Páginas

quinta-feira, 1 de março de 2012

O novo da Pesca


(foto Estadão)

O novo da Pesca, que disse nem saber como colocar "minhoca em anzol", tal como os anteriores, que nada acrescentam nos seus cargos atuais, como nada acrescentaram quando por lá passaram, só deve saber a estrofe de conhecida música: "Assassinaram o camarão, assim comecou a tragédia no fundo do mar ... !"
De tragédia em tragédia, o País segue a sua tragédia, sem fim anunciado, prenunciando o fim sem fim do seu enterro na eterna vergonha, na corrupção política e de valores, no desrespeito à Constituição, e nos demais crimes penalmente tipificados, mormente quando se declara, para o troca troca pesqueiro, fins eleitoreiros em determinado Estado do que se chama Federação.
Sem ferir os sentimentos religiosos, "daqueles que seguem os ensinamentos", trata-se, agora, de pregação para a piscicultura: arte de criar e de multiplicar peixes. 

2 comentários:

  1. Em multiplicação dos peixes eu não acredito, mas em compensação, a de votos ...
    vale tudo pra conseguir votos evangelicos.

    ResponderExcluir
  2. Olá vindo dos pampas,
    Obrigado pela visita, que honra o blog.
    A pregação para a piscicultura passa pelo que falastes, como, também, pelo uso do Estado em benefício dos próprios atos criminosos.
    Abs.,

    ResponderExcluir