Páginas

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Barbosa x Lewandowski


Supremo. Processo do Mensalão. Sessão do dia 26. Sessão inteiramente tomada, mais uma vez, para leitura, pelo revisor - Ricardo Lewandowski -  do seu longo, enfadonho e desnecessário voto, já que boa parte acompanha o voto do relator - Joaquim Barbosa -, o que pode ser chamado de reprovável comportamento. 

Como já disse em outras oportunidades bastava, para um bom julgamento, para um bom juiz, experimentado nas lides, dizer que acompanhava o relator nos pontos que o acompanhava; naqueles que não aí, sim, faria a leitura de suas longas linhas, sem provocações, sem dizer que não há provas ou que o relator não as examinou etc, salvo, evidentemente, pretensões afloradas de ser considerado como uma prima donna  ...

Aliás, já que sempre gosta de ressaltar que fez uma "análise vertical dos autos", se fizesse, quem sabe, uma "análise horizontal" ou talvez uma "análise oblíqua dos autos", a coisa não andasse melhor ...

Os embates entre ele e o relator, no viés provocativo que surge do desnecessário abuso do tempo pelo revisor, levam à mediocridade do comportamento e ao desrespeito à Corte, como aos presentes e aos que assistem ao julgamento, se é que isso conta ...

A conclusão do voto do revisor se desenhou como segue:

Crime de corrupção passivacondenou a José Borba (ex-deputado federal, PMDB), Roberto Jefferson (ex- deputado federal, PTB), Romeu Queiroz (ex-deputado federal, PTB) e Emerson Palmieri (ex-tesoureiro, PTB), na linha do voto do relator;

Crime de lavagem de dinheiroabsolveu aos quatro acusados, divergindo do relator que os condenava também por este crime

Não há dúvida que o cara é muito ruim ...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Sicário comenta "Em tempo de eleição é sempre bom lembrar ..."
  1. Flavio...

    Sempre acompanhando mas sem muita vontade moral para comentar sobre o lixo que está este país.
    Com relação à tua postagem, creio que o ladrão de geladeira, a corretora, a atendente de call center, o cara da pizza, o vendedor de cerveja deveriam, se a lei assim permitisse, abdicar do direito de votar.
    Talvez a salvação da política no Brasil passe pela desobrigação de voto. Quem sabe sem este "direito" os imbecis não se recolham ao seu mundinho...e deixem que a política seja feita por quem realmente se importa com o destino de todos.

    abs.

    Sicário
  2. Olá Sicário,
    Obrigado pela visita, muito me honra.
    Quanto à abdicação do voto, sei não ...
    Na eleição delituosa presidencial passada, tive o desprazer ou tristeza de ver, quem sabe do voto, preferir pagar a pífia multa do que comparecer à zona eleitoral ...
    Na idéia das suas linhas, por outros já aventadas, "sobraria" a turma que se beneficia da "corja", e que votaria, porque votaria, além dos votos da própria "corja". E aí, não haveria grandes alterações no resultado, por demais já conhecido ...
    Penso diferente: o que falta é coragem, e não me refiro a você, mas àqueles que deitam linhas de críticas e nelas se escondem, não vão além.
    Tenho guardado em meus arquivos ou alfarrábios, linhas de alguém que roeu a corda quando lhe respondi, e que não as editei em homenagem à falta de discernimento de quem nelas se escondeu, como, também, não editei tantas outras, até para preservar os que "tanto os seguem"- algo que aos outros respeito, mesmo que não fosse o caso ou fossem merecedores de respeito...
    Prefiro expor o que penso, do que deitar linhas sobre linhas que se perdem nas suas próprias linhas.
    Este é o nosso dia a dia, como as atuais agruras do mensalão, nas palavras do frustrado revisor relator.
    Abs. e, mais uma vez, obrigado pela visita.
    Flávio

Alguns candidatos à vereança ...

Adriana Vaca Brava; Chico Quebra Mola; Baixinho Fim de Noite; Wanderley Parafuso; Pipinha; Peroca; Marreco; Loti das Piadas; Junior Piolho; Ferrorama; Bolero, Barro e Lero; Ronaldo Pelanca; Guarda Chuva; Abacaxi; Pinguim; Meio Kilo; Fernanda dos Três Canos; Cabeça Fina; Pirulito; Tampinha; Sinistro; Pau Velho; Tião Carne Seca; Perereca; Chupeta; Marquinho Desinfetante; Boquinha; Sou + Treco; Dorme Sujo; Chapoca; Ademir Fura-Gato; Alex Bandalha; Zé Baixinho; Bizorro; Bode; Rodrigo Vaca Magra; Fichinha; Zebra; Grilo; É o Pinto; Jú Tulipa Negra; Rolla; Rabicó; Cabritinha; Alfredo Meia Zero; Antonio KM; Buda; Sérgio Barracão; Sérgio Maloca; Negão Pega Nada; Peru do Escapamento; DJ Araponga; Pequeno; Tião Manso; Sansão; Tekinho Legal; Ligeirinho; Careca do Waldir; Trem do Caminhão; Zé Bagre; Negão do Bar de Arcozelo; Batidão; Baianinho da Jaqueira; Bojongo; Coisinha; Adriano Pão Véio; Chica Binga; Totoca; Xixico; Gordo Irmão do Bruno; Fumaça; Zé Feio; Sem Futuro; Boreta; Meu Bem; Paulo Bruxa; Bureca; Chupa Cabra; Zé da Égua; Bola do Cabral; Neguin; DullBombom; Mixirico; Ed Murphy; Ki Suco; Cocô; Zé do Caixão; Jaburu; Fabiano Torradinha; Zé Pré; Grilinho; Crachá; Renata do Bole-Bole; Papalégua; Simpatia do Forró; Raposão; Burro; Sr. Pato; Pachola; Dedinho da Van; Tuninho Bocão; Ronca Brabo; Ximbica; Severo Embaixador Nordestino; Budinha; Filhinho da Pipa; Camburão; Bilola; Kid Penetra; Zé Cuzcuz; Bebezão; Papão; Boto; Jacaré; Empadinha; Chapéu de Couro; Gordo da Feira; Vampirinho; João da Vaca; Pinga Fogo; Bilau; Ketchup; Dibruço; Caixão Furado e tome mais ...
_________________________


Turma boa! Prá todos os gostos! Turma dos Municípios que "formam" e "compõem" o Estado aqui do Rio de Janeiro, aquele do "Cabralense" em "Paes" ... parisiense ...

Mães ... morrem ...




terça-feira, 25 de setembro de 2012

Algo está errado ...

Faz pouco que assisti no "noticiário" que os brasucas - seriam brazucas?! - já gastaram, nos primeiros 8 meses do ano, a bagatela de 14,6 bi de verdinhas no exterior.
Isso é que é um sistema fantástico! 
E esses brasucas ou "brazucas" do sistema também votam ... votam na continuidade do sistema irreal, fictício, o sistema das nuvens, do delírio, da vergonhosa criminalidade, e por aí vai ...
Algo, realmente, está errado, isso, claro, sem invejá-los, porquanto não os invejo, invejo a mim mesmo na insistência na manutenção de princípios, que parecem não mais vingar no "diário cotidiano" ...
Não sei se estou me encaminhando na direção do cara chegado ao surrealismo, ou na do saudoso humorista cearense que, entre "tantas ou tantos" personagens, tinha um que perguntava: - O que é que estou fazendo aqui?!
Mas algo está errado ...

Em tempo de eleição é sempre bom lembrar ...

Somente agora entendi porque os candidatos em que eu voto, raramente ganham as eleições majoritárias.

Um sujeito comprou uma geladeira nova. Para livrar-se da geladeira velha, colocou-a no gramado em frente à casa e pendurou um aviso dizendo: De graça para um bom lar. Se a quiser, basta levá-la. A geladeira ficou lá três dias sem receber sequer um segundo olhar dos passantes. Finalmente, o sujeito chegou à conclusão de que as pessoas não acreditavam no que ele estava propondo. Parecia bom demais para ser verdade... Ele então mudou o aviso, que passou a ser: Geladeira à venda, por $50 reais. No dia seguinte alguém a tinha roubado.
Esse tipo de gente vota...

Olhando uma casa, meu irmão perguntou à corretora de imóveis de que lado era o norte, porque, explicou ele, não queria que o sol o acordasse todas as manhãs. Ela perguntou, O sol nasce no norte? Quando meu irmão explicou que o sol nasce no Leste (e aliás há um bom tempo isso vem acontecendo), ela sacudiu a cabeça e disse Ah, sabe, eu não me mantenho atualizada a respeito desse tipo de coisa.
Ela também vota!

Antigamente eu trabalhava em suporte técnico num centro de atendimento a clientes 24 horas por dia, 7 dias por semana. Um dia recebi um telefonema de um sujeito que perguntou em que horário o centro de atendimento estava aberto. Eu disse a ele O número que o senhor discou está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ele respondeu: Pelo horário de verão ou o normal? Querendo acabar com o assunto rapidamente, respondi: Horário de verão.
Ele também vota!

Meu colega e eu estávamos almoçando em nosso restaurante self-service quando ouvimos, por acaso, uma das assistentes administrativas falando a respeito das queimaduras de sol que ela havia tido ao ir de carro ao litoral no fim de semana. Ela tinha ido num conversível, mas não pensou que ficaria queimada, pois o carro estava em movimento. Detalhe: ela não era loira!
Ela também vota!

Minha irmã tem uma ferramenta salva-vidas no carro dela. É uma ferramenta projetada para cortar o cinto de segurança se ela ficar enredada nele. Ela guarda a ferramenta no porta-malas.
Minha irmã também vota!

Meus amigos e eu fomos comprar engradados de cerveja e notamos que os engradados tinham desconto de 10 por cento. Compramos 2 engradados. O caixa multiplicou 10 por cento por 2 e nos deu um desconto de 20 por cento.
Ele também vota!

Saí com uma amiga e vimos uma mulher com um aro no nariz, atrelado a um brinco por meio de uma corrente. Minha amiga disse Será que a corrente não dá um puxão a cada vez que ela vira a cabeça? Expliquei que o nariz e a orelha de uma pessoa permanecem à mesma distância independentemente de para que lado a pessoa vira a cabeça.
Minha amiga também vota!

Eu não conseguia achar minha bagagem na área de bagagens do aeroporto. Fui, então, até o setor de bagagem extraviada e disse à mulher que minhas malas não tinham aparecido. Ela sorriu e me disse para não me preocupar, porque ela era uma profissional treinada e eu estava em boas mãos. Apenas me informe, pediu-me, o seu avião já chegou?
Ela também vota!

Trabalhando numa pizzaria observei um homem que estava fazendo pedido de uma pizza para viagem. Ele parecia ser sozinho e o pizzaiolo perguntou se ele preferiria que a pizza fosse cortada em 4 ou 6 pedaços. Ele pensou durante algum tempo antes de responder. Corte só em 4 pedaços; acho que não estou com fome suficiente para comer 6 pedaços.
Isso mesmo, ele também vota... 

Agora você sabe quem elege os políticos! 
E, os políticos, estão cansados de saber que tipo de eleitor os elege!

WS por e-mail

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Núcleo Político - retorno do ceticismo ...



Na sessão de hoje das togas superiores - isso aqui está em tempo real- o sofrível - lewandowski - até agora não calou a boca, apesar de acompanhar o relator, ora em enfadonha manifestação, ora dele discordando, com intervenção do relator - joaquim barbosa - em outra não menos enfadonha e vergonhosa manifestação a favor da bandidagem, com a leitura de testemunhos no inquérito e confirmados em juízo, tudo "analisado verticalmente", como gosta de dizer, "ou que já fez referência".

O cara, além de sofrível, é muito ruim, pior que ruim ... Sacaram esse sujeito de alguma cova, da qual não sei a profundidade  ... Por enquanto, os demais ministros continuam na "dormitância" da oportunidade de se manifestarem, sabe lá como ... E o cara continua lendo "longos depoimentos" ... inúteis ...

A partir de hoje não falo mais sobre as sessões carregadas de hipocrisias e vaidades, notadamente do pretendido à nova prima donna, que só fala em exame vertical, em apensos - que não cansa de ler - e no pensando e repensando ..., confirmados em juízo .., folhas tais e tais e outros aspectos e tantas ou mais besteiras, que só atrasam o andamento do processo.

Aliás, se diz que a sociedade se movimentou pelo rápido julgamento do processo do mensalão, por conta da prescrição de alguns crimes e, por causa disso, se assiste e se ouve besteiras várias vindas daquela corte ou coreto.

Penso diferente: isso só foi adiante por causa da conversa do energúmeno com o Gilmar Mendes, no escritório do amigo Nelson Jobim, meses antes das "cansativas sessões premeditadamente levadas a efeito pelo sofrível" ... que só sabe pedir atenção dos outros ministros ..., em conclusão harmônica e teorias vazias, na qual, reunião, se pediu, sob imbecilidades de pretendida chantagem, o adiamento do julgamento para depois das eleições municipais ...

Fico por aqui, o cara continua lendo apensos e testemunhos já conhecidos quando do recebimento da denúncia ...

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Mensalão - Lavagem de dinheiro; Marcos Valério e Banco Rural III ...


Concluindo a postagem anterior:

O sr. revisor, com pretensões frustradas de relator, acabou por concluir o seu voto, acompanhando o do relator, pode-se dizer, em 70% do voto por este proferido, não se demonstrando, pois, nenhuma razão, como já venho dizendo, para se ocupar toda uma sessão com pretensões de ser considerado uma nova "prima donna", como mais uma vez ocorreu na sessão do dia 12 passado; bastaria dizer que concorda com o relator quanto a determinados pontos e que discorda quanto a outros, seguindo a exposição do pensamento. Mas isto é pedir muito.

Recordando:

a) o relator - Joaquim Barbosa - de 10 acusados, absolvera um - Ayanna Tenório - condenado os demais:
 - Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz, Rogério Tolentino, Simone Vasconcelos, Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Geiza Dias;

b) o revisor - Lewandoswki - dos 10 acusados, absolvera quatro -  Ayanna Tenório, Vinícius Samarane, Geiza Dias e Rogério Tolentino - condenando os demais - Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz, Simone Vasconcelos, Kátia Rabello e José Roberto Salgado.

Bastava, pois, limitar-se a acompanhar o relator naquilo que acompanhasse e a discordar naquilo que discordasse.

Na seqüência, na sessão do dia 13, a turma das togas concluiu o julgamento, com as seguintes condenações e absolvições:

Condenações:

a) por unanimidade
- Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz, Simone Vasconcelos, Kátia Rabello e José Roberto Salgado;

b) por maioria
- Vinícius Samarane e Rogério Tolentino.

Absolvições:
- Ayanna Tenório, por unanimidade, e Geiza Dias, por maioria.

Não havendo, de futuro, nenhuma graça, a "cana" será considerável.

Nesta sessão se falou em algo interessante, que rendeu linhas em outros meios de comunicação, acerca de sua origem, ou seja, falou-se na teoria do domínio dos fatos (algo que não carrega viés de novidade em nosso direito), o que equivale a dizer, em outras palavras, que igualmente comete crime aquele que dele tem conhecimento e se beneficia, como o energúmeno dos 9 dedos ou, nos termos do Código Penal - “Quem, de qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominadas, na medida de sua culpabilidade”. Eis de novo a presença do energúmeno ... O PGR diz hoje que dele vai se ocupar quando terminar o processo do mensalão, em função de reportagem com o Marcos Valério (SMP&B e DNA) em recente edição da revista Veja, o que soa como fazer a nosotros de idiotas, pois o domínio dos fatos já alcança quase uma década ...

De qualquer forma o processo já caminhou com o voto do relator, na sessão de ontem, condenando os primeiros do chamado núcleo político", pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha (turma do PP e da corretora Bônus Banval), afirmando ter o governo dos nove dedos comprado votos na Câmara dos Deputados, grana em torno de R$ 55 milhões, como segue:

PP - Partido Progressista:
- Pedro Corrêa, Pedro Henry e João Cláudio Genu: crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha;

Bônus Banval:
- Enivaldo Quadrado e Breno Fischberg, donos da corretora: crimes de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Amanhã o relator continuará a leitura do voto, formalizando as condenações e trazendo "à luz" a turma do PL (hoje PR), mais as do PTB e do PMDB e, ao depois, as participações de Zé Dirceu, Genoíno e Delúbio, como, também, já lugar comum, prováveis embates entre ele e o revisor, promovendo-se novo atraso na sessão, tal como ocorrido na do dia 13 passado, na qual os primeiros 90 minutos foram por eles consumidos.

Bom, no fim, o que interessa, na humilde acepção - e aqui já não falo mais de mensalão, de supremo, ou o que seja, ou de quaisquer crimes e outros atos que ainda dormitam nas prateleiras judicantes ou em qualquer outro lugar, e diante de teorias e princípios que existem a rodo, a gosto de todos, invocadas a cada momento em que se entende próprio o momento, mesmo até impróprio, o que se vê em ocasiões várias - é a oportunidade de "tipificar" um nova teoria, não limitada por fronteiras, ideologias etc., qual seja, a teoria da vergonha, a teoria do domínio da vergonha, a teoria da força da vergonha, ou qualquer outra denominação que se queira dar - dela já falei nas primeiras matérias do blog - até o mais decrépito dos decrépitos, em algum momento, também se envergonha da vergonha dos atos que a carregam - e, quem sabe, os reais princípios e teorias não retornam ao convívio que, de tão ausentes, já se fizeram esquecidos e desconhecidos ... Para fugir da utopia, isso está me lembrando do pintor chegado ao surrealismo ...

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Mensalão - Lavagem de dinheiro; Marcos Valério e Banco Rural II ...



A sessão do Supremo, que por ora está correndo - 17hs:35m - continua, até agora,  com a palavra do revisor - aquele que parece figura de filme japonês.

Isto aqui está em tempo real, e como disse em passagem anterior, não sei bem o que isto significa.

O que vejo, neste tempo real, ora o Lewando segue a linha condenatória do relator, ora do mesmo diverge mostrando, como dito em linhas anteriores, que "resta aguardar quanto à coerência ou incoerência judicante", ou talvez, quem sabe, o palavrório desnecessário do sujeito, instigando os demais das "togas",   como agora ocorre, não tenha a ver com a postergação do processo para as calendas ....

O "zé revisor", que não sugere "digna paciência", deveria se limitar a acompanhar o relator, naquilo que acompanhasse, e se limitar a divergir naquilo que divergisse, e não ocupar toda uma sessão para a demonstração de suas frustrações e de pretensões à nova prima donna da Corte, como já salientado no início desta série, evitando, assim, que esse julgamento caminhe a passo de cágado.

O cara é muito ruim, seu assento no Supremo soa como ofensa a nosotros. "Repensando e pensando", como ele gosta de dizer, o cara, repito, é muito ruim, se considerado o "espírito" que guia nosso caminho no dia a dia.

Por ora aguardo o final daquele que nem deveria se pronunciar e nem por lá estar, para encerrar estas linhas, com seu posicionamento. Mas por ora já cansei. Já se vão 2 horas do seu início, ou seja, do que comecei a escrever e o cara não cala a boca, cansativa aos "olhos e aos ouvidos"...

O cara, além de ruim, é intragável no assistir e escutar.

"Amanhã" voltarei a questão quando conhecer, no Supremo, a posição final das "absolvições" e "condenações", até porque o sujeito, relator frustado, examinou "verticalmente a matéria".

Mensalão: Pausa para descanso ...


Recordar faz bem à falta de vergonha ...


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Mensalão - Lavagem de dinheiro; Marcos Valério e Banco Rural ...




A sessão de ontem no Supremo foi inteiramente dedicada à leitura do voto do relator Joaquim Barbosa, no que toca ao crime de lavagem de dinheiro, de que foram acusadas as turmas do Marcos Valério - publicidade - e do Banco Rural, na qual se destacou a figura de Marcos Valério como intermediário dos escusos interesses entre José Dirceu e a diretoria do Rural, no que chamou de "ação de crime organizado".

Mostrando toda a sua indignação com a roubalheira desenfreada inciada já se vão mais de 10 anos, condenou a todos na forma requerida pelo Ministério Público, ressalvando a de Ayanna Tenório, que fora absolvida pelo Plenário (maioria), quanto ao crime de gestão fraudulenta de instituição financeira (em sessão anterior), por iniciativa do Lewandowski.

As condenações:

- turma do Valério:
Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz, Rogério Tolentino, Simone Vasconcellos, Geiza Dias;

-turma do Rural:
 Kátia Rabello, José Roberto Salgado e Vinícius Samarane.

A "cana", por lavagem de dinheiro, vai de 3 a 10 anos de reclusão e multa, sendo aumentada de um a dois terços se o crime for cometido de forma habitual ou por intermédio de organização criminosa (eis o caso, pelo menos, e por enquanto, para o ministro Barbosa).

A lamentar que, ao final do seu voto, indagara do revisor se com ele concordava, a fim de que pudesse continuar com o julgamento, que anda a passo de cágado, sem a necessidade da extensa e inútil leitura de um voto revisional que, no final, com aquele concordasse.

Ficou sem reposta, por instância inicial do ministro Marco Aurélio, que foi acompanhado por Ayres Britto, encerrando-se a sessão. O revisor apenas abriu os braços ... Lamentável...

Resta aguardar a sessão de amanhã para se conhecer das coerências ou incoerências judicantes ...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Quem falta na foto?



Charge do Jornal A Gazeta, Amapá

Notícias do Amazonas ...

À pretexto da notícia anterior, esta vem do Amazonas, no jornal A Crítica de Manaus.

Em outra postagem trouxe a notícia de que o  País transformara-se no "País dos drogados"; a reportagem que segue isso parece confirmar:


Pai usuário de droga espanca filha de nove anos com fio de TV

Na Delegacia Especializada em Proteção à criança e ao Adolescente, mãe disse que já denunciou agressão contra ela
Segundo moradores do Jorge Teixeira, homem irritou-se com demora da menina e do irmão que tinham ido comprar “dindin”

"Dindin", com todo o respeito, deveria ir no rabo deste cafajeste.


Notícias da Índia ...

Nada é diferente ou indiferente em qualquer parte do Planeta.

"Pobreza e mazelas" acompanham e se fazem presentes em "qualquer cultura".

Somos todos iguais, e na Índia mãe vende filhas (3) por R$ 6,00.

A reportagem é da Tribuna Hoje, Alagoas:


Mãe na Índia vende as três filhas por R$ 6 e choca o país

As crianças foram resgatadas e estão em um abrigo para vítimas do tráfico humano


Foto: BBC
As crianças estão num abrigo, juntamente com sua mãe
As crianças estão num abrigo, juntamente com sua mãe
O caso de uma mulher que vendeu as três filha pelo equivalente a R$ 6 por não conseguir cuidar delas chocou a Índia.
Purnima Halder parece ter 30 e poucos anos, mas não sabe a idade ao certo nem onde nasceu. Para ela, a vida tem sido uma luta constante.
Sem nenhuma dose de emoção, ela conta que decidiu se desfazer das filhas Piya, de 10 anos, Supriya, de 8, e Roma, de 4, para evitar que elas seguissem pelo mesmo caminho.
A história somente se tornou conhecida porque elas foram resgatadas e agora estão, junto com a mãe, em um abrigo para vítimas de tráfico humano em Bijoygunge, a 60 quilômetros de Calcutá.
Os assistentes sociais temiam que elas fossem obrigadas a se prostituir ou serem vítimas de casamentos forçados.
EXPULSAS
O drama das meninas começou ao serem expulsas de casa pelo próprio pai.
Purnima conta que o marido ficava bêbado com frequência e batia nela e nas filhas.
Até que um dia ele as mandou embora.
Elas acabaram indo morar numa estação de trem, onde Purnima foi convencida a vendê-las para que tivessem supostamente uma vida melhor.
Mas o destino delas era incerto, em uma região onde o tráfico humano é um problema sério.
Mais de 15 mil crianças desapareceram nas mãos de traficantes em Bengala Ocidental no último ano.
"Isso é o que a vida fez a ela (Purnima). Ela está desesperada. Ela enfrentou a pior escolha que uma mãe poderia ter que enfrentar - se desfazer de suas filhas", afirma Annapurna Ghosh, superintendente da casa que abriga mais de cem mulheres e meninas, além de 30 meninos.
No abrigo, as meninas estão seguras, mas sentem dificuldades de adaptação. Elas ainda estão traumatizadas. E ainda temem que a mãe se desfaça delas outra vez.
________________________

Ao ler a reportagem, penso que estou por aqui, no meu País.

Foto que rende o que couber ...

Notícias do Acre ...

Vem lá do Tião Vianna; com o PT tudo é a mesma coisa ...

A notícia é da Tribuna do Juruá, Acre:


Sebastião Viana nomeia filho do presidente do Tribunal de Contas do Acre

Ray Melo, da redação de ac24horas
O diário Oficial desta segunda-feira, 27, trás a publicação da nomeação de Renan Batista Polanco, filho de Ronald Polanco, presidente do Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE-AC), órgão que tem a função de fiscalizar a movimentação contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Governo do Acre.
O governador Sebastião Viana (PT), nomeou o filho de Polanco, para exercer cargo em comissão – referência CEC-1, na Secretaria de Planejamento. O ex-deputado estadual do PT foi indicado ao cargo de conselheiro do TCE, na administração do ex-governador Jorge Viana (PT), que sempre teve suas contas aprovadas pela corte da instituição.
O decreto governamental de número 4.412 de 09 de agosto de 2012 – poderá ser uma forte evidência da prática do nepotismo cruzado nos órgãos públicos estaduais. De acordo com procurador-chefe do Ministério Público de Contas, João Izidro de Melo Neto, “o caso poderá ser considerado nepotismos cruzado se não houver justificativa técnica”.
O ato de nomeação do filho do presidente do TCE, numa das pastas consideradas de fundamental importância nas administrações petistas também coloca em suspeição o julgamento das constas do Governo do Acre, na corte do tribunal. Ronald Polanco poderá ficar sob suspeição nas decisões que envolvam a Seplan.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Mensalão - Banco Rural III ...



Já se vão algumas horas do encerramento, de hoje, da sessão das "togas", quanto ao crime de gestão fraudulenta de que foi acusada a turma do Banco Rural (4 acusados), por conta de empréstimos espúrios e milionários ao PT, avalizados por Delúbio Soares, e a Marcos Valério e suas empresas e seguidores.

Na sessão plenária votaram, na ordem, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello e Ayres Britto, resultando na confirmação e absolvição - salvo não haja graça na Corte, até anúncio final do julgamento - de:

- Kátia Rabello: condenada pela unanimidade de votos (10 ministros);

- José Roberto Salgado: condenado pela unanimidade de votos (10 ministros);

- Vinicius Samarane: condenado pela maioria de votos (8 ministros); absolvido por Lewandowski e Marco Aurélio;

- Ayanna Tenório: absolvida pela maioria dos votos (9 ministros): condenada por Joaquim Barbosa.

Resta aguardar o comportamento da Corte com relação ao "núcleo político", que é o que mais importa, independentemente da prescrição quanto ao crime de formação de quadrilha.

A escrita foi mínima, pois hoje é o dia do sexo e estou cansado.

Manipulação midiática ...



Avram Noam Chomsky, americano, é filósofo e professor de linguística.

Mensalão - Banco Rural II ...



A sessão de ontem na Corte foi dedicada ao encerramento da participação do ministro revisor, no que se denominou na denúncia como "núcleo financeiro", ou seja, condenação da cúpula do Banco Rural - Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Vinicius Samarane a Ayanna Tenório - no crime de gestão fraudulenta, por conta de empréstimos espúrios, fraudulentos de R$ 32 milhões ao PT e outro tanto às agências de publicidade de Marcos Valério.

O relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, em sessão passada, já tinha condenado o quarteto do Rural, na forma requerida na denúncia formulada pelo PGR.

Na sessão de ontem, e na linguagem mais acurada, como se escreve por aí em outros meios, a recomendação da condenação formulada pelo relator, restou assim recepcionada:

- Kátia Rabello: condenada por todos os ministros que até agora votaram - 6 (se não houver "graça" até o final do julgamento, já está condenada): Joaquim Barbosa - relator -, Lewandowski - revisor -, Rosa Weber, Fux, Toffoli e Carmem Lúcia;

- José Roberto Salgado: condenado por todos os ministros que até agora votaram - 6 (se não houver "graça" até o final do julgamento, já está condenado): Joaquim Barbosa, Lewandowski, Rosa Weber, Fux, Toffoli e Carmem Lúcia;

- Vinícius Samarane: condenado por 5 dos ministros que até agora votaram: Joaquim Barbosa, Rosa Weber, Fux, Toffoli e Carmem Lúcia; absolvido por Lewandowski; a sua condenação se resolve na sessão de hoje à tarde, caso um dos demais ministros vote acompanhando o relator; e

- Ayanna Tenório: absolvida por 5 dos ministros que até agora votaram: Lewandowski, Rosa Weber, Fux, Toffoli e Carmem Lúcia; condenada pelo relator Joaquim Barbosa; a sua absolvição se resolve na sessão de hoje à tarde, caso um dos demais ministros vote acompanhando o revisor que, como dizem as "Togas", abriu a divergência em relação ao voto do relator.

A sessão na Corte retorna logo mais, iniciando-se com o voto do ministro Gilmar Mendes, na seqüência Marco Aurélio, Celso Mello e Ayres Britto.

A condenação do "núcleo financeiro", mesmo com a absolvição de um dos seus, deixa sinalizado que a Corte reconhece a existência da roubalheira alcunhada de "mensalão" e que perseguirá a condenação dos envolvidos, políticos e não políticos, é o que estou compreendendo dos votos neste sentido já proferidos, pelo menos, no que me conheço, ainda com razoável capacidade de percepção.

Como disse o ministro Fux: "a entidade bancária serviu de verdadeira lavanderia de dinheiro ... nem gestão fraudulenta nem gestão temerária, o crime deveria ser gestão tenebrosa ..."

Quanto aos "políticos", independentemente da prescrição quanto ao crime de formação de quadrilha, e do meu ceticismo, espero não estar enganado em relação aos votos condenatórios já conhecidos; o futuro dirá se estou com os neurônios cansados ou não.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

País de drogados ...


"Cerca de 4% da população adulta já experimentou cocaína alguma vez na vida".

O Brasil é o maior mercado mundial do crack e o segundo maior de cocaína, conforme resultado de pesquisa do Instituto Nacional de Pesquisa de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (Inpad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Os dados do estudo - que ouviu 4,6 mil pessoas com mais de 14 anos em 149 municípios do país – foram apresentados nesta quarta-feira, 5, na capital paulista.

Brasil é o maior mercado consumidor de crack do mundo, aponta estudoOs resultados do estudo, que tem o nome de Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), apontam ainda que o Brasil representa 20% do consumo mundial do crack. A cocaína fumada (crack e oxi) já foi usada pelo menos uma vez por 2,6 milhões de brasileiros, representando 1,4% dos adultos. Os adolescentes que já experimentaram esse tipo da droga foram 150 mil, o equivalente a 1%.

De acordo com o relatório, cerca de 4% da população adulta brasileira, 6 milhões de pessoas, já experimentaram cocaína alguma vez na vida. Entre os adolescentes, jovens de 14 a 18 anos, 44 mil admitiram já ter usado a droga, o equivalente a 3% desse público. Em 2011, 2,6 milhões de adultos e 244 mil adolescentes usaram cocaína.

O levantamento do Inpad revelou também que a cocaína usada via intranasal (cheirada) é a mais comum. Aproximadamente 5,6 milhões de pessoas já a experimentaram na vida e, somente no último ano, 2,3 milhões fizeram uso. Entre os adolescentes, o uso é menor, 316 mil experimentaram durante a vida e 226 mil usaram no último ano.

A pesquisa também comparou o consumo de cocaína nas regiões brasileiras em 2011. No Sudeste está concentrado o maior número de usuários, 46% deles. No Nordeste estão 27%, no Norte 10%, Centro-Oeste 10% e Sul 7%. Relatórios com resultado e metodologia estão na página do Inpad na internet.
________________________

Esta matéria foi vista agora no Estadão, sendo a chamada: "O Brasil é o maior mercado mundial do crack e o segundo maior de cocaína."

È isso aí mano, tamo dominando, é nóis!

Profunda tristeza em ver um País, outrora honrado, e agora, além de incontáveis bandidos, alcançar a glória do "País dos drogados", isso, segundo a reportagem.

Até então, de 2002 para cá, País de párias e escrotos; agora párias, escrotos e drogados, campeão da merda!

A reportagem se funda em pesquisas, que soam como sérias. E soando como sérias, o que fizeram com o meu País, o País que é o País de outros tantos e incalculáveis que sofrem, como eu, ao ler aquelas linhas?

Não sei o que dizer, diante de tamanha tristeza, quiçá já conhecida pelos mentores da desgraça.

O meu Pais, e de todos os que o horam, afundou; está na hora de trazê-lo à tona, ressuscitá-lo, mostrá-lo como a terra dos grandes homens que o transformaram não naquilo que pretenderam ou pretendem transformar os corifeus da criminalidade, independentemente do que dizem ou venham a dizer os Senhores das Togas.

Meu País não é um País de drogados! Porra!!!

Rã cozida


Recordando ... Maloca de Quadrilha


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Mensalão - Banco Rural ...



Conhecido o voto do ministro relator - Joaquim Barbosa - no que se denominou "núcleo financeiro" - empréstimos fictícios, simulados, portanto, escusos e espúrios ao PT e a Marcos Valério e empresas, condenando-se a então cúpula do Banco Rural - Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Ayanna Tenório e Vinicius Samarane - pelo crime de gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro, ou como disse o ministro,

"Para que o grupo criminoso obtivesse sucesso, era necessário a omissão dolosa de Ayanna e Samarane em suas funções. Conclui-se que os réus, em divisão de tarefas típica de uma quadrilha organizada, atuaram intensamente na simulação de empréstimos e utilizaram mecanismos fraudulentos para encobrir o caráter simulado desses empréstimos"

seguiu-se o voto do revisor - Ricardo Lewandowski - para minha surpresa, condenando os dois primeiros na mesma linha do relator, deixando os demais para amanhã, já que sessão encerrada pelo andar da hora e do cansaço; ao que se indica, também serão condenados.

Como o revisor, em seu voto, já antecipou a relação de Marcos Valério com o Banco Rural, atribuindo-lhe o papel de peça chave para exercer influência junto ao governo federal - o famoso valerioduto, o mensalão petista - parece que o recado de que este realmente existiu está se tornando bem claro no âmbito das "togas".

Não sei se por influência do ministro Peluso, que já se foi por conta da aposentadoria compulsória, quando disse - reverenciem a lei, prestigiem o Supremo - ou por qualquer outro motivo, como o de se adotar a "prova indiciária" no voto revisor - o que não foi feito com relação a João Paulo Cunha - mas será curioso ver, de futuro, eventual tentativa de se afastar a turma dos prófugos trapaceiros dos "efeitos" dos crimes ora condenados, na qualidade de "beneficiários conscientes e solícitos" dos mesmos.

A pena de gestão de fraudulenta vai de 3 a 12 anos de reclusão, mais multa ...

A saga continua amanhã, com o voto do revisor em relação aos dois últimos acusados. 

Quem sabe, ao final, "no fim do túnel", não haverá o desmonte de toda quadrilha, com a feliz entrega do "passe cadeia" ...