Páginas

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Mulher baixa o pau no marido


Após 12 anos de agressões mulher dá surra em marido


A.S.V., de 30 anos, casada há 12 com C.P.V., também de 30 anos, não suportava mais viver com as agressões do marido e sob as constantes ameaças que o mesmo fazia quando ela dizia que iria se separar dele.

Na madrugada de quinta-feira (29), ele chegou na casa, localizada no Jardim Vista Alegre, em Coxim, alcoolizado e sob efeito de drogas e começou a perturbar a mulher e quebrar alguns móveis da casa. Cansada da situação, "A" perdeu o controle e partiu para cima do marido o agredindo com um pedaço de fio, causando lesões nas costas e nos braços do esposo.
O marido chamou a polícia e os dois foram encaminhados a delegacia para prestarem depoimentos, porém o marido acabou sendo detido devido a um pedido de Medidas Protetivas (artigo 22 e 23 da Lei 11.340/06, que visa à proteção e integridade física às vítimas de violência doméstica) que a mulher solicitou em abril deste ano em relação ao esposo.
A mulher relata que nesses 12 anos de casamento sempre foi agredida pelo marido, porém nunca se separou devido às constantes ameaças sofridas por ela. “Eu tenho muito medo, pois ele sempre faz ameaças em relação a minha família e diz que vai pegar um filho meu para eu nunca me esquecer de ter me separado dele”, conta "A".
O casal tem dois filhos, um de nove e outro de 11 anos, porém a mulher relata que "V" nunca foi um pai presente e nunca deu atenção as crianças.
De acordo com a esposa, o marido sempre foi usuário de drogas e todas as vezes em que chegava em casa, demonstrava comportamento agressivo quebrando todos os móveis. “Ele já chegou a quebrar até uma geladeira”, conta a esposa.
A esposa diz que sempre incentivou o marido a realizar tratamentos para se livrar do vício, mas o mesmo diz que não é doente e que a hora que quiser parar de usar drogas, ele para.
De acordo com a esposa, existem 79 processos contra o marido, sendo que ele já foi preso três vezes devido as agressões contra a mulher e uma das vezes por manter a esposa em cárcere privado, na residência onde moram.
"A" afirma que vai pedir o afastamento do marido da casa e que não quer mais continuar com ele. “Não dá mais para viver essa vida, estou me acabando, e quem mais sofre com essa situação sou eu e meus filhos”, encerra a mulher.
__________________________
Correio do Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário