Páginas

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Mensalão - os 150 - passe cadeia ...



Já se vão alguns dias, a "briosa imprensa" escrita noticiou: "Tropa de 150 advogados vai tentar salvar os réus", com honorários, pode-se dizer, estratosféricos, fora da realidade.

Estratosférico porque, por aqui, tudo é estratosférico, basta ver, por exemplo, em relação a outras praças, a economia e o preço dos automóveis e da gasolina, mas isso é outro papo.

Deixando-se de lado a péssima "escrita da imprensa", com o "vai tentar", defenderia a turba gratuitamente, porquanto "não há preço" em reconhecer o crime dos "clientes" e ajudá-los com o "passe cadeia".

Mas aqui, com minha sinceridade, a turma dos 11 me destituiria, nomeando outro para defesa dos réus, já que precisariam de alguém que pugnasse por sua inocência, participando do "teatro", tal qual o personagem que lhe fosse atribuído. Mas seria engraçado: "O cliente declara-se culpado, confessa o crime!"

Os "150" lembram os "300 de Esparta", só que, por estes, Leônidas e Xerxes, Xerxes e Leônidas, tratava-se de honra e glória, sobrevivência e subsistência; no caso dos "150", tudo ou qualquer coisa pode ser dito ou dita ... 

Mas, por que raios se precisa de uma tropa de 150 para a defesa de reles bandidos, quando o energúmeno, no processo com o Landi, que corre na vara federal de Brasília, a pretexto do desconto em folha de empréstimos para aposentados, dirigidos aos Bancos BMG e Rural, é defendido pela AGU (?)? (o processo é de 2011). Porque gastar-se tanto com "profissionais de estirpe"?

Interessante, por sinal, ao início do julgamento, em sua primeira sessão, o presidente das togas superiores agradecer a presença de Advogados Dativos convidados pela Corte e da Defensoria Pública, com sua trupe, capitaneada pelo Defensor Público da União, com o fim de assegurar a plena e total defesa dos acusados???!!!

"Pra que isso", e qual a razão de uma turba profissional quando, pouco deles, na tribuna das togas pugnou, com toda qualificação que se lhes aponta inerente, que a peça acusatória não passava de mera peça de ficção, que não esclarecia, na "defesa" penal, a conduta dos acusados etc?! Se tão simples assim, porque "150"? Talvez, realmente, a peça acusatória seja sólida, e a "sociedade" não esteja tão desprotegida, cuja proteção dependerá do pessoal que veste as togas.

De qualquer forma, penso que assisto a um teatro ou a algo incompreensível; mesmo assim, apesar de cético, ainda acredito no respeito e deferência ao constitucionalismo, na limitação do poder e na supremacia da lei e, no feliz dos felizes, na entrega do "passe cadeia" aos "interessados", isso, sem considerar, claro, a prescrição, que já alcançou o crime de formação de quadrilha.  

Um comentário:

  1. Flavio...

    A briosa imprensa brasileira, salvo alguns abnegados, esta mais para midiotas do que qualquer outra coisa. Na verdade muitos jornais deveriam ser enquadrados em crime ecológico tamanho o desperdício de papel. O lixo do mensalão estava adormecido há anos sem que eles publicassem uma única nota sequer e hoje temos relatórios diários sobre o julgamento numa tentativa estúpida de explicar em minutos o que ocorre há anos.
    O que escrever sobre os defensores!
    Com os "réus" se declarando inocentes da prática de alguns crimes e sendo "trabalhadores", como explicar as fortunas cobradas por seus denfensores?
    De onde virá o dinheiros dinheiro para pagar honorários que beiram o centenas de milhares de reais?
    Os midiotas, jornaleiros em geral não conseguem e não sabem pensar. Se seus empregadores os obrigam a escrever as bobagens "neutras" que lemos e ouvimos diariamente então, definitivamente, além de inteligência lhes falta caráter.
    Tua citação dos 300 de esparta, Leônidas e Xerxes, é interessante. Conta a história que os espartanos iam para a luta com uma "recomendação": ao entregar o escudo aos soldados era dito: Com ele ou sobre ele. Com o escudo ou sobre o escudo. Vivo, com o escudo ou morto, sobre ele.
    Não nutro esperanças mas rezo para que no final desta luta judicial todos façam parte da história do Brasil alguns pela glória deste e outros pela morte...profissional.
    Que a cega jsutiça brasileira, nesta hora, retire a venda dos olhos e degole quem tem de ser degolado.

    abs.

    Sicário

    ResponderExcluir