Páginas

sábado, 31 de março de 2012

Sábado, 31 de março


Sábado, 31 de março de 2012.

Hoje são comemorados 48 anos da deposição de um governo de déspotas, da manutenção da ordem constituída e do início de um período em que a ordem, mesmo constantemente ameaçada, por prófugos da criminalidade, se fortaleceu e se desenvolveu, até o momento em que o governo foi entregue aos civis – em um primeiro momento, por eleições indiretas – colégio eleitoral – e, ao depois, por eleições diretas – iniciando-se, daí, a fase de declínio dos princípios e valores democráticos e morais, já em aguda crise na continuidade atual governamental.

Apesar da proibição, por parte de um governo que não carrega nenhuma credibilidade, podre governo podre, de se celebrar a data, nenhuma proibição inibe a alma e o coração de se manifestarem, publicamente, em relação à vitória contra criminosos intentos de destruição do País, principalmente, quando a Nação, já tomada por bandidos, festeja Marighela, com crimes contra bem público, substituindo placa de rua, no calar da noite, para colocar placa de rua Marighela, como acontecido em São Paulo, festeja Lamarca, festeja aniversário da revolução cubana em solo brasileiro.

País de párias e de bandidos.

Mas a Data deve ser lembrada, e sempre comemorada, independentemente das ocultas e explícitas incitações de jovens despreparados em educação e costumes, e da aparente supremacia dos ideais retrógados no corpo social.

Já disseram, volto a lembrar, que o povo, quando diante de governos que proliferam e profligam na hipocrisia, traindo os anseios da sociedade, tem o poder, o direito e a legitimidade de depô-los, substituindo-os por aqueles que se submetam aos reais e legítimos interesses dessa mesma sociedade, no conceito que justifica a sua criação e formação.

Nutro, ainda, a esperança, de ver o País governado por decentes e honestos.

Minhas homenagens e respeito às Forças Armadas, e àqueles que tombaram em defesa da Pátria e dos anseios da sociedade.

Rendo, ainda, meus respeitos àqueles que foram assassinados por essa turba de criminosos, e desprezados por esse podre governo podre, e seus sectários, incluídos a ONU e a OEA.

4 comentários:

  1. OLÁ JABA.

    REZO PARA QUE SUAS ESPERANÇAS SE CONCRETIZEM.

    ABS DO BETOCRITICA.

    ResponderExcluir
  2. Olá Beto,
    Espero ainda estar por aqui para presenciar a transformação do "imaginário" em realidade.
    Abs.,

    ResponderExcluir
  3. Muito bem elaborada a merecida homenagem aos brasileiros patriotas que dedicaram a vida a um Brasil melhor, aqueles que não utilizaram o poder para enriquecer, como os atuais aliados do lulopetismo (Maluf, Delfim).
    O Movimento de 64 tinha por objetivo inicial resgatar a democracia e evitar a ditadura stalinista que ora se instala em nosso país.
    A democracia foi tardiamente recuperada depois de intensa atividade terrorista - como nos países vizinhos - que bloqueou o processo de redemocratização.
    Infelizmente, também houve desvio de conduta e de objetivos, assim como crimes e abusos, sendo emblemático que aqueles que não tinham princípios hoje são adeptos do PT no poder.

    ResponderExcluir
  4. Olá Fusca,
    Obrigado pela visita e por apreciar a matéria.
    Infelizmente, a horda de adeptos dos prófugos e trapaceiros, não para de crescer.
    O trabalho é árduo, mas, no final, haverá de prevalecer.
    Abs.,

    ResponderExcluir