Páginas

quinta-feira, 18 de abril de 2013

"Nóis" nos filmes de "poliça" ...

Dia 9 passado, em "Legado da Copa e das Olimpíadas", lá por algumas linhas, falei sobre um filme produzido pela turma dos EUA, no ano de 2009, no qual, quando descoberto o suspeito pelo assassinato de 16 garotas (caso verídico), que seria um quase médico, de bom futuro profissional e pessoal, dissera o detetive encarregado do caso, aos seus colegas de investigação: - Vamos prender o sujeito, antes que fuja para o Brasil.

Já ontem, assisti a um outro filme, sendo este de 2004 - Genius era o seu título. Cuidava da história de um cara - romanceada após manuseio de folhas de processo penal, que então correra na Suprema Corte de Nova Iorque -  que tirara férias de 10 anos, na legendária penitenciária de Sing Sing, por conta da venda de drogas.

Durante o período do "merecido descanso", o dito cujo enveredara pelo caminho das altas leituras, tornando-se escritor de sucesso de apenas um livro publicado. O livro detalhava a forma como o "intelectual" trucidava imaginárias vítimas.

O filme começara com a morte de um taxista, cujo autor, após os trâmites investigatórios, descobrira-se ser aquele "escritor", então "nascido" nos corredores e celas da penitenciária. Identificada a autoria, disse um da dupla encarregada das investigações: - Está na hora de botar as algemas no gênio, antes que se mude para o Rio de Janeiro.

Aí a coisa fica deprimente, vergonhosa, ou o que seja. Num espaço de 8 dias, dois filmes aludem ao distinto País, como destino e refúgio de bandidos, mesmo que no campo da ficção e do romancear casos verídicos.

Mas basta ver quando foram produzidos - 2004 e 2009 - para já se ter a clara idéia das razões da sacanagem verbal.

4 comentários:

  1. Flavio...

    Tais filmes só podem ser criticados com relação ao teor "artístico" dos mesmos. A história a gente conhece, vive e convive todo santo dia. O Brasil, gradativamente vem se tornando a terra de criminosos. O que é assustador é que criminosos estão imigrando buscando sossego e guarida nos braços dos ladrões "terráqueos".Se assim não é, como se explica que C. Battisti está viviendo tranquilamente sob os auspícios do ex sinistro da justiça e atual (infelizmente) governador gaúcho, o sr. Tarso Asqueroso Genro?
    O lado positivo destes filmes é que mostram ao resto do mundo o que o Brasil realmente é e não o que a quadrilha governamental afirma ser.
    abs.
    Sicário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sicário,
      Ao tempo da navegação, o país era terra de desterrados; por ora, com a imagem internacional da criminosa vagabundagem, tornou-se objeto de sacanagem verbal.
      Já assisti a outros filmes, também do mesmo período, que aludem ao Brasil como o paraíso dos criminosos, refúgio da bandidagem; destaquei aqueles dois pelo curto espaço na exibição.
      Concordo quando falas no "lado positivo", porém, me desculpe, mas o "lado positivo" se mostra "negativo" e envergonha a quem não enveredou por aqueles caminhos, a quem não tem o crime nas veias. Sei que tens o mesmo sentimento.
      Falando em política, o que dizer da imagem da gorducha erótica, ao lado do magrela do irã, na posse do maduro nos outros, naquelas já tidas e conhecidas por fraudulentas eleições presidenciais venezuelanas? É pho ...!
      Abs.,

      Excluir
  2. Olá Beto pernambuco,
    Muito bom o blog; já consta da minha lista de blogs.
    Abs.,

    ResponderExcluir