Páginas

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Crise na Fronteira III

A matéria continua sendo do jornal O Alto Acre, no qual, além de divulgar o fechamento da fronteira por conta de uma greve dos médicos bolivianos contra novas medidas que prejudicam a saúde na Bolívia,  traz a noticia de que quatro brasileiros foram presos na cidade boliviana de Cobija, por compra de gasolina, considerada ilegal pelo cocalero.
Independentemente da pretensa esperteza dos brasileiros, a coisa está ficando feia, tomando proporções outras, e até agora ainda não vi o que faz ou o que vai fazer o nosso podre governo.
Segue a matéria, como publicada.
_________________________

Brasileiros são presos por tentarem comprar gasolina na Bolívia

Quatro estão detidos no comando da FELCC na cidade de Cobija e podem perder seus veículos


A cerca de um ano, o governo federal da Bolívia aprovou uma lei onde decretava que estrangeiros flagrados comprando gasolina, principalmente na cidade de Cobija (Pando), seriam tratados como traficantes e presos sem qualquer direito a defesa.
Nesse meio, só esquecerem de colocar uma lei onde proibisse os próprios de comprassem em grandes quantidades para que estocassem em suas residências para em seguida, ser revendida para quem quiser.
Os alvos, são principalmente os brasileiros que são assediados para comprar esse combustível nessas residências por preços abaixo do que é oferecido nos postos brasileiros. O problema, seria pelo fato de muitos não saberem dessa lei que estão infringindo.
Neste sábado, quatro brasileiros estão numas das celas precárias da Força Especial de Luta Contra o Crime (FELCC), uma espécie de polícia especial daquele País, por serem flagrados com a gasolina boliviana.
Os casos são distintos e num deles, caiu numa blitz e dentro de seu veículo, havia um galão com cerca de 20 litros. O brasileiro que estava acompanhado de um carona, foi levado junto para a delegacia e ambos jogados na cela.
Já no outro caso, um estava dentro da propriedade comprando 10 litros, enquanto o outro ainda esperava sua vez. Foi quando chegou os policiais dando voz de prisão e os levaram sem direito a nada e também, jogados nas celas.
O que chama atenção nesses casos, é que a polícia sabe quem vende gasolina clandestinamente pela cidade, mas nenhum é incomodado e não devolvem o dinheiro da gasolina comprada.
Segundo foi informado, os brasileiros talvez, só irão ser liberados na segunda-feira, dia 30, além de correrem o risco de perderem seus veículos como em outros casos já denunciados. Não se sabe se a gasolina retida é usada pelos policiais ou devolvida ao vendedor clandestino.
_________________________

Repassando: Cuidado com as mãos

JB01 por e-mail:



Repassando: Outra vez: Vice!!!




O Ministério da Saúde recomenda: 
"Sacanear vascaíno faz bem à saúde".

Programa Paraíba Verdade

PH por e-mail

domingo, 29 de abril de 2012

Do pré-sal ao pré-gás

Notícias de hoje dão conta de que, segundo a ANP (agência nacional do petroléo), foram descobertas reservas de gás natural nas bacias terrestres brasileiras, que deverão elevar a oferta, na próxima década, em algo em torno de 360% (matéria do jornal dos Marinhos); parece um bom número.

Por sua vez, o Lobão (Edison) das Minas e Energias, segundo o noticiário, já saiu com as suas, arrotando, quiçá arrostando, que o País será auto-suficiente (insisto na ortografia a que já estou acostumado) em 5 anos: só não disse contados a partir de quando.

De qualquer forma, se os neurônios ainda continuam em ordem, lembro que o atual "perereca do brejo", ao ensejo do seu podre governo, já soltava suas bazófias sobre a auto-suficiência do pré-sal, lambuzando-se com o precioso líquido na companhia da prócer da continuidade, a qual, em campanha, contando com o ovo na galinha, e no embuste contumaz, alardeava a aplicação das receitas do pré-sal na educação, saúde, habitação, transporte, infraestrutura e outros detalhes também sem importância.

Passados os anos, tudo continua como dantes, de novo, apenas danos ambientais, e se continua importando combustível, com preço no mercado interno, dos mais altos do planeta, e tudo na boa, como propaganda de finado banco.

A conceder credibilidade aos informes - queira que não seja embuste, apesar da proximidade de pleitos eleitorais - espero, com sinceridade, que o pré-gás não provoque baita explosão nos próximos anos.

Comentários do Sicário em "Hohohoho"

Jaba...


Não sou advogado, pouco ou nada conheço de leis mas me parece obvio que a pretensão da dita comissão que analisa mudanças no Código Penal é nada mais, nada menos, que dar uma nova leitura ao que aí está desde o início do século passado. De atualização só haverá a redação pelas novas regras da ortografia petista.
A matéria dá ênfase somente ao enriquecimento ilícito mas todos sabemos que a grande maioria da população quer é punição efetiva para criminosos, em todos os níveis. O aumento do tempo de cumprimento das penas ou punições, quais sejam, prisão perpétua, pena de morte (a qual eu  concordo) para certos crimes  não são contempladas na matéria que, tendo em vista o nível cultural do nosso jornalismo se atém ao enriquecimento ilícito sem que este seja confrontado com a realidade que aí está, ou seja as gangs políticas.
Se o Código Penal já prevê a punição por roubo é desnecessária e inutil a discussão sobre enriquecimento ilícito, pois ambas são roubo. Puro, mas não tão simples,  roubo.
A matéria toda deveria se ater a uma simples pergunta:
Com o corporativismo protecionista nas casas legislativas, como se punirá políticos pelo crime de enriquecimento ilícito se eles tem o foro privilegiado?



No Brasil o respeito às leis passa pela extinção dos privilégios daqueles que são responsáveis por grande parte da sujeira no país. 


abs.

Sicário

Comentários do Sicário em "Crise na fronteira"

Jaba...

A relação Brasil- Bolívia é antiga e remonta ao final do século 19 e início do século 20, quando o Barão do Rio Branco fez a proeza de anexar aquele território às terras brasileiras. O Barão do Rio Branco por suas atividades diplomáticas, dá o nome ao instituto que hoje deforma nossos diPlomaTas.

Pois bem, recentemente tivemos uma aventura boliviana contra o Brasil quando tropas daquele país invadiram as instalações, se não me engano, de uma refinaria da PeTrobrás. Na época vivíamos o segundo mandato do desdedado beberrão honoris causa, Lula, e tínhamos como ministro das relações exteriores ninguem menos que Amorim; o entreguista Amorim que por um valor módico vendeu/doou as instalações da empresa brasileira ao cocalero Evo e sua nação indígena de primeiro mundo socialista.  Voltarei a escrever sobre Amorim no final do comentário. Voltando à história, na mesma época houve também a intervenção em uma empresa do pai de Thor (não é Odin!)mas isto é um problema dele. Ainda lembro da imagem dos militares com faixas e cartazes enaltecendo o feito nacionalista do mascador  de folhas de coca. Nos últimos anos, Evo vem agindo como um chantagista e conseguindo renegociar contratos de fornecimento de gás natural, obviamente sempre querendo valores maiores pelo produto. A construtora OAS que construía uma estrada naquela digníssima nação hoje está com as obras paralisadas sem que o governo brasileiro tenha se esforçado ou faça questão de resolver o caso. As verbas enterradas na selva boliviana são oriundas do BNDES portanto, dinheiro de brasileiros que está sendo usado para construir a transcoca.
Depois desta pequena explanação quero dizer que não acredito numa ação do Brasil contra os abusos dos gangsters fardados no Acre pois o envio de um pelotão, 36 homens, para marcar presença na área é somente cortina de fumaça. Pelo histórico de acontecimentos e a condescendência de calhordas governamentais, estes do mesmo nível  ou de pior monta que o boliviano, o Brasil nada fará a não ser reclamar. 
No  princípio do comentário veremos que lá estão a Petrobrás, a Bolívia e o Ministro das Relações Exteriores Celso Amorim. 
Aqui, no final de meu comentário, temos o Acre, a Bolívia e o Ministro da Defesa Celso Amorim.
Alguém acredita no Brasil do PT?



Por estas e outras o Barão do Rio Branco deve estar se revirando no túmulo.


abs.

Sicário

I'm tired!


WS por e-mail


Bill Cosby "I'm 74 and Tired" (Born July 12th. 1937)

"Tenho 74 anos e estou cansado"  


"Tenho 74 anos e estou cansado. Exceto um breve período na década de 50, quando fiz o meu serviço militar, tenho trabalhado duro desde que eu tinha 17 anos. Trabalhava 50 horas por semana, e não caí doente em quase 40 anos. Tinha um salário razoável, mas não herdei o meu trabalho ou o meu rendimento. Eu trabalhei para chegar onde estou, e cheguei economizando muito, mas estou cansado, muito cansado.



Estou cansado de que me digam que eu tenho que "distribuir a riqueza" para as pessoas que não querem trabalhar e não têm a ética de trabalho. Estou cansado de ver que o governo fica com o dinheiro que eu ganho, pela força, se necessário, e o dá a vagabundos com preguiça para ganhá-lo.


Estou cansado de ler e ouvir que o Islamismo é uma "religião da paz", quando todos os dias eu leio dezenas de histórias de homens muçulmanos a matar suas irmãs, esposas e filhas pela "honra" da sua família; de tumultos de muçulmanos sobre alguma ligeira infração; de muçulmanos a assassinar cristãos e judeus porque não são 
"crentes"; de muçulmanos queimando escolas para meninas; de muçulmanos apedrejando adolescentes, vítimas de estupro, até a morte, por "adultério"; de muçulmanos a mutilar o genital das meninas, tudo em nome de Alá, porque o Alcorão e a lei Sharia diz para eles o fazerem.


Estou cansado de que me digam que por "tolerância para com outras culturas" devemos deixar que Arábia Saudita e outros países árabes usem o dinheiro do petróleo para financiar mesquitas e escolas madrassas islâmicas, para pregar o ódio na Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá, enquanto que ninguém desses países está autorizado a fundar uma sinagoga, igreja ou escola religiosa na Arábia Saudita ou qualquer outro país árabe, para ensinar amor, tolerância e paz.


Estou cansado de que me digam para eu baixar o meu padrão de vida para lutar contra o aquecimento global, o qual não me é permitido debater.


Estou cansado de que me digam que os toxicodependentes têm uma doença, e eu tenho que ajudar no seu tratamento e pagar pelos danos que fazem. Eles procuraram sua desgraça. Nenhum germe gigante os agarrou e encheu de pó branco seus narizes nojentos, ou à força injetou porcaria em suas veias esquerosas.


Estou cansado de ouvir ricos atletas, artistas e políticos de todas os partidos falarem sobre erros inocentes, erros estúpidos ou erros da juventude, quando todos sabemos que eles pensam que seus únicos erros foi serem apanhados. Estou cansado de pessoas sem senso do direito, sejam elas ricas ou pobres.

Estou realmente cansado de pessoas que não assumem a responsabilidade por suas vidas e ações. Estou cansado de ouvi-las culpar o governo e a sociedade de discriminação pelos "seus problemas."

Também estou cansado e farto de ver homens e mulheres serem repositório de pregos, pinos e tatuagens de mau gosto, tornando-se assim pessoas não-empregáveis e, por isso, reivindicando dinheiro do governo (Dos impostos pagos por quem trabalha e produz).

Sim, estou muito cansado. Mas também estou feliz por ter 74, porque não vou ter de ver o Mundo que essas pessoas estão CRIANDO.

Mas estou triste por minha neta e os seus filhos. Graças a Deus estou no caminho de saída e não no caminho de entrada.


Não há maneira de isto ser amplamente divulgado... A menos que cada um de nós colabore, enviando e ganhando força para contrariar esse (mau) caminho que o Mundo, por força de (péssimos) governantes, nos está proporcionando.



Esta é sua chance de fazer a diferença.



" I'm 74 and I'm tired."

Pai é Pai

WS por e-mail


O filho roqueiro, de um pastor da igreja, está prestes a completar 18 anos.
Louco pra dirigir, o rapaz resolve pedir o carro emprestado ao pai. Depois 
de pensar um pouco, o pastor responde:

- Filho, vamos fazer o seguinte: - você melhora suas notas na escola, estuda a Bíblia todos os dias e corta esse cabelo. E aí voltamos a conversar.

Um mês depois, o rapaz volta a perguntar ao pai se pode usar o carro.

- Filho, eu estou realmente orgulhoso: - você dobrou suas notas na escola e estudou bem a Bíblia. Mas não cortou o cabelo! E como fica o nosso trato ??? 

- Papai, lendo a Bíblia, eu fiquei intrigado - responde o filho 

- Sansão usava cabelos longos, Noé também. Até Jesus tinha cabelos compridos!!! E todos eram boas pessoas !!!

E o pai:

- É verdade meu filho.... e, olha que coisa.... TODOS ELES ANDAVAM A PÉ...

Mãe é mãe

WS por e-mail:

"O homem liga pra mãe e diz:

- Ela brigou comigo de novo e estou indo morar com você.

A mãe responde:

- Não querido, ela tem que pagar por isso, eu vou morar com vocês !!!"

sábado, 28 de abril de 2012

Flamengo: Charge do Amarildo

Perereca do brejo

De sapo barbudo, à perereca do brejo ......

A falta de vergonha não tem limite

A matéria é do Diário do Grande ABC:
_________________________

MEC usa site oficial para exaltar Lula


O Ministério da Educação (MEC) usou seu site para exaltar a gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Notícia publicada às 20h45 de anteontem relata homenagem que Lula receberá de universidades federais do Rio de Janeiro, na próxima semana, e reproduz declarações elogiosas do ministro Aloizio Mercadante (PT) ao ex-presidente: "Lula foi, seguramente, o presidente que mais fez pela educação do País, em especial pelo ensino superior".
Procurado, o MEC não comentou os motivos da publicação. O portal da pasta costuma publicar informações acerca de ações do ministério, notas oficiais, números de educação.
No texto, Mercadante diz que "o MEC está honrado pelo reconhecimento ao presidente Lula por parte das universidades federais do Rio". A notícia também cita realizações do ministério sob a gestão de Lula: "Na gestão do ex-presidente foram criadas 14 universidades federais e 126 câmpus universitários. Programas como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Universidade para Todos (ProUni), voltados para o acesso ao ensino superior, foram ampliados ou tiveram as regras reformuladas para ampliar as condições de ingresso".
O texto ficou em destaque na página do MEC até o início da tarde de ontem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
_________________________

Crise na fronteira II

A matéria que segue é do jornal O Alto Acre e, mais uma vez, envolve a turma do cocalero, amigo de infância das pragas tupiniquins.
_________________________

Bolívia inicia campanha de execração de colonos brasileiros na Foz do Abunã


O terror ecoa na selva. O semblante dos colonos brasileiros é de pavor. Eles estão humilhados. Vêem o que semearam por décadas, sendo destruídos por facínoras representantes de um Estado sem governo: a Bolívia. Soldados bolivianos bêbados e armados de fuzis impõem o terror, ameaçam estuprar mulheres e roubam o gado e a castanha como verdadeiros 'jagunços oficiais'.
É este o clima vivido neste momento, na foz do rio Abunã, uma extensa área na divisa do Acre com o departamento boliviano do Beni, e palco de uma onda de saques, incêndios e até ameaças de morte a cidadãos brasileiros fincados na floresta amazônica boliviana desde a década de 70.
caos_capixaba
Fernando Rodrigues e a esposa perderam quase tudo, após militares bolivianos incendiarem casa e os expulsarem de colocação (Foto: Cedida por Manoel Tavares)
Não se estranha que a subjugação desses brasileiros já leve décadas. No entanto, essas ações se intensificaram, desde a última quinta-feira, 19, elevando-se a ataques que numa primeira análise, parecem ser financiados por empresários da castanha, nas cidades de Riberalta e Cobija. As cidades possuem duas usinas de beneficiamento, cada uma, e na ausência do Estado Boliviano, o aparato bélico estatal corrupto sofre influência do poderio econômico de empresários de Pando e do Beni.
Ao menos 80 militares vindos de Riberalta (cidade a 250 quilômetros da fronteira com o Acre) estão na região, desapropriando terras cultivadas por famílias brasileiras, muitas ali desde a década de 70. Os soldados estão sendo liderados por um coronel identificado por Torres, o mesmo que tentou negociar a esposa de um brasileiro para violentá-la sexualmente.
jose carlos fernandes
José Carlos Caldas também teve a propriedade invadida e registrou queixa na Polícia Federal (Foto: Clériston Amorim/AGazeta.net)

Alcoolizados, como é sempre do feitio dessas tropas que estão no local, dez soldados invadiram a casa de José Carlos Fernandes Caldas e lá permaneceram do dia 19 ao dia 23 deste mês, onde confiscaram toda a produção de castanha, cerca de duas mil latas. Cada lata poderia ser vendida à Cooperacre, uma cooperativa de Capixaba, a R$ 22.

“Ele chegaram bêbados, pediram para que José se ajoelhasse e só não bateram nele porque ele se humilhou”, narra Manoel da Silva Tavares, que é observador do Palácio do Itamaraty na região e funcionário da Secretaria de Meio Ambiente, da Prefeitura de Capixaba (80 quilômetros de Rio Branco e cidade mais próxima dos conflitos).
Num tom patético, um dos comandados de Torres chegou a afirmar: “Estamos prontos para derramar o sangue pela pátria boliviana”. O colono registrou uma queixa na Polícia Federal de Epitaciolândia.
No mesmo período: no sábado, dia 21, o coronel Torres causaria também uma das mais aterrorizantes situações para o irmão de José Caldas. Sob suas ordens, o colono Fernando Rodrigues Caldas teve a sua casa e uma miniusina de beneficiamento de farinha de mandioca incendiadas por soldados. Das cinzas só restou o fogão.
“O mesmo coronel Torres pegou no braço de minha esposa e disse que a levaria com ele”, diz. “Troco a chôca (palavra para ‘loira’) em troca de dez soldados”, disse o oficial, segundo Fernando.
"Então, eu disse ao coronel que minha mulher não era animal para ser trocada e consegui convencê-lo. Mesmo assim, os seus soldados passaram a noite bebendo e nos ameaçando de morte dentro de nossa propriedade”.
O rapaz foi localizado por AGazeta.net quando viajava às pressas, em motocicleta com a mulher na garupa, num trecho do quilômetro 18 do ramal Brasil/Bolívia. Ele vinha em busca de ajuda para retirar 80 cabeças de gado que foram deixadas na propriedade. Outras cinco já tinham sido embarcadas em caminhões bolivianos rumo a Riberalta.
Coronel Torres chefe de tropa
Coronel Torres, ao centro, é considerado o homem que impõe o terror a colonos brasileiros. Nesta foto, almoçando armado em território nacional (Foto: Cedida por Manoel Tavares)

O ultimato do Governo Boliviano para os brasileiros se retirarem é de 15 dias. “Por isso, vou ter que remover até amanhã (sexta-feira) as 80 cabeças de boi que deixei lá. Senão vai virar tudo churrasco de soldado”, brinca.

A área que está sendo desapropriada pelos bolivianos é de mais ou menos mil quilômetros, segundo levantamento da Prefeitura de Capixaba, por meio do Google Earth. Ela começa na região de Santa Rosa, próximo à cidade de Riberalta e se estende à Cobija, a capital do departamento de Pando, já na fronteira com a cidades brasileiras de Epitaciolândia e Brasiléia (a 240 quilômetros de Rio Branco).
Até esta quinta-feira, 26, cerca de 80 militares bolivianos tinham chegado à região. Na próxima segunda-feira, 30, outros 15 soldados vindos de Cobija e de Riberalta, aportam na Vila Rapi-Rã, separada do Brasil apenas pelo ramal Brasil/Bolívia.
Na região do Chipamano, eles se concentram em grupos de cinco ou seis soldados por cada propriedade tomada. Ali, confiscam a castanha e as revendem também para o custeio das próprias operações que realizam ou mesmo para ficar com o dinheiro.
Invasões ao território nacional – Fotos mostram que tropas bolivianas sob o comando de Torres estão invadindo o solo nacional armadas de pistolas e facões. As imagens foram registradas por brasileiros na região da Vila Rapi-Rã, no início desta semana,
Numa dessas imagens, o coronel Torres, acusado de tortura aos colonos brasileiros dentro da Bolívia, se mostra sorridente numa rodada de comandados, durante almoço num restaurante do lado brasileiro.
Nas fotos, eles almoçam tranquilamente no estabelecimento de um brasileiro em solo nacional, embora armados.
“Isso nos mostra uma contradição, porque ao passo que somos destratados lá, aqui nós os recebemos muito bem”, pontua Manoel Tavares.
EB
Exército Brasileiro se instalou no início do ramal Brasil/Bolívia (Foto: Clériston Amorim/AGazeta.net)

O observador do Itamaraty enviou nesta quinta-feira, 26, relatório da situação ao Governo Brasileiro, em Brasília e também à embaixada do Brasil em La Paz. Em anexo, estavam as imagens das tropas bolivianas em território brasileiro.

Desde que a tensão aumentou no local, o Exército Brasileiro mantém uma tropa de cerca de 50 homens na entrada do ramal Brasil/Bolívia, próximo ao km 4 e a mais ou menos oito quilômetros da Vila Rapi-Rã. Embora estejam todos armados de fuzil, a missão dos soldados brasileiros se resume a fiscalizar o tráfego de veículos que saem do ramal em direção à cidade de Capixaba.
Produtor vai resistir – A caminho da colocação do Limoeiro encontramos Bento Marques de Souza, cuja família está na região desde 1975. Seus pais, ex-donos de três seringais na Bolívia, legaram aos filhos as terras que hoje estão sendo desapropriadas.
“Aqui, até 1990, era muito tranquilo. Eles (os bolivianos) reivindicavam apenas 10% da produção de borracha e agora de castanha e ficava assim”, relembra Souza, que tem uma carteira de identidade, que segundo ele, lhe dá direitos parecidos aos de uma dupla nacionalidade, já que a família está desde a década de 70 na área.
Afirma que vai ficar no local até as “últimas consequências”, porque acredita que a perseguição boliviana que agora sofrem tende a acabar nos próximos meses.
Ele cita um indivíduo identificado por Pato Lebre, comprador de castanhas, como principal articulador dessas ações.
“Esse boliviano veio aqui no ano passado e quase não comprou castanhas, porque queria levar por um preço bem abaixo do de mercado”, diz Bento de Souza. No entanto, teria saído do local afirmando: “Em 2012, vocês saberão do que sou capaz de fazer contra vocês”.






Exército desloca pelotão de Brasileia para zona de conflito em Capixaba

exercitobrasileiro
Oficial e soldados da 2ª Companhia de Fuzileiros de Selva foram para a fronteira no municipio de Capixaba - Foto: oaltoacre/arquivo

O Exército deslocou ainda no final do dia de ontem todo o Pelotão de Fronteira de Brasileia para garantir a segurança dos brasileiros na zona de fronteira entre Capixaba e a Bolívia, palco de conflitos entre militares bolivianos e produtores rurais do Acre. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério da Defesa, o pelotão é formado por ao menos 35 homens.
Além deste efetivo, um capitão da 17º Brigada de Infantaria, em Porto Velho, foi destacado para realizar sindicância na região. A denúncia é de invasão por parte de veículos militares da Bolívia em território brasileiro, além de outras arbitrariedades cometidas.
_________________________

Enquanto se invade o território nacional continuamos com os flagelos, nossos conhecidos, de cachoeiras, corrupção, copas, vagabundagem, demagogia, hipocrisias, perda de princípios e valores, bolsas disso, bolsas daquilo, e por aí vai ... como se tudo fosse normal.