Páginas

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Uma abominável busca da Verdade


Uma abominável busca da Verdade

A criação da Comissão da Verdade está gerando filhotes pelos estados.

Não bastando a criação de um soberbo tribunal nacional, tal como a Comissão da Anistia de âmbito nacional, que saiu premiando os torturados pelos sacripantas e degenerados com polpudas benesses, foram criadas, graças ao clamor e o desejo incontido de difundir justiça e indenizações em diversos Estados, as mini - Comissões de Anistia.

Em São Paulo emerge a Comissão da Verdade local. Sob a indignação de mais um justiceiro surge a proposta de criação daquele vingativo instrumento.

Que bom para a Nação, que existe no seio dos exemplares parlamentares esta necessidade fundamental para o gênero humano, que é o de distribuir justiça, de cavoucar a verdade esteja ela onde estiver.

Acertadamente, um punhado de bravos empenha - se na preservação dos direitos, embora, cautelosamente, por conveniência, nem cogite em tocar nos deveres.

No seu discurso inflamado os adeptos da Comissão da Verdade apregoam a imperiosa necessidade da criação, não de uma, mas de dezenas, de centenas, para que como um trator de moralidade, a justiça percorra o território nacional de cabo a rabo.

Assistiremos a um espetáculo “sui generis” no templo da hipocrisia humana, sagrado antro onde se desvirtuarão os princípios comezinhos em nome dos direitos dos outros.

Vejamos, pois que os arautos dos direitos dos humanos decreteram que os agentes da repressão foram classificados como inumanos, pois não terão direito algum.

É incrível, gritante, acachapante, mas é a mais pura verdade.

No teatro das Comissões da Verdade, os declarados inumanos, assim considerados pelos gestores daqueles tribunais, não terão espaço.

É triste, é vergonhoso, alarmante, mas é inexorável.

Esta é a nossa sociedade, e assim, são os indivíduos que comandam esta Nação, implacáveis, cretinos, indecentes, parciais.

Tanto que chafurdam nas ignomínias, nas corrupções, nas mentiras, mas justos o suficiente para votar a Lei da Palmada.

Atingimos os píncaros da esbórnia, e como porcos imundos nos lambuzamos na lama, nos excrementos e rimos de satisfação.

Anos atrás já indagaram “que País é este”, hoje podemos responder com convicção, que é o País do lulo - petismo, do vale tudo para alcançar e se manter no poder, doa a quem doer, em especial nos desafetos.

Portanto, acreditem que o ditado de que “todos são iguais perante Deus”, foi declarado inconstitucional pelo Congresso Nacional, tanto que os que se declararem “torturados”, pelo elevado senso de justiça daquele Congresso, que goza do mais alto grau de credibilidade perante o povo brasileiro, são mais iguais do que os acusados.

Você, que às vezes põe a cabeça de fora para reclamar movido por justa indignação, se acautele, uma cúpula justiceira poderá considerá – lo persona non grata, e será o mesmo que tachá - lo de desigual perante a lei deles.

Hoje, os verde – olivas, os azuis e os brancos são os inimigos a serem trucidados; amanhã poderá ser VOCÊ.

Brasília, DF, 16 de dezembro de 2011

Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário