Páginas

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Mensalão: Formação de Quadrilha II ...



Ao iniciar seqüência de linhas sobre minhas expectativas acerca de como ou do que seria o julgamento do processo envolvendo os prófugos da nação, mais o bando dos sem caráter que os acompanhou, deixei registrado meu ceticismo quanto à posição dos togados frente aos crimes então denunciados, razão de ter editado as matérias com a foto do Supremo às escuras, seguida de uma interrogação. 

E tinha lá minhas razões, quando me lembrava de votação na corte prejudicando aos aposentados, por instância de quem me recuso a dizer o nome, do embate entre as togas envolvendo questões eleitorais antes da continuidade delitiva do executivo, do processo envolvendo a permanência do bandido italiano em solo pátrio, para ficar só com estes.

Confesso que fiquei surpreso com a indignação do Joaquim Barbosa, com a posição centrada do Luiz Fux e com a firmeza do Ayres Britto, posições estas que, associadas as de Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Celso de Mello, culminaram com a condenação da delinqüência governamental no que considero o pior dos crimes a que poderiam ser condenados: formação de quadrilha, a quadrilha partidária.

Isto em que pese a absolvição, por um quarteto, capitaneada pelo inço da toga, pelo peba da toga que, mais uma vez, mostrou falta de estofo para ocupar uma cadeira no Supremo; mas o cara, em breve, será vice-presidente da Corte ... Isso sem falar no sujeito que nem deveria ter participado do julgamento, quando muito abrir a boca, o barbudinho atual ...

De qualquer forma, com a sessão que se inicia logo mais, e que, para a frente, será ocupada com discussão para aplicação das penas - dosimetria-, já me dou por satisfeito com a condenação da corja "petista" pelo crime de formação de quadrilha, relembrando, porque não, o seu escabroso passado, o passado de uma  turba de bandidos, envolta em toda sorte de crimes.

Não nego que vê-la, por um bom período, atrás das grades, faria muito bem ao espírito, como já o fez ao se assistir a recente condenação que lhe foi imposta.

Além da dosimetria da pena outra questão a ser enfrentada pela Corte será a relativa aos empates em determinadas votações, o último protagonizado pelo peba quando, após absolver a todos os acusados pelo crime de formação de quadrilha, reformulou voto passado, quanto à lavagem de dinheiro, causando alegria a alguns próceres, então por ele condenados, como Jacinto Lamas e Valdemar Costa Neto.

A questão é delicada porquanto, na ordem vigente, sugere-se a absolvição do acusado, quando diante de situações como a que se apresentou, mesmo que provocada por alguma togada que, além de medíocre e carente de juridicidade judicante seja, nitidamente, parcial e deturpadora das provas.

A Corte deverá decidir sobre o que deverá prevalecer: a verdade dos autos, a verdade das provas, valendo, assim, o voto da presidência, ou a absolvição, provocada por vergonhosa mediocridade. 

Bom. Espero que a coragem e a honra prevaleçam, e que o mesmo afinco demonstrado nesta causa se faça igualmente presente quanto aos demais crimes praticados neste já longo "imoral governo", que  tanto envergonharam e envergonham a Pátria, os quais já evoluíram para nova tipificação penal - "mal feitos" - e que a PGR vá buscar toda a "grana" que roubaram do País.

Portanto, e por enquanto, uma nova foto do Supremo para ilustrar estas linhas.

2 comentários:

  1. Flavio...

    Quem nasceu bandido vai morrer bandido e não serão alguns anos de prisão que irão fazer com que o chefe da quadrilha se redima.
    “Líder” estudantil que se gaba de lutar pela liberdade, sem nunca ter pego em armas, quando na verdade apenas induziu, doutrinariamente, imbecis a lutar por ele.O guerreiro Dirceu saiu do Brasil, foi preso numa reunião da UNE em Ibiúna em 1968 e em 1969 foi trocado pela liberdade do embaixador norte-americano Charles B. Elbrick, que havia sido seqüestrado por guerrilheiros urbanos, muitos deles jovens estudantes seduzidos pela “revolução” estudantil na Paris de 1968 e apanhados na verve do revolucionário. Segundo depoimento de um de seus colegas de férias em Cuba e publicado na revista Veja, Dirceu extremamente preguiçoso e fingia dores para fugir das aulas práticas de guerrilha.
    Quem vê a foto de Dirceu algemado, com um sorriso no rosto antes do embarque, quando foi deportado do Brasil, pensa ser um sorriso de vitória quando, na verdade é um sorriso de deboche pois ele está vivo enquanto muitos de seus revoltados doutrinados saíram mortos.
    Dirceu, historicamente sempre um manipulador, sempre foi um chefe de quadrilha.
    Para ele prisão não é castigo. Em vista do histórico dele, acredito que punição melhor que a ponta de uma corda não é possível.


    Abs.

    sicário


    ResponderExcluir
  2. Olá Sicário,
    Might be a good idea.
    Abs.,

    ResponderExcluir