeto de mirabolantes propostas de campanha, são a mais pura demonstração de fracasso criminoso premeditado, as reportagens, quase que diárias, disso se ocupam de demonstrar, quando anunciam a morte de quem os procura para tratamento, aqueles a que me referi quando divaguei no tema "genocídio de runda".
E ainda se encontra tempo para roubar o falido sistema, com tratamentos ou intervenções não realizadas, material hospitalar não utilizado, remédios não prescritos, e por aí vai ....,e a turma que ainda vota na manutenção do sistema, recebe cedo ou bem cedo, a sua passagem para a travessia.
Na matéria "prenúncio do engodo", em novembro passado, já destacara reportagem dando conta de que um bebê de 20 dias morrera à espera de cirurgia cardíaca em Goiás porque os médicos suspenderam as operações, por questões financeiras, ou seja, suspenderam as operações em sinal de recusa ao valor pago pelo SUS.
E assim segue a "saúde" no país.
abs.,

Nenhum comentário:

Postar um comentário