Páginas

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Núcleo Político - retorno do ceticismo ...



Na sessão de hoje das togas superiores - isso aqui está em tempo real- o sofrível - lewandowski - até agora não calou a boca, apesar de acompanhar o relator, ora em enfadonha manifestação, ora dele discordando, com intervenção do relator - joaquim barbosa - em outra não menos enfadonha e vergonhosa manifestação a favor da bandidagem, com a leitura de testemunhos no inquérito e confirmados em juízo, tudo "analisado verticalmente", como gosta de dizer, "ou que já fez referência".

O cara, além de sofrível, é muito ruim, pior que ruim ... Sacaram esse sujeito de alguma cova, da qual não sei a profundidade  ... Por enquanto, os demais ministros continuam na "dormitância" da oportunidade de se manifestarem, sabe lá como ... E o cara continua lendo "longos depoimentos" ... inúteis ...

A partir de hoje não falo mais sobre as sessões carregadas de hipocrisias e vaidades, notadamente do pretendido à nova prima donna, que só fala em exame vertical, em apensos - que não cansa de ler - e no pensando e repensando ..., confirmados em juízo .., folhas tais e tais e outros aspectos e tantas ou mais besteiras, que só atrasam o andamento do processo.

Aliás, se diz que a sociedade se movimentou pelo rápido julgamento do processo do mensalão, por conta da prescrição de alguns crimes e, por causa disso, se assiste e se ouve besteiras várias vindas daquela corte ou coreto.

Penso diferente: isso só foi adiante por causa da conversa do energúmeno com o Gilmar Mendes, no escritório do amigo Nelson Jobim, meses antes das "cansativas sessões premeditadamente levadas a efeito pelo sofrível" ... que só sabe pedir atenção dos outros ministros ..., em conclusão harmônica e teorias vazias, na qual, reunião, se pediu, sob imbecilidades de pretendida chantagem, o adiamento do julgamento para depois das eleições municipais ...

Fico por aqui, o cara continua lendo apensos e testemunhos já conhecidos quando do recebimento da denúncia ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário