Páginas

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Mensalão - Lavagem de dinheiro; Marcos Valério e Banco Rural ...




A sessão de ontem no Supremo foi inteiramente dedicada à leitura do voto do relator Joaquim Barbosa, no que toca ao crime de lavagem de dinheiro, de que foram acusadas as turmas do Marcos Valério - publicidade - e do Banco Rural, na qual se destacou a figura de Marcos Valério como intermediário dos escusos interesses entre José Dirceu e a diretoria do Rural, no que chamou de "ação de crime organizado".

Mostrando toda a sua indignação com a roubalheira desenfreada inciada já se vão mais de 10 anos, condenou a todos na forma requerida pelo Ministério Público, ressalvando a de Ayanna Tenório, que fora absolvida pelo Plenário (maioria), quanto ao crime de gestão fraudulenta de instituição financeira (em sessão anterior), por iniciativa do Lewandowski.

As condenações:

- turma do Valério:
Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz, Rogério Tolentino, Simone Vasconcellos, Geiza Dias;

-turma do Rural:
 Kátia Rabello, José Roberto Salgado e Vinícius Samarane.

A "cana", por lavagem de dinheiro, vai de 3 a 10 anos de reclusão e multa, sendo aumentada de um a dois terços se o crime for cometido de forma habitual ou por intermédio de organização criminosa (eis o caso, pelo menos, e por enquanto, para o ministro Barbosa).

A lamentar que, ao final do seu voto, indagara do revisor se com ele concordava, a fim de que pudesse continuar com o julgamento, que anda a passo de cágado, sem a necessidade da extensa e inútil leitura de um voto revisional que, no final, com aquele concordasse.

Ficou sem reposta, por instância inicial do ministro Marco Aurélio, que foi acompanhado por Ayres Britto, encerrando-se a sessão. O revisor apenas abriu os braços ... Lamentável...

Resta aguardar a sessão de amanhã para se conhecer das coerências ou incoerências judicantes ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário