Páginas

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Ainda chegaremos aos Quarenta

__________________________


_________________________


Não demora muito chegaremos ao número de quarenta partidos (talvez, com 29, já estejamos no guinness ou próximo dele), a subtraírem numerário dos cofres públicos para sua manutenção, o famigerado fundo partidário. E ainda falam em financiamento público para eleições.

Não vamos nos deter nos nomes dos integrantes do tal Partido Pátria Livre, e nem nas imbecilidades ideológicas, posto que não merecem linhas, mínimas que sejam.

O que interessa da matéria é que o pluralismo político, assegurado pela Constituição, tornou-se fabulosa anarquia de interesses escusos, como bem demonstram recentes debates no Congresso, relativos ao troca-troca de legenda. Nas palavras do deputado Luciano Castro (PR-RR): "Como vamos mudar todo o sistema eleitoral e não permitir uma janela para que o parlamentar possa mudar de partido? Isso seria decretar a morte súbita de vários parlamentares, que precisam mudar de legenda para sobreviver politicamente com as novas regras."

Sem ofensas, evidentemente, a morte súbita a que se refere o deputado seria bem vinda.



_________________________

A democracia, na excelência de sua acepção, impõe limites ao seu exercício, justamente para que não se caia no que se chama de "excesso de democracia", cancro silencioso destrutivo e perene dos valores e princípios, realmente democráticos, que balizam uma Nação.

A seguir esses passos, a anarquia está próxima, não a anarquia criminosa que já aniquila o País diariamente, mas a anarquia em sentido político, a ficção comunista.

As últimas linhas podem ser vista como puro ceticismo, porquanto, o absolutismo, que aqui já impera, não permitiria que se chegasse àquele ponto; a anarquia ali referida é para idiotas, apesar de muitos andarem por aí se lambuzando nas hostes escusas, os cristais criminais, arrotando retrocessos ideológicos.

Mas se o caso é o de se criar um partido (não nos agrada agremiações partidárias), poder-se-ía criar o da Consciência Republicana, belo nome, bela agremiação, que não teria assim tantas dificuldades em fazer frente àqueles pústulas, mormente quando o registro definitivo do 29º é concedido sem os estardalhaços e os apelos de atropelo procedimentais para o 28º, aquele do Kassab.
_________________________

Falando em anarquia criminosa, uma das últimas veio lá do bolsa pesca que, mesmo com todas suas negligentes e criminosas irregularidades, ainda será beneficiado com um aumento de 26%  para 2012, ano do "juízo final" no calendário maia, no conceito dos apanhados pela histeria profética.

Como se tem bolsa para tudo que é lado, bem que se poderia criar a bolsa da vergonha, bolsa que não acarretaria nenhuma despesa para os cofres públicos, pelo contrário, a evitaria.

Já dissemos em matérias passadas que, para isso, basta cumprir a lei; cumprir a lei, porém, tem um elemento de difícil trato, qual seja, aquele que aplica a lei. A profilaxia aqui é complicada, de momento não temos a prescrição adequada (pensaremos no remédio que possa vir a ser ministrado), e nem passa perto dos rompantes da Corregedora do CNJ, porquanto, na essência,  já conhecidos de muito tempo, ou seja, o crime da toga.

Mas, por enquanto, a bolsa vergonha poderia trazer algum resultado.
_________________________

Para terminar estas linhas, e júbilo de nossos leitores, já que estaremos ausentes por alguns dias, colaborando, mais um de outros tantos 20 anos, com uma festa religiosa no próximo dia 12, na zona rural que temos lá a nossa terrinha, a pergunta: Pagamos para ser ou realmente já somos idiotas?

A razão da pergunta vem de uma nota do Anselmo, quanto à entrega da chave da nossa Cidade ao guri que atualmente contribui para idiotizar as meninas.
A nota se encontra acima.

Pagamos ou já somos?   

Um bom fim de semana para todos.

4 comentários:

  1. OLÁ JABA.

    SE DUVIDAR CHEGAREMOS AOS 4OO PARTIDOS.

    DESCOBRIRAM À MINA DE OURO.

    ABS DO BETOCRITICA

    ResponderExcluir
  2. Jaba...

    Já nas décadas de 70, 80 se falava no bipartidarismo do Brasil como não sendo democrático já que, naquela época, havia somente a ARENA e o MDB (governo e oposição).
    Quer a canalha esquerdopata brasileira goste ou não, a maior democracia do mundo, os EUA, funciona somente com 2 partidos políticos, o Republicano e o Democrata; e funciona muito bem. Se atentarmos ao manifesto antidemocrático e criminoso de Marighella a favor da violência para a tomada de poder (publicada no teu blog: contraponto-respeito e honra) ali há uma citação crítica ao MDB por este estar servindo à burguesia. Isto demonstra que para a esquerda criminosa 2 partidos não interessava (e não interesssa) mas hoje é conveniente pq. a proliferação de partidos é a melhor forma que há para a tomada de poder pelo voto; se não for assim como explicar que o PT tenha várias facções que vão da mais ao centro à mais radical de esquerda? E pelo lado da esquerda ainda existam PCB,PCdoB, PSOL, PCO, PSTU, para citar somente os declaradamente esquedopatas. É notório e sabido que a existência de todos eles tem um único fim que é a implantação do comunismo como "forma de governo" ou a ditadura do proletariado.
    Aos olhos de quem não enxerga a diversificação de tendências e correntes políticas pode denotar democracia mas com um olhar mais atento podemos ver que a proliferação partidária pode se resumir numa frase:

    "dividir para conquistar"

    abs.

    Sicário

    ResponderExcluir
  3. Olá Beto,
    Quando chegar aos 400 o Pais implode, se não implodir antes.
    Não duvido que outros virão em breve, meio de vida da vez.
    Abs.,

    ResponderExcluir
  4. Olá Sicário,
    Dividir para conquistar representa bem a idéia; o tal do PPL, que mais lembra Parecerias Públicas com a Ladroagem, nada acrescenta em termos políticos constitucionais e nacionais; aglomerado retrógado que não merece adjetivação, qualificação.
    Se há alguma "coisa de boa" na permissão do registro definitivo do 29º partido, é a confirmação da aniquilação dos princípios nacionais, a merecer o devido freio por quem ainda pensa e diz minha pátria, minha terra, meu lar.
    Abs,

    ResponderExcluir