Páginas

terça-feira, 6 de março de 2012

Pé na bunda


O sugestivo pé na bunda vindo lá da FIFA, até que seria bem vindo, de modo que a Copa seja levada para outro País, e se dê um basta na bandalheira em curso nos interesses futebolísticos.
Seria uma boa oportunidade para se estancar a sangria do dinheiro público e, no imaginário – acho que ficará no imaginário – presenciar o Ministério Público responsabilizando as esferas de governo e os particulares, deles reavendo a dinheirama até agora gasta.
A lamentar a destruição do Maracanã, do Beira-Rio e outros esqueletos de arenas espalhados pelo País; ainda no imaginário, o Ministério Público também poderá se ocupar desses assuntos e, quem sabe, ver a “aplicação” da farra da copa seguir caminhos do imediato e maior interesse da sociedade.

2 comentários:

  1. Amigo Jaba...

    Será surreal se a FIFA fizer o favor de defender os brasileiros da ladroagem institucionalizada, coisa que nós mesmos não fazemos.
    Como citaste o Beira Rio, na província de São Pedro do Rio Grande do Sul quero comentar que uma imprensa submissa, estúpida e podre até a alma aplaudiu e enalteceu a atitude imbecil de uma pseudo administradora que usou de sua contumaz estupidez para gritar com uma empreiteira "sócia" do governo que as obras do estádio de seu clube em seu estado deveriam começar. A empresa Andrade Gutierrez repentinamente começou a se mexer e isto ocorre muito antes do que pensava pois acreditei que quanto mais tarde começasse as obras mais fácil seria para obter verbas públicas.
    A atitude de Dilma foi aplaudida, enaltecida, elogiada. Os puxa-sacos tiveram o disparate de chama-la de dama-de-ferro, numa clara ofensa a sra. Margareth Tatcher, esta sim uma estadista que soube conduzir uma nação.
    É uma pena que toda da valentia de Dilma, toda vociferação não foi usada em casos de pacientes que necessitam de hospitais e morrem em filas ou com os mesmos empreiteiros que fizeram do programa minha casa minha vida...um minha casa um inferno.
    Nem uma única palavra contrária à atitude de Dilma foi escrita pelos jornaleiros gaúchos que, assim como o retante do país, se alimenta da mediocridade do lugar comum.

    abs.

    Sicário

    ResponderExcluir
  2. Olá Sicário,
    Pois é, meu amigo.
    Enquanto a inqualificável demonstra a sua valentia para "os gastos da Copa", não o faz, como lembras, com relação ao que de mais imediato e urgente interessa à sociedade e, do que, realmente ela necessita, daí ter situado o assunto no "imaginário de um posicionamento do Ministério Público".
    Mas a turma, embevecida (ou embebecida?!, nova denominação, como filólogo, de bêbados e abestalhados), gosta mesmo é de carnaval, praia, cerveja e futebol, mesmo que seja alimentada por vinténs a rodo distribuídos; será muito difícil mudar este quadro, principalmente quando não estão nem aí para as bandalheiras e hipocrisias diárias do poder.
    Abs.,

    ResponderExcluir