Páginas

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Comentários do Sicário em "Bebê anencéfalo

Olá Jaba...
Vivemos no país dos direitos de alguns pq. deveres são de outros. Eu me incluo na "casta" dos que tem deveres e responsalvemente, mas muito a contra gosto, continuo cumprindo o papel que me coube neste circo chamado Brasil.
Os semideuses do STF, cujos cargos foram outorgados pelo deus maior da república sindical acharam por bem que o aborto de bebês anencéfalos não é crime. Assim decidiram que um número ínfimo de mulheres que não querem um bebê "deficiente" tem o direito maternal de tirar-lhes a vida.
Esta sábia decisão do caso me levou às execuções de apenados nos EUA. Aqueles que são contra a pena de morte afirmam que inocentes podem morrer por erros de investigação e isto, pela minha lógica,vem de encontro aos erros médicos, tão comuns no Brasil, onde uma interpretação errada como muito temos visto por aí ou má intenção podem levar um inocente feto à morte mas isto nenhum dos supremos foi capaz de lembrar. Ainda segundo os conhecedores doutos o tempo de vida de um bebê anencéfalo é curto. Nenhum lembrou que se o tempo é curto pq. a mãe, com anuência do supremo judiciário, deverá ter o direito de tirar-lhe o pouco tempo de vida que tem?
Li partes de algums pareceres dos ilibados qualquer coisa e fiquei com vergonha por eles mesmos cujas consciências estão presas pelo politicamente correto e humanamente inaceitável. Os doutos deveriam tomar conhecimento do antigo testamento e da Bíblia em geral para descobrir o que é ética e que Salomão, este sim, foi um juiz sábio. Palavras de dificil compreensão, cujo entendimento depende da presença do bom e velho dicionário, colocadas em textos longos, nada mais são do que enrolação para dizer que a morte é a solução...para a mãe e para o estado mas nunca para o bebê.Hitler também pensava que deficientes físico ou mentais não tinham direito à vida.
Agora é questão de tempo, a porta do inferno se abriu.
abs.
Sicário



Olá Sicário,

Às vezes tenho tido dificuldade em acessar o blog e até em responder a comentários.
Quanto à decisão do Supremo, concordo com você, como deixei claro na matéria que editei.
Indo mais longe, os Espartanos, militarizados por excelência - momentos da história - já preparavam as crianças para engrossar as fileiras, separando as mais aptas para liderança e para a fase de transição, das que não correspondiam aos ideais da sociedade; estas, simplesmente, eram aniquiladas.
No conceito atual das togas superiores, experiência de alguns que conhecem do assunto, quando dizem que, na prática, a palavra "anencefalia" geralmente é utilizada para caracterizar uma má-formação fetal do cérebro; nestes casos, o bebê pode apresentar algumas partes do tronco cerebral funcionando, garantindo algumas funções vitais do organismo, foi desprezada.
Em se garantindo algumas funções vitais do organismo, promove-se, por ora, com a decisão Suprema, a quebra de uma garantia fundamental, que ainda não tiraram oficialmente da Constituição.
A partir daí algumas hipocrisias destrutivas de valores já deram o ar da graça, como a proveniente do Ministério da Saúde, pela qual se anunciou, dia 13 passado, o aumento da rede pública que faz aborto legal, de 65 para 90 hospitais. Como disse o titular da pasta: "Até o final do ano, os hospitais estarão aptos para fazer o aborto legal de anencéfalos"; "O que temos de fazer é cumprir o que determina a lei".
"Cumprir o que determina a lei" é o que já se acostumou a não se presenciar, salvo quando da presença de interesses demagógicos.
A perda dos princípios de formação familiar e os de formação da própria Nação já atingiram estágio bem avançado.
Li por esses dias que:
 - na terra do que aparentemente já teria ido, mas ainda não foi, prendeu-se um grupo que esquartejava suas vítimas e depois as comia, em ritual de canibalismo, ritual este que chegou ao requinte de se congelar parte do corpo das vítimas para futura degustação e até para servirem de recheio de empadas em venda para população;
- pacientes de hospital no Distrito Federal teriam morrido por causa da troca de tubos de oxigênio;
- a prócer da continuidade libera mais alguns bilhões do excesso de riqueza do País outra vez para a Cuba, excesso de riqueza este em falta para investimentos básicos, mas não para a turma da corrupção e outros crimes;
- titular da pasta da Cultura, como antecipado em outra matéria, libera recursos da sociedade para o Museu do cefalópode em SBC, alegando não sentir nenhum constrangimento, como, igualmente, muitos não devem sentir;
- turma que não tem o que fazer na Câmara, capitaneada por Luiza Erundina (PSB-SP), cria a comissão da verdade paralela, alegando já ter ouvido, na demagogia hipócrita, duas testemunhas dos tempos do Araguaia;
- promotor da Justiça Militar (RJ) aderindo, em março passado, às idiossincrasias do MPF, de promover denúncia por ocultação de cadáver, por conta dos acontecimentos do Araguaia, diz ser esta, "talvez a única possibilidade de ver um militar sentado no banco dos réus";
- na surreal comissão de ética do senado tomam assento Renan Calheiros e Collor de Melo;
- o novo Presidente do Supremo afirma que o processo do "mensalão" será julgado neste semestre; deixando de lado aparente satisfação para a sociedade, o risco está na gradação da pena a ser aplicada, principalmente quanto ao crime de formação de quadrilha, que poderá levar a ser considerar como presente a prescrição absolutória, com eventuais reflexos nos demais crimes denunciados;
- por fim, retornando-se à prócer da continuidade, profundo pensamento por ela foi externado quando de sua passagem por Harvard, quando disse que "o brasileiro só vê quem é corrupto, sem olhar o corruptor". 
Estou cansado, talvez seja minha minha última matéria.
Entre os dois caminhos que se apresentam para por fim ao insidioso processo, fico com o político. Ainda acredito que com ele o País voltará a ser respeitado, mas não com os atuais.
Abs.,

Nenhum comentário:

Postar um comentário